Edição: 246

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/5/18

Autarquia disponibiliza recursos humanos em falta

Batalha recusa receber apenas 200 vacinas/dia e reclama maior celeridade no plano de vacinação

Centro de Vacinação Covid (CVC) da Batalha está instalado no Parque de Exposições ExpoSalão

O presidente da Câmara da Batalha reclama uma maior celeridade no plano de vacinação e garante disponibilizar recursos humanos para o efeito. Em comunicação dirigida à Diretora-geral da Saúde, Dra. Graça Freitas, e ao Coordenador da Task Force para o Plano de Vacinação contra a COVID-19 em Portugal Vice-Almirante Henrique Gouveia e Melo, Paulo Batista Santos reclama uma maior utilização do Centro de Vacinação da Batalha, no âmbito da designada Fase 2 (a partir de abril de 2021), para além das 200 vacinas diárias.

O Centro de Vacinação Covid (CVC) da Batalha está instalado no Parque de Exposições ExpoSalão dispõe de uma capacidade de vacinação de 500 vacinas diárias, com capacidade de expansão, estando previsto na planificação do ACES do Pinhal Litoral apenas administrar 200 vacinas por dia em todos com concelhos da região, com exceção dos CVC de Leiria e Pombal, mesmo na fase em que estejam disponíveis mais vacinas da Covid-19, decisão justificada por ausência de recursos humanos de enfermagem e motivo de férias do pessoal de apoio.

Para o autarca Paulo Batista Santos, “esta decisão é incompreensível, num tempo de emergência nacional e que se pretende atingir o objetivo de vacinar 100 mil pessoas diariamente, já nas próximas duas semanas e para utilizar todas as vacinas que o país vai receber”. “Todos os recursos instalados devem ser mobilizados, caso contrário, por questões corporativas, estamos à prolongar no tempo os efeitos da pandemia”, refere.

Note-se que desde o início do Plano de Vacinação, dezembro de 2020, no concelho da Batalha foram apenas administradas 2700 vacinas, incluindo os profissionais de saúde, educação e dos lares, das quais apenas cerca de 560 pessoas receberam a segunda dose da vacina contra a Covid-19, o que representa menos de 16,9% da população vacinada com uma dose e cerca de 4% de pessoas com duas doses, valores abaixo do valor médio nacional de 20,4% e 7%, respetivamente (fonte DGS – 21.04.2021).

“Este atraso superior a 3% de pessoas vacinadas nos concelhos da região de Leiria é incompreensível e deve ser rapidamente recuperado, para tanto os municípios estão disponíveis para ajudar ainda mais e, no caso da Batalha, para além do Centro de Vacinação Covid-19 de elevada capacidade e com excelentes condições, estamos disponíveis para reforçar o apoio ao nível de recursos humanos”, informa o autarca e vice-presidente da CIM de Leiria aos responsáveis nacionais do Plano de Vacinação.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.