Edição: 249

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/8/2

Projeto teve início em 2004 com a compra do terreno

Zona Empresarial da Benedita assume-se como investimento-âncora para a economia regional

Descerramento da placa comemorativa da primeira pedra ZIRB

A primeira pedra da Zona Empresarial Responsável da Benedita (conhecida como ALEB), foi lançada esta terça-feira, dia 11 de maio, na Quinta da Serra. A ZERB assume-se como um investimento-âncora para a economia regional e para o ordenamento territorial da indústria na freguesia do sul do concelho de Alcobaça, onde habitação e indústria têm coexistido ao longo de mais de meio século.

O presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio, sublinhou na cerimónia tratar-se de um “momento histórico que marca o início da materialização da visão do Dr. José Gonçalves Sapinho. Uma visão que demorou quase 20 anos a ultrapassar uma série de vicissitudes processuais e burocráticas. Esta obra será um estímulo para a economia de toda uma região e um verdadeiro símbolo do empreendedorismo de uma das freguesias mais dinâmicas do distrito de Leiria e de todo país”.

A obra teve início no passado mês de abril e tem seguido em velocidade de cruzeiro estando a sua execução prevista para dentro de um ano e meio.

O edil referiu ainda que “em boa hora obtivemos os fundos comunitários necessários para este investimento, e recorremos a um conjunto de argumentos fundamentais: primeiro, temos matéria-prima: um dos setores essenciais do concelho, a extração da pedra, encontra aqui mesmo (Serra d’Aire e Candeeiros) a sua matéria-prima; segundo, temos uma imensa tradição industrial: a Benedita é a região de maior produção de calçado do sul do país; o cluster da cutelaria, juntamente com Santa Catarina, é o quinto maior da Europa. Argumentos não nos faltam. O que faltou nestes últimos 20 anos foi a vontade política nacional para investir no nosso distrito, como se investiu em muitos outros distritos do País.”

“Perante este cenário, fomos à luta e reunimos com todas as entidades oficiais, cumprimos as suas exigências e obtivemos os seus pareceres favoráveis. Neste contexto, a nossa capacidade de revindicação foi determinante. Porém, para que os grandes projetos sejam concretizados é primeiro preciso quem tenha a visão de os projetar e é por isso que este dia serve de homenagem ao Dr. Sapinho e a todo o povo da Benedita”, acrescentou.

A cerimónia do lançamento da primeira pedra da ZERB contou com a presença de Maria Adelaide Martins Gonçalves Sapinho, esposa do falecido ex-presidente da Câmara Municipal de Alcobaça que adquiriu o terreno da Quinta da Serra em 2004.

Presente no local estiveram também membros da associação Terra Mágica das Lendas, manifestando-se contra a forma como o projeto foi implementado, nomeadamente, por considerarem que não irá ser devidamente preservado o património histórico existente na Quinta da Serra, cuja fundação remonta a 1730.

Sobre a Zona Empresarial Responsável da Benedita

Paulo Inácio, junto à planta da ZIRB, garante haver já muitos empresários interessados nos terrenos

A Zona Empresarial Responsável da Benedita é uma das mais antigas revindicações da Benedita, freguesia de perfil industrial e empreendedor onde estão instaladas várias empresas de craveira nacional e internacional, que dão cartas em diversos setores como a cutelaria, o calçado, a marroquinaria, a extração da pedra, entre muitos outros.

A ordenação do tecido industrial da freguesia é, pois, um desejo de décadas por parte dos empresários que agora será consolidada naquela que será a maior obra de sempre da Câmara Municipal de Alcobaça: 7.5 milhões de euros de investimento.

Ao longo dos últimos anos, o projeto foi superando difíceis etapas e procedimentos burocráticos, obtendo pareceres favoráveis de todos os organismos responsáveis pelo licenciamento ambiental e gestão territorial, nomeadamente a CCDR-LVT, as Infraestruturas de Portugal, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e a Agência Portuguesa do Ambiente.

Localizada na Quinta da Serra (junto ao IC2, na Benedita), a ALEB conta com uma área de 53,7 hectares dividida em 73 parcelas que se destinam à instalação de indústria, logística, armazenagem, comércio e serviços. Está ainda prevista uma segunda fase de construção que, contudo, apenas terá início quando 75% dos lotes da primeira fase já estiverem vendidos.

A gestão da ZERB será regida por um critério de descriminação positiva (lotes mais baratos) para empresas dos setores tradicionais da Benedita (cutelaria, pedra e calçado).

Mário Lopes

(Com GRPP|CMA)

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.