Edição: 248

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/7/29

Ex-presidente da Concelhia do CDS

Carlos Pinto Machado apresenta-se como candidato a presidente da Câmara de Óbidos pelo Partido da Terra

Carlos Pinto Machado

Carlos Pinto Machado vai apresentar-se como candidato a presidente da Câmara Municipal de Óbidos pelo Partido da Terra, depois de ter protagonizado uma candidatura idêntica pelo CDS em 2013 e 2017.

Com 55 anos de idade, casado e pai de 2 filhos (26 e 21 anos) e com estudos superiores em Gestão, é empresário do imobiliário e turismo, sendo administrador da marca Canivari`s Portugal. Dispõe de uma carreira de cerca 25 anos no sector financeiro como quadro superior.

É membro do Rotary Internacional, e foi indigitado para Presidente do Rotary Club das Caldas da Rainha para o ano 2022 /2023 onde é membro efetivo.

Foi fundador da concelhia do CDS PP em Óbidos onde foi dirigente local, tendo sido também dirigente distrital e conselheiro nacional do CDS PP.

Foi candidato do CDS à presidente da CM Óbidos em 2013 e 2017 não tendo sido eleito.

Tal como já o referiu anteriormente, “existe um vazio de ideias e de ações que visem melhorar as condições de vida dos obidenses”.

Segundo Pinto Machado, “esta reflexão pode mesmo ser considerada uma verdadeira constatação”, referindo que “ estamos no fim de um ciclo de 20 anos em que uma  “geringonça” liderada pelo PSD, coadjuvada pelo PS, que governou o concelho e gerou um saldo pouco positivo para a maioria da população e para o território. Estamos fartos de Direita e de Esquerda que só se preocupam com as suas dinâmicas partidárias.”

Segundo Pinto Machado, “impõe-se olhar para o concelho de Óbidos de forma integrada, num todo, construir soluções para a população que lá vive e para o desenvolvimento económico e sustentável do concelho.”

“Somos um concelho rural, envelhecido e empobrecido. Existe uma grande faixa da população que precisa de apoio solidário, que sobrevive com pensões rurais que considero absolutamente indignas.”

“A população jovem não tem oferta de habitação a preços acessíveis, não tem emprego. Nem todos os jovens têm de ser licenciados. É imperativo criar carreiras profissionais apostando em áreas de formação profissional adequadas às necessidades do concelho, o que não existe atualmente e os jovens têm de deixar a sua terra na busca de emprego.”

Mais acrescentou, “é imperativo criar emprego sustentável que só é possível atraindo investimento. Assumo o compromisso de o fazer se for eleito presidente.  Tornarei o concelho de Óbidos apetecível para os investidores, farei aquilo que nos últimos 20 anos não conseguiram fazer. Criarei condições para desenvolver o concelho, proporcionando a quem lá vive a qualidade de vida que merecem.”

Quanto ao Turismo, referiu, “têm de se criar dinâmicas promocionais que visem atrair turismo de qualidade que permaneça no concelho por mais do que um dia, que utilize as estruturas de alojamento existentes, desenvolva a restauração, a animação turística e o comércio  local. Somos um concelho magnífico, com história, com praias, com uma lagoa, com floresta, que está mal gerido, mal divulgado. É imperativo alicerçar estas dinâmicas no fortalecimento da marca “Óbidos” associada à marca “Portugal” como destino turístico de excelência no mundo.

Finalizou dizendo que “tenho profissão e rendimentos que me permitem não precisar de emprego político. Estou uma vez mais disponível para servir o concelho e a sua população se assim o decidirem. É assim em democracia. Há muito que o meu lema de vida é “dar de mim, sem pensar em mim! “ “

O lema da candidatura é “ O nosso partido é Óbidos. Primeiro os da Terra!

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.