Edição: 245

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/4/19

Ator e comunicador

Nuno Henriques é candidato do PSD à Câmara de Alenquer

Nuno Miguel Henriques

Nuno Henriques aceitou ser candidato a presidente de Câmara Municipal de Alenquer pelo PSD – Partido Social Democrata, num dos maiores concelhos a Norte da capital, que inclui a vila do Carregado e outras 1o freguesias.

O nome do candidato foi aprovado por unanimidade na reunião da Distrital que ocorreu esta semana, tendo seguido já o processo para homologação pela Comissão Política Nacional.

Com características singulares este concelho tem uma forte componente industrial, comercial, agrícola e com grande potencial onde se inclui a Serra de Montejunto, a Ota, Abrigada, Meca, Olhalvo, Merceana ou Aldeia Gavinha, entre tantas outras localidades com tradição, história, cultura e importantes no distrito de Lisboa.

Duarte Pacheco, presidente da Comissão Política Distrital do PSD, admite, que Nuno Miguel Henriques é um “candidato forte” porque “tem uma capacidade de comunicação muito grande, de chegar às pessoas e tem um projeto de desenvolvimento muito importante para o concelho”.

O também deputado à Assembleia da República acredita que a experiência em órgãos autárquicos pode ajudar o candidato do PSD a ganhar nas eleições deste outono. “Alenquer é um concelho que, sistematicamente, dá vitórias ao Partido Socialista, e vários candidatos do partido social democrata lutaram para alterar essa situação, sem nunca o terem conseguido. Não podemos por isso partir de um ponto de equilíbrio de forças, porque não é essa a situação. Mas Nuno Miguel Henriques traz a esta campanha uma grande experiência política dos muitos anos de vida autárquica.”

Após a homologação por Rui Rio, que se aguarda, o agora candidato apresentará mais pormenores e o seu programa inovador, diferente e positivo, apostando na proximidade, criando lemas de quer mais, melhor e diferente, porque as pessoas estão primeiro.

Também a candidatura e o líder da lista ao executivo municipal de Alenquer, Nuno Henriques, disponibilizam-se para todos os debates com adversários, mas igualmente, com estudantes, associações, comissões de moradores, empresas, sindicatos, comércio local, entre muitas outras, para dar a conhecer melhor as ideias principais, os estudos existentes e as formas de sustentabilidade económica e ambiental de se desenvolver o concelho harmoniosamente, através de uma mudança tranquila.

Nuno Henriques disse que “foi a minha escolha e decisão, após diversas conversações com o partido, em prol do país e principalmente da região e do concelho de Alenquer, a que dedicarei os próximos anos com o meu empenho, experiência e conhecimento, com força para fazer mais e melhor e principalmente muita diferença no modo e na ação. Seremos capazes, juntos de marcar com elevação, por um debate positivo. Não uso hipocrisias, por isso avançarei pelo meu partido de sempre, mas com pessoas de todas as ideologias e independentes que comunguem dos mesmos ideais para a mudança e a alternativa credível, que o povo precisa.”

Autobiografia

Nuno Miguel Almeida Santos Henriques nasceu pela revolução dos cravos e caracteriza-se por um profissional rigoroso, exigente, pioneiro, exímio nos pormenores e muito perspicaz nas suas obras, pela capacidade de comunicar em vários sentidos, para atingir os focos da satisfação dos que o procuram nas diversas vertentes.

Licenciado em Ciências Sociais/Psicologia Social, além de outras formações como em História, tem também formação pós-graduada e avançada em “Imagem, Protocolo e Organização de Eventos”, “Apresentação de Televisão” e “Marketing”, além do Curso Superior de Ação Social e frequência ao nível pós-graduado na área das Ciências Políticas, no ISCSP da Universidade de Lisboa.

Trabalhou em assessoria e consultadoria governamental, municipal e empresarial, além de ser pontualmente professor convidado em instituições de ensino superior, foi igualmente docente no ensino secundário e profissional (público e privado), exercendo também funções de formador (Protocolo e Voz/Comunicação, entre outras áreas e disciplinas), consultor e assessor de Imagem, de Comunicação e de Protocolo em diversas entidades, além de criativo artístico e cultural, bem como autor de diversas obras em várias temáticas.

Exerce funções de nomeado como Adjunto da Presidência de Câmara Municipal, sendo igualmente autarca noutro município, tendo ao longo dos tempos desempenhado cargos e funções partidários de âmbito local, distrital e nacional, além de autor de diversas moções políticas, principalmente de nível cultural.

Regularmente é formador/palestrante/orador convidado e visitante das mais dispares entidades públicas e privadas, nacionais e estrangeiras.

Detém o Certificado de Formador qualificado pelo Conselho Cientifico-Pedagógico de Formação Contínua, do Ministério da Educação e de Formador do Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Desenvolve uma intensa atividade cultural, como autor e diretor de diversos eventos culturais, pedagógicos e artísticos, apresentados nos principais palcos nacionais.

Trabalhou do Teatro Nacional, ao Parque Mayer, do Sá da Bandeira no Porto, ao Rivoli e em praticamente todos os palcos de teatros e auditórios portugueses em mais de 500 localidades, onde se incluem cerca de 300 estabelecimentos escolares em todo o território continental e Regiões Autónomas, apresentou-se já em todos os  distritos e em todas as ilhas dos Açores e Madeira, bem como em alguns países no estrangeiro, com eventos culturais e formativos. É Dinamizador Cultural/Autor, cooperante da Sociedade Portuguesa de Autores, tendo a Carteira Profissional de Encenador e Artista nº 2501 de 1993 do SIARTE/UGT.

Teve programas de sua autoria e apresentação em rádio, onde além de programas de poesia, teve durante algum tempo com assinalável sucesso, teve um programa de entrevistas/conversas a personalidades políticas e sociais e teve programas culturais/poéticos na Rádio Renascença (diariamente) e na Rádio Alfa em Paris, para os emigrantes e em doze rádios regionais, como a Rádio Popular onde teve uma rubrica de atualidades e crítica social e política intitulada “Má Língua Popular”, além de presenças assíduas em televisão e online, com presença assinalável, estando na vida pública desde os 13 anos.

Foi objeto de centenas de notícias e reportagens e inúmeras entrevistas quando atingiu dimensão nacional ainda em jovem, tendo sido pioneiro em eventos pedagógicos sobre Autores Portugueses, História de Portugal, 25 de Abril e Matemática.

Foi ao longo de anos credibilizando o seu trabalho, com empenho e crescimento, sendo hoje respeitado  enquanto  criador e agente cultural  e especialista em Protocolo e Comunicação Oral.

Como Diseur de Poesia, ganhou notoriedade nacional e internacional, com a declamação/interpretação de textos de autores lusófonos, em centenas de eventos e recitais poéticos, nos mais emblemáticos e conhecidos locais do país, como o Mosteiro dos Jerónimos, Monumentos, Museus, Palácios e outros espaços de referência, além de uma descentralização única por aldeias, vilas e cidades de todo o território, com assinalável êxito.

Trabalhou para públicos institucionais, desde Chefes de Estado Republicanos e Monarcas, aos simples cidadãos das aldeias esquecidas nas terras lusitanas, tendo feito até hoje a maior descentralização poética em Portugal, depois dos mestres João Villaret e Mário Viegas.

Editou 13 CD´S, livros e até uma edição de Vinho Poético, homenageando diversos poetas como Eugénio de Andrade, Fernando Pessoa, Amália Rodrigues, Américo Durão, António Aleixo, entre outros. Editou ainda um CD com canções e Fados-Canção intitulado “Canções da Minha Infância”.

Participou/colaborou com alguma regularidade em programa de televisão e rádio, onde chegou a ter programas dedicados à divulgação de poetas portugueses.

É escritor e autor de diversas obras técnicas de Protocolo, Comunicação Política e de Falar em Público, entre outras valências.

Regularmente é solicitado para coordenação Protocolar, sendo presença assídua na comunicação social, onde tem sido referenciado por esse facto, como um especialista em Protocolo e Comunicação Contemporânea, tendo lecionado formação para mais de quatro centenas de autarquias nas últimas décadas.

Foi Diretor do Instituto de Artes do Espetáculo, durante seis anos de 1995 a 2001.

Considerado um profissional dedicado e invulgar pelo empenho que coloca em todas as tarefas, foi considerado um “homem dos sete instrumentos” pela pluridisciplinar forma de agir em diversos campos profissionais, sendo-lhe reconhecidas capacidades de gestão, organização e empreendedorismo.

Foi criativo de diversos textos representados em peças de teatro profissional, tendo escrito originais de publicidade, cinema, rádio e televisão, além de letras para fados e canções.

Fez publicidade e deu voz a diversas campanhas e programas, sendo uma Voz conhecida pela sua forma singular e timbre muito peculiar. Colaborou como cronista e comentador na comunicação social escrita, radiofónica e online.

É diretor da Casa Museu com o seu nome, na Beira Baixa, que além de exposição permanente, tem em funcionamento Alojamento Local e um espaço de produção criativa e literária na aldeia de Salgueiro (Fundão) e outro na Serra da Estrela (Penhas da Saúde-Covilhã).

Conferencista assíduo em estabelecimentos escolares, autarquias e associações, participa ainda com regularidade em Encontros Literários, Feiras do Livro, Lançamentos de Obras/livros, Júris de Concursos e outras atividades dinamizadas em todo o Portugal continental, Regiões Autónomas e Comunidades.

Também participou em exposições de obras plásticas com obras suas, em diversos locais, tendo sido a primeira no ano 2000 na Universidade da Beira Interior.

É diretor da EMBAIXADA DO CONHECIMENTO, com atividades regulares em todo o país de formação e consultadoria, além do Teatro ABC-Companhia Nacional de Teatro Português, com eventos culturais e artísticos, de turismo cultural e oficinas de literatura e escrita.

Definindo-se hoje por um pensamento diferente, que se tem comprovado como inovador e no rumo certo, tem pautado o seu percurso pela proximidade, credibilidade e diferença, tendo igualmente desde jovem sido dirigente associativo em diferentes coletividades.

Pertenceu e colaborou com diversas plataformas de Think Tank, nas áreas da cultura, conhecimento e turismo.

Foi Padrinho de uma Marcha Popular de Santo António, na Avenida da Liberdade em Lisboa em 2019, além Padrinho do Carnaval da Neve no ano 2000, entre outras atividades congéneres, estando previsto ser o padrinho da Marcha de Campo de Ourique em 2021.

Foi o Autor da Mensagem Oficial do Dia Mundial do Teatro, lida em todos os palcos e televisões do país no ano de 1995, como jovem revelação.

Na prática é bem diferente, sendo um somatório de experiências multidisciplinares, uma garantida de excelência, qualidade, lealdade e inovação e sucesso nos vários domínios profissionais e sociais com uma cidadania ativa que abraça com empenho, dedicação e principalmente com vontade de fazer acontecer.

  Fonte: PSD|Oeste

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.