Edição: 252

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/11/27

“Mentira” pode afetar reputação de Portugal no mundo, nomeadamente junto da UNESCO

DGPC garante que não houve colocação de betão nas escadarias do Mosteiro de Alcobaça

Intervenção na escadaria da Ala Norte do Mosteiro de Alcobaça

Na sequência de um comunicado de imprensa divulgado a 11 de fevereiro último, pelo PS de Alcobaça, que anuncia uma alegada intervenção de betonagem nos degraus de escadaria monumental do Mosteiro de Alcobaça, a Direção-Geral do Património Cultural esclarece que se trata de uma informação falsa, que de modo algum corresponde à intervenção em curso neste Monumento.

Intitulado “Betão na Escadaria Monástica do Mosteiro”, o comunicado de Imprensa que veiculou amplamente esta informação é “falsa”, segundo a DGPC, tendo dado entretanto origem a notícias na imprensa local e a uma reportagem emitida pelo Jornal da Noite da TVI no sábado, dia 13/02.

Segundo a DGPC, “a propagação de informações falsas é sempre um ato condenável. Neste caso concreto, tratando-se de um Monumento Nacional que é Património Mundial, as consequências desta mentira ultrapassam o âmbito local, afetando a reputação de Portugal – e do nosso Património – no mundo, nomeadamente junto de instâncias como a UNESCO.”

Efetivamente, encontra-se em curso no Mosteiro de Alcobaça a empreitada “Conservação e Restauro da Fachada Oeste e Norte Rebocada” com conclusão prevista para julho de 2021. Dela fazem parte diversos trabalhos, entre os quais o tratamento da pedra da fachada da Igreja, a reparação e pintura de rebocos, caixilharias e gradeamentos e também a melhoria das condições de acesso exterior à nova Portaria-Bilheteira do Mosteiro.

O acesso exterior compreende uma escadaria muito danificada pelo tempo e pelo uso. Os seus degraus apresentam deformações consideráveis e perdas muito significativas de material pétreo colocando em risco a sua utilização em condições de segurança.

Nestas circunstâncias, e para preservar a escadaria, entendeu a equipa projetista não substituir ou reparar as pedras existentes – princípio da autenticidade – tendo optado por revestir os degraus em dois lances simétricos, junto do muro do varandim, por uma chapa de aço cortene (com o aspeto idêntico à guarda do varandim), revestida interiormente por um filme de borracha expandida.

Ainda segundo a DGPC, “uma vez que a chapa de aço não pode ser colocada diretamente sobre uma pedra instável sem causar danos e de forma segura para o utilizador, a superfície dos degraus foi regularizada com recurso a uma argamassa de cal e areia separada da pedra por uma manta de fibra geotêxtil, o que permite que, em qualquer altura, possa ser removida – princípio da reversibilidade.”

Ao longo destes dois lances de chapa de aço cortene que dão acesso ao varandim da fachada do Mosteiro – e consequentemente à Nova Portaria e à Igreja – será também instalado um corrimão, permitindo a circulação segura de fiéis e visitantes.

A empreitada em curso e a “Requalificação da Portaria e Loja”, concluída em dezembro de 2019, constituem as duas componentes com que a DGPC candidatou o Mosteiro de Alcobaça ao Programa de financiamento europeu CENTRO 2020 e que dão cumprimento ao Plano Diretor 2016/26, aprovado para o imóvel.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Nuno Mendes

lá vão ter que arranjar outro para a concelhia do socialismo da mãozinha...