Edição: 252

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/11/27

No dia 24 de janeiro

Vacinação a seis centenas de utentes e trabalhadores de lares do Cartaxo já terminou

Preparação da vacina contra a COVID-19

Três equipas de profissionais de saúde, acompanhadas pelo Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros Municipais trabalharam ao longo de três dias – 22, 23 e 24 de janeiro –, para executar o plano de vacinação definido para lares e casas de acolhimento. Pedro Magalhães Ribeiro reforça necessidade de “alargar com a máxima urgência, o plano de vacinação aos utentes e trabalhadores dos centros de dia”.

O Serviço Municipal de Proteção Civil e os Bombeiros Municipais do Cartaxo acompanharam a equipa da unidade de saúde local que executou o plano de vacinação em estruturas residenciais para idosos (ERPI) do concelho. Mais de 600 utentes e trabalhadores receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Pedro Magalhães Ribeiro, presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, destacou o “empenho dos profissionais de saúde e das instituições na organização do Plano de Vacinação”, referindo que três equipas constituídos por médicos e pessoal de enfermagem, estiveram em 25 lares e casas de acolhimento para idosos, assim como, na Casa de João Manuel, da APPACDM, para administrar as vacinas.

 

O presidente da Câmara Municipal afirmou que é necessário “alargar, com a máxima urgência, o plano de vacinação aos utentes e trabalhadores dos centros de dia”, compreendendo as razões que levaram a definir as ERPI como prioridade, Pedro Magalhães Ribeiro destaca “o extraordinário trabalho que as IPSS com valência de centro de dia têm cumprido quer na contenção do contágio entre os seus utentes, quer no apoio prestado aos seus idosos. Durante largos meses, esta valência encerrou durante largos meses, mas as IPSS conseguiram fazer uma  reorganização profunda dos processos de trabalho para garantir apoio domiciliário a todos os utentes que, de um dia para o outro, ficaram confinados à suas casas. Este trabalho não pode ser posto em causa porque é a única resposta social disponível para centenas de idosos e para as suas famílias”.

Para o autarca “o plano de vacinação é a primeira janela de esperança para a nossa comunidade”, mas é essencial que todos contribuam com o cumprimento das medidas de prevenção de contágio e com o cumprimento das medidas em vigor do estado de emergência.

“O dever de recolhimento domiciliário deve ser encarado com a máxima seriedade. O esforço é enorme, mas é o único caminho e só terá resultados se for um caminho comum, que todos trilhamos ao mesmo tempo”, reforçou o presidente da Câmara para quem “nunca como hoje, precisamos estar cientes que somos nós que transmitimos o vírus, estou certo que cada um de nós saberá reconhecer esta verdade e assumir esta responsabilidade. A prioridade tem de ser a saúde e a vida, só preservando estas, poderemos iniciar qualquer trabalho de recuperação da nossa economia, de retoma do processo de aprendizagem das nossas crianças e de reparação das consequências pessoais, profissionais, institucionais e sociais que a pandemia nos vai deixar para resolver durante muito tempo”, conclui.

    Fonte: GIC|CMC

 

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.