Edição: 248

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/7/29

António Lucas sublinhou que todos os batalhenses se devem orgulhar do passado recente

Movimento Independente “Batalha é de Todos” apresentou candidatos às juntas de freguesia

Raul Castro

O Movimento Independente “Batalha é de Todos” apresentou, no dia 27 de junho, os seus candidatos às Juntas de Freguesia do município da Batalha. A apresentação aconteceu na Pia do Urso, emblemático espaço do concelho, e contou com a presença dos candidatos e respetivas equipas autárquicas.

António Lucas, mandatário da candidatura “Batalha é de Todos”, foi um dos intervenientes da apresentação e começou por agradecer a presença massiva de mulheres nas listas às freguesias: “Não precisámos de quotas legais para termos mais mulheres do que homens nas listas às freguesias. A vida das mulheres é mais complicada que a dos homens e, portanto, a vossa disponibilidade tem um sinal ainda mais significativo do que a disponibilidade dos homens”, disse.

António Lucas

Lembrando que uma candidatura adversária considera este Movimento um “regresso ao passado”, António Lucas sublinhou que se trata de um passado do qual todos os batalhenses se devem orgulhar. “Eu quero um regresso ao passado naquilo que é o atendimento permanente, constante e de porta aberta da câmara para os cidadãos. Quero um regresso ao passado no que toca a despachar os licenciamentos de moradias num mês ou no máximo dois; não quero o regresso ao passado recente, em que o licenciamento de uma moradia demora mais de um ano. Quero um regresso ao passado em que os presidentes das juntas de freguesia são tratados com a dignidade e lealdade que merecem. Não queremos um regresso ao passado recente, em que quem não é por mim é contra mim. No dia seguinte às eleições, somos todos munícipes da Batalha, independentemente de termos apoiado este Movimento ou outras candidaturas”, destacou o mandatário.

Joaquim Ruivo, candidato à Assembleia Municipal, deixou também algumas palavras de esperança. “Estou orgulhoso por integrar uma nobre e justa causa. O que nos move a correr para a vitória não é o receio de perder lugares políticos, porque nunca nenhum de nós dependeu deles, nem nos move o poder só pelo poder. O que nos move é um governo autárquico que seja para todos, que tenha uma estratégia de desenvolvimento e não apenas de ideias presas a foguetes que estoiram no ar. O que nos move é sabermos que podemos fazer melhor pelo concelho e por todos os munícipes. A nossa grande arma é apresentar-nos tal como somos. E é nesta âncora forte da transparência, da integridade, da proximidade, do trabalho feito no passado e da consciência do trabalho a fazer no futuro que temos de nos galvanizar, sem receios”, salientou.

Raul Castro, o candidato pelo Movimento à Câmara Municipal da Batalha, destacou algumas medidas negativas da atual gestão camarária. A revisão do PDM é um dos exemplos que apontou. “O projeto deste Movimento Independente é um projeto da sociedade civil, sustentado na quantidade de batalhenses que se tem manifestado contra uma governação autocrática prepotente e arrogante. Os batalhenses têm sido prejudicados com esta governação. O atual presidente da Câmara fez um grande alarido porque conseguiu finalmente fazer a revisão do PDM, mas esqueceu-se de olhar para as suas consequências. Muitos proprietários que tinham terrenos para construção, hoje nada lá podem fazer. Muitos pais gostariam de ter ao lado da sua casa um espaço para o filho construir, o que se tornou impossível. Esta situação cria uma rotura social, uma vez que quando era possível construir ao lado da casa dos pais havia uma entreajuda familiar. À distância é mais difícil”, exemplificou.

Intervenções dos candidatos a presidentes de Junta de Freguesia

“O desenvolvimento de qualquer território só se faz com as pessoas, mas quando estamos a falar de pessoas temos de falar de postos de trabalho e postos de trabalho significa empresas. Não conseguimos entender como é que há empresas que foram obrigadas a sair do concelho e como é que há empresas que aqui se queriam instalar e não lhes é permitido concretizar essa aposta”, continuou Raul Castro.

“É contra esta situação, a arrogância desta gestão autocrática, que nos propomos combater. A nossa proposta eleitoral está a ser desenvolvida com o contributo de todos aqueles que integram a nossa equipa e muitos outros que infelizmente não podem dar a cara, com medo de represálias. Os elementos das nossas listas têm todos experiência de vida, o que permite em parceria com os batalhenses desenvolver um trabalho eficaz e eficiente, com disponibilidade para todos. A proximidade tem que ser uma evidência, a Batalha não pode ser só de alguns”, concluiu o candidato.

Onde estão mais de 70% dos batalhenses?

Em reação à divulgação recente de uma “sondagem”, paga pelo PSD, o Movimento Independente salienta o facto de o trabalho de campo remeter para abril, antes da apresentação da candidatura “Batalha é de Todos”. Além disso, só 18% dos inquiridos afirmaram que pretendiam votar no PSD e mais de 70% não encontraram resposta entre as opções que lhes foram dadas pela “sondagem”. É caso para perguntar… onde estão esses mais de 70% de batalhenses?

Candidatos às juntas são personalidades conhecidas de todos

Para a freguesia da Batalha, o Movimento candidata Fernando Oliveira, enfermeiro próximo de toda a população batalhense. Na ocasião, Fernando Oliveira sublinhou que o convite que lhe foi feito pelo Movimento “Batalha é de Todos” foi irrecusável. “Como todos bem sabem, sempre dediquei a minha vida ao próximo, quer como enfermeiro, quer nas funções que desempenhei ao longo de décadas nos Bombeiros Voluntários da Batalha. Sou candidato à Junta da Batalha porque acredito que podemos fazer mais e melhor. Uma Junta de Freguesia deve ter a ambição de, em estreita articulação com a Câmara Municipal, contribuir para o bem-estar das populações. Acredito que com o envolvimento de todos nós e de todos aqueles que não podem dar a cara, voltaremos a contar com um concelho verdadeiramente plural, democrático, que olha para todos de igual forma”, disse.

Na freguesia da Golpilheira, o candidato é José Carlos Ferraz, igualmente uma pessoa muito conhecida dos fregueses. Na apresentação, o candidato lamentou o esquecimento a que a freguesia tem sido votada. “Imaginem que num local muito distante de Portugal, existia uma Câmara Municipal que não reconhecia a uma Junta de Freguesia, eleita democraticamente, qualquer legitimidade aos seus elementos. Essa Câmara Municipal existe. É infelizmente a Câmara Municipal do nosso concelho, que não respeita a vontade do povo e discrimina quem foi legitimamente eleito. Estamos neste desafio porque nos preocupamos de forma legítima com a população da Golpilheira, que não merece ser discriminada nem prejudicada”, frisou.

O candidato à freguesia do Reguengo do Fetal é Fernando Lucas, pessoa experiente na gestão autárquica. “Já liderei a Junta de Freguesia do Reguengo do Fetal. Conheço bem a realidade da freguesia, os seus diversos lugares, e os anseios da população. Aceitei ser candidato porque acredito que podemos voltar a impulsionar a freguesia. Apresentaremos aos reguengueiros diversos projetos que iremos concretizar com o intuito de apoiar as instituições da freguesia e o trabalho que fazem, nomeadamente através das diversas associações e, em especial, algumas respostas inovadoras à população mais envelhecida, sem esquecer a prevenção dos incêndios e a qualidade de vida das nossas populações”, destacou.

Na freguesia de São Mamede, o candidato é Filipe Eusébio, especialista em informática. “Os valores do Movimento Independente ‘Batalha é de Todos’ são aqueles em que acredito. A proximidade, a competência e a confiança são os verdadeiros pilares para quem deseja trabalhar em prol da comunidade. A Freguesia de São Mamede é aquela que mais sente a ausência do trabalho em equipa, que deveria ter existido e nunca existiu entre Câmara e Junta de Freguesia. A Freguesia de São Mamede foi esquecida pela Câmara e tem diversas carências, fruto de uma população envelhecida e com lugares muito dispersos que necessitam ser urgentemente resolvidos. Temos de ter ambição para realizar mais e concretizar para esta freguesia projetos inovadores, que estejam adaptados às novas necessidades das populações”, disse o candidato.

    Fonte: MI-BT

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.