Edição: 248

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/7/29

De 16 a 21 de julho

Uma ópera, uma orquestra e um reencontro são os principais destaques do Cistermúsica esta semana

Marta Menezes

Depois de mais um fim de semana com lotações esgotadas em todos os concertos, o Cistermúsica não esgota a sua infindável oferta e promete mais uma série de espetáculos imperdíveis. “La Serva Padrona” de Pergolesi é a primeira de duas óperas que serão apresentadas no festival num fim de semana que traz ainda a Orquestra Metropolitana de Lisboa e Marta Menezes e Trio de Cordas.

Imperdível, desde logo, é a ópera cómica programada para a noite de 16 de julho, às 21h30, no palco do Cine-Teatro de Alcobaça – João d’Oliva Monteiro: La Serva Padrona de Pergolesi. Uma nova produção levada à cabo pela orquestra La Nave Va, a que se juntam os conceituados cantores Carla Caramujo, Luís Rodrigues e e João Merino, com direção musical de António José Carrilho e encenação de Carlos Antunes.

Um dia depois, sábado, às 21h30, a Orquestra Metropolitana de Lisboa regressa ao festival para o primeiro grande concerto sinfónico na Cerca do Mosteiro de Alcobaça, com Pedro Neves na direção e os solistas Irma Skenderi (viola) e João Moreira (trompete). Num  programa intitulado Deambulações Musicais ouviremos obras de J. N. Hummel e Joly Braga Santos.

Mário Marques e Gonçalo Pescada

Já no domingo, dia 18 de julho, às 18h00, no espaço do Celeiro do Mosteiro de Alcobaça, entram em cena Marta Menezes e um Trio de Cordas, composto por Francisco Lima Santos (violino), Pedro Meireles (viola) e Marco Pereira (violoncelo), para um concerto de música de câmara que promove um reencontro entre dois míticos pianistas e compositores, Camille Saint-Saëns e Henrique Oswald (a propósito dos 100 anos da morte do primeiro e dos 90 da morte do segundo).

Fora de Alcobaça, o Cistermúsica prossegue a sua programação em rede com mais uma série de apostas descentralizadoras que prestam homenagem a Astor Piazzolla e Tom Jobim. Mário Marques  e Gonçalo Pescada, duo de saxofone e acordeão, farão o seu Tributo a Piazzolla no dia 17 de julho, às 18h30, em Coimbra no Museu Nacional de Machado de Castro, concerto que se repete, um dia depois, às 17h00, na Lagoa do Arrimal em Porto de Mós.

Também no dia 17 de julho, às 22h00, o Jardim do Vale em São Pedro de Moel (Marinha Grande) recebe o projeto Remember Jobim, quarteto de jazz e voz que homenageia o artista brasileiro e o seu legado musical, conferindo às suas composições uma nova roupagem e espaço para a improvisação.

Finalmente, na quarta-feira da próxima semana, dia 21 de julho, às 22h00, na Cerca do Mosteiro de Alcobaça, é a vez da dança contemporânea entrar em cena com o bailado Não Canteis a Valsa, Três Cadernos em Dueto, pela companhia Dança em Diálogos, com direção artística de Solange Melo e Fernando Duarte. Concebido para cinco bailarinos e dois pianistas, tem como origem as Melodias Rústicas Portuguesas de Fernando Lopes-Graça e a imagética da artista visual Helena Almeida.

    Fonte: AMA

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.