Edição: 250

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/9/22

Exposição coletiva “Linha de Fuga” vai estar patente de 24 de julho a 3 de outubro

Estudantes do mestrado em Artes Plásticas do Politécnico de Leiria expõem na Fundação D. Luís I, em Cascais

Autores da exposição “Linha de Fuga”

“Linha de Fuga” é o título da exposição coletiva que vai estar patente entre os dias 24 de julho e 3 de outubro na Fundação D. Luís I, no Centro Cultural de Cascais, numa promoção dos estudantes do mestrado em Artes Plástica, da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD.CR) do Politécnico de Leiria. A exposição é composta por uma diversidade de linguagens e obras, produzidas por 16 artistas.

«Os jovens artistas que aqui se apresentam são estudantes do mestrado em Artes Plásticas da ESAD.CR. Para além da diversidade evidente de linguagens que aqui encontramos, é essa raiz comum que permite agrupá-los numa exposição coletiva. Não se trata, por isso, de definir aqui um conceito, uma ideia curatorial que permita criar linhas de diálogo entre peças, ou entre estas e um texto teórico. O único objetivo consiste em apresentar a obra de qualidade muito acima da média habitual num grupo de tão jovens artistas», explica Luísa Soares de Oliveira, coordenadora do mestrado.

O mestrado em Artes Plásticas surgiu na ESAD.CR com a restruturação da licenciatura na mesma área que foi feita na sequência da Convenção de Bolonha, e constrói-se em torno de duas premissas fundamentais: «A primeira consiste na necessidade, comum a todos os artistas, de uma prática de atelier intensa aliada a uma reflexão pessoal, necessariamente teórica e verbal, sobre o trabalho que se faz, no próprio decurso da sua realização. A segunda radica na certeza de que estamos perante jovens adultos, que já possuem uma experiência razoável da prática artística, e que são, por isso, capazes, logo nos primeiros meses da sua formação avançada, de dar início a um processo que os levará à definição de uma obra pessoal, original e qualitativamente superior. O aumento de candidaturas ao curso nos anos mais recentes, vem confirmando que este é o caminho certo que devemos continuar a seguir», afirma a professora Luísa Soares de Oliveira.

    Fonte: Midlandcom

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.