Edição: 250

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/9/22

Através de protocolo com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil

Bombeiros da Batalha vão ter nova equipa de intervenção permanente

Assinatura do protocolo com a ANEPC

Os Bombeiros Voluntários da Batalha vão passar a ter uma segunda equipa de intervenção permanente (EIP), após ter sido celebrado protocolo entre a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o Município e Associação Humanitária dos Bombeiros da Batalha, subscrito no dia 29 de julho.

A Câmara Municipal da Batalha assinou, esta quinta-feira, um protocolo com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e as Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários da Batalha para a constituição de uma segunda Equipa de Intervenção Permanente (EIP). A comparticipação das equipas fica, em partes iguais, a cargo da Câmara Municipal da Batalha e da ANEPC.

Os Bombeiros Voluntários da Batalha passarão a dispor, agora, de uma nova EIP e, no total, a Câmara Municipal subsidia, assim, os bombeiros em mais cerca de 60 mil euros/ano, com o objetivo de melhorar a eficiência da proteção civil e das condições de prevenção de socorro à população do concelho da Batalha, em matéria de acidentes e catástrofes.

Viatura dos Bombeiros da Batalha

O presidente da Câmara Municipal da Batalha, Paulo Batista Santos, sublinha que “depois de, o comandante dos Bombeiros Voluntários ter demonstrado a necessidade de constituir uma nova equipa de Intervenção Permanente, a Câmara Municipal encetou esforços para suprir essa necessidade e reforçar o socorro prestado à população”. Esforço esse que Paulo Santos garante ter sido recompensado, já que “em pouco tempo foi possível avançar com o protocolo e garantir mais uma EIP em funcionamento”.

O autarca na ocasião quis, ainda, reconhecer “todo o trabalho desenvolvido pelos Bombeiros em prol da comunidade”, assegurando que “a Câmara Municipal continuará a ser um parceiro presente em todos os momentos”.

Constituídas por cinco bombeiros em regime de permanência, as EIP visam assegurar o socorro às populações, nomeadamente em casos de incêndio, acidentes ou catástrofes. A Associação Humanitária do concelho passa, agora, a ter duas equipas, com possibilidade de alocar uma ao quartel sede e outra à delegação de São Mamede.

Este apoio vem juntar-se a um conjunto de incentivos dados pela autarquia que, só no ano de 2020, investiu cerca de 170 mil euros para apoiar a corporação de bombeiros voluntários.

    Fonte: MB

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.