Edição: 245

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/4/19

Programa visa fomentar o empreendedorismo e a geração de ideias inovadoras nas áreas da economia verde, economia circular e sustentabilidade ambiental

Câmara Municipal de Torres Vedras aprova acordo de parceria para gestão do “EcoCampus”

Logótipo da EcoCAMPUS de Torres Vedras

O executivo municipal aprovou na reunião de Câmara desta terça-feira, 16 de março, o acordo de parceria entre a Câmara Municipal de Torres Vedras e a Associação ESTUFA – Plataforma Cultural para gestão do programa “EcoCampus – Torres Vedras”.

O acordo tem como objetivo aproveitar o conhecimento da Associação no que respeita ao acompanhamento e desenvolvimento de projetos de incubação, criando, assim, uma estrutura que dispõe de condições privilegiadas para o arranque e desenvolvimento de projetos e beneficia das sinergias entre os diversos programas.

Desde 2014, a Associação ESTUFA – Plataforma Cultural é parceira da Câmara Municipal de Torres Vedras no desenvolvimento do programa de empreendedorismo “TORRES INOV-E”. Este programa orientado para o acolhimento de propostas de negócios assentes em ideias novas ou capazes de reinventar negócios existentes já acolheu 61 projetos de empreendedorismo. Atualmente, estão ativos 35 projetos, dos quais 10 em incubação física e 25 em incubação virtual.

O “EcoCampus – Torres Vedras” é um programa que pretende fomentar o empreendedorismo e a geração de ideias inovadoras nas áreas da economia verde, economia circular e sustentabilidade ambiental. Esta plataforma permite a incubação de projetos em duas modalidades: incubação física e incubação virtual.

A incubação física concretiza-se através da disponibilização de orientação técnica para a implementação e desenvolvimento do projeto e de um espaço físico, que poderá estar localizado na antiga Escola da Cadriceira, na antiga Escola de Casal Barbas ou na antiga Escola de Figueiredo. O período de incubação física é de 24 meses, com possibilidade de prorrogação por mais 12 meses.

A incubação virtual é realizada através da contratação de um conjunto de serviços administrativos e de domiciliação fiscal das empresas na incubadora. Esta opção permite numa fase inicial do projeto a redução dos custos, quando o negócio em desenvolvimento não exige um espaço físico.

    Fonte: GCM|CMTV

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.