Edição: 250

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/9/20

Argumentista André Pereira mostra gente anónima que dá vida às praias da região

Rede Cultura apresenta 10 histórias de capitães da areia de 10 praias da região

A senhora que vende tremoços na praia de São Pedro de Moel desde 1975 e o senhor que faz as redes para a pesca desde que é menino na Praia da Vieira são duas das 10 pessoas de 10 praias do território que a Rede Cultura vai apresentar ao longo dos meses de verão nas suas plataformas digitais.

O objetivo do projeto intitulado “Capitães da Areia” é dar a conhecer as pessoas anónimas, sublinhando a sua importância como força motora e parte indissociável da memória e da paisagem dos locais que habitam, ao mesmo tempo que realça o papel do mar como elemento diferenciador e característico de Portugal e da Europa. O trabalho já pode ser acompanhado nas redes sociais e decorre até meados de setembro. Todas as quartas-feiras é apresentado um Capitão!

Praia da Vieira, Praia de São Pedro de Moel, Praia de São Martinho do Porto, Praia do Osso da Baleia, Praia do Pedrógão, Praia da Foz do Arelho / Lagoa de Óbidos, Praia da Nazaré, Praia da Areia Branca, Praia do Baleal e Praia de Santa Cruz são as 10 praias que vão apresentar os seus Capitães da Areia, pela mão de André Pereira.

O autor é argumentista: escreveu para televisão (5 Para a Meia-Noite, Bem-vindos a Beirais), para rádio (O Tal País, de Herman José) e para teatro (Outra Coisa e Que Vem do Latim); autor de dois solos de stand-up comedy (Pensamentos, Palavras, Actos e Omissões e Humor Amor) e do projeto O Que Te Quero Dizer, onde escreve retratos e cartas a desconhecidos. Tem crónicas assinadas no Público P3 e é autor de cinco livros – dois em nome próprio (pequenas estórias de muitas vidas e Lágrima) e três como escritorfantasma. Recentemente, foi autor do podcast Distância:mente Jovem, um podcast em parceria com a Câmara Municipal de Leiria sobre o que está confinado na mente dos jovens da região.

“A Rede Cultura 2027 tem uma longa e rica costa, com praias muito distintas entre si, quer pela sua geografia e flora locais, quer pelas tradições e práticas socioculturais, quer pelas diferentes culturas de trabalho e economia em redor do mar, aspetos que este projeto em concreto pretende tratar, através de textos e fotografias. A força das pessoas anónimas é uma grande caraterística do território e será, sem dúvida, um dos pontos fortes da nossa candidatura a Capital Europeia da Cultura”, adianta Paulo Lameiro, Coordenador do Conselho Estratégico da Rede Cultura.

“O projeto tem, ainda, a distinção de colocar a tónica na importância do mar quer para Portugal quer para a Europa porque é indiscutível a sua importância em termos de identidade histórica e por razões económicas, estando por isso na linha da frente das decisões estratégicas europeias”, conclui.

A Rede Cultura 2027 tem Leiria como ponto de partida, mas agrega 25 outros concelhos que tecem uma malha diversificada e que totaliza quase 6.000 km2 de extensão e distância superior a 170 km entre os seus extremos.

    Fonte: Curio Agency

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.