Edição: 248

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/7/29

Investigação de Diogo Jesus permite identificar doentes com lúpus em remissão

Congresso Europeu de Reumatologia premeia trabalho de médico do Centro Hospitalar de Leiria

Diogo Jesus

Diogo Jesus, assistente hospitalar de Reumatologia do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), foi premiado com o seu trabalho de investigação intitulado “The SLE-DAS enables accurate and user-friendly definitions of remission and categories of lupus disease activity: Derivation and validation study in 1.190 SLE patients”, no Congresso Europeu de Reumatologia – EULAR Congress 2021, que decorreu entre 2 e 5 de junho, em formato virtual. O seu trabalho foi um dos seis trabalhos clínicos distinguidos no Congresso, entre mais de três mil, e teve destaque na sessão plenária de abertura do encontro e na edição diária do jornal do evento.

A investigação de Diogo Jesus versa sobre o Lúpus Eritematoso Sistémico (LES), uma doença reumática inflamatória, multissistémica que pode envolver todos os sistemas de órgãos. O seu tratamento deve ser ajustado de acordo com a intensidade de atividade da doença e ter como objetivo a remissão.

Atualmente, as definições de remissão e de atividade de doença são maioritariamente baseadas no Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity Index 2000 (SLEDAI-2K), o índice de atividade mais utilizado na prática clínica e ensaios clínicos. Contudo, o SLEDAI-2K apresenta limitações importantes: não inclui manifestações clínicas relevantes como o envolvimento pulmonar, gastrointestinal ou a anemia hemolítica, e os seus itens são pontuados de forma dicotómica, como presentes/ausentes, não permitindo avaliar melhorias ou agravamentos parciais dentro de cada item.

«Recentemente, o nosso grupo de trabalho desenvolveu e publicou um novo índice de avaliação da atividade do lúpus, o SLE-DAS (Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity Score), que demonstrou maior acuidade na mensuração da atividade do LES e maior sensibilidade para detetar variações de atividade comparativamente ao SLEDAI-2K», explica Diogo Jesus, também doutorando em Medicina pela Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior.

 

O reumatologista do CHL destaca ainda que, «no trabalho agora premiado, demonstrámos que o SLE-DAS tem uma elevada performance para identificar doentes com lúpus em remissão e nas diferentes categorias de atividade de doença. Estes resultados são muito relevantes, uma vez que indicam que o SLE-DAS é uma ferramenta útil para orientar o tratamento dos doentes com lúpus na prática clínica diária, pode ajudar na identificação de candidatos para ensaios clínicos, e poderá melhorar as medidas de outcome dos ensaios clínicos.»

 

Fonte: Midlandcom

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.