Edição: 242

Diretor: Mário Lopes

Data: 16/1/2021

Centro Hospitalar de Leiria mobiliza mais 150 camas em resposta ao aumento da pandemia

Hospital de Santo André

O Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) deliberou na sua reunião de dia 6 de janeiro, com efeitos a partir de 11 de janeiro, a reativação do nível III do seu plano de contingência do Serviço de Medicina Intensiva – Covid-19, passando a estar ativadas com possibilidade de serem ocupadas 15 camas de tipologia III* (10 no Serviço de Medicina Intensiva e cinco na Unidade de Cuidados Agudos Polivalente – UCAP), e 15 camas de nível II na UCAP. A decisão inclui ainda ativar o nível do Plano de Resposta Covid-19 – camas nível I, passando a haver uma distribuição de 120 camas, localizadas na torre nascente do Hospital de Santo André (HSA), em Leiria.

«Os procedimentos e instruções de trabalho estão continuamente a ser revistos e adaptados a cada fase da pandemia, seguindo o nosso Plano de Contingência. O CHL tem vindo a ajustar as suas estruturas e estratégias para continuar a disponibilizar todos os níveis de cuidados à comunidade que serve», explica Licínio de Carvalho, presidente do Conselho de Administração do CHL.

Face ao contexto de crescimento da afluência de utentes ao CHL, o Conselho de Administração decidiu ainda contratar a Santa Casa da Misericórdia da Marinha Grande para a utilização de camas de nível I, para alocar doentes Covid-19 sem alta clínica oriundos do CHL, e que são geridas pela Unidade de Hospitalização Domiciliária. O CHL assegura o transporte, a medicação e a vigilância clínica destes doentes, bem como a gestão do processo de alta, e a Santa Casa da Misericórdia assegura os restantes cuidados aos doentes.

«Devido ao elevado número de doentes internados, ventilados e não ventilados, e considerando a afluência crescente à ADR-SU, com o possível aumento de doentes positivos para a Covid-19 que necessitem de internamento, decidimos encontrar alternativa no setor social para libertar camas para os doentes mais críticos», esclarece Licínio de Carvalho. «A Santa Casa da Misericórdia da Marinha Grande disponibilizou mais de uma dezena de camas para cuidar de doentes Covid-19 positivo.»

* As camas de tipologia III permitem receber e tratar os doentes críticos Covid-19, nomeadamente os que necessitam de ventilação mecânica invasiva, as camas de tipologia II adequam-se aos cuidados de saúde intermédios e as camas de tipologia I são as utilizadas nas enfermarias.

    Fonte: Midlandcom