Edição: 251

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/10/27

Miguel Silvestre é o primeiro candidato à Câmara Municipal

Candidatura da Iniciativa Liberal apresenta programa com muitas ideias para Alcobaça

Miguel Silvestre

A iniciativa Liberal apresentou, no dia 20 de agosto, no auditório da Biblioteca Municipal de Alcobaça, o seu programa de candidatura à Câmara Municipal de Alcobaça. Estiveram presentes Miguel Silvestre, primeiro candidato à Câmara Municipal, Bruno Letra, primeiro candidato à Assembleia Municipal e Anabela Vitorino Costa, candidata a vereadora.

Bruno Letra começou por referir que assumir uma candidatura à Câmara Municipal de Alcobaça é um ato de coragem, dado que o núcleo da Iniciativa Liberal de Alcobaça nasceu recentemente, sendo ainda mais jovem que o próprio partido, fundado em 2017. O candidato garantiu que esta é também a mais jovem de todas as listas a sufrágio, com pessoas motivadas e escolhidas em função das suas competências para melhorar o concelho e realçou o facto de apresentar um candidato com experiência autárquica (na empresa municipal Óbidos Criativa).

Por sua vez, Miguel Silvestre elencou um vasto leque de propostas, garantindo, contudo, serem todas exequíveis.

Num concelho que perdeu população, segundo o Censos 2021, a infância foi o primeiro tópico abordado pelo candidato da Iniciativa Liberal, propondo atividades direcionadas para a infância, de parques infantis criativos até tornar São Martinho do Porto, frequentemente rotulada como a praia das crianças ou das famílias, como o porto das descobertas e o epicentro da infância no concelho.

Em contraponto ao que é comum, um embaixador da juventude, Miguel Silvestre propõe que a Câmara Municipal convide anualmente um alcobacense para ser o embaixador da disrupção, lançando novas ideias e novos desafios.

Bruno Letra

Fomentar cursos de robótica e programação é outra das propostas da Iniciativa liberal direcionadas para os jovens, de forma a potenciar competências de inteligência artificial, assim como ações de proteção da biodiversidade do concelho.

O candidato da Iniciativa Liberal lançou também a proposta de um projeto-âncora para este concelho com uma longa tradição musical: a reconversão de uma antiga fábrica em espaço musical dedicado à música, com salas de ensaio, estúdios, salas de apresentação, etc., a exemplo do que já acontece noutras cidades de Portugal e do mundo. Todavia, o candidato da Iniciativa Liberal não quer a Câmara Municipal a gerir estes espaços, defendendo que devem ser entregues a quem conhece o meio.

Na época dos nómadas digitais, Miguel Silvestre propõe a criação de estúdios de habitação e trabalho temporário, assim como oficinas de eficiência energética para apoiar os munícipes a melhorarem a eficiência energética das suas casas.

Para incentivar a participação popular nos destinos do município, a Iniciativa Liberal de Alcobaça propõe uma plataforma de participação política aberta à comunidade, um fórum que já existe há vários anos, por exemplo, nas Caldas da Rainha.

Miguel Silvestre propõe uma estratégia de especialização inteligente do concelho de Alcobaça assente em três pilares: economia circular (polo de Pataias), conteúdos e experiências (polo de Alcobaça) e Indústria 4.0 (polo da Benedita).

Anabela Vitorino Costa

Para a entrada norte de Alcobaça, na ligação a Aljubarrota, atualmente a mais degradada da cidade, a Iniciativa Liberal propõe uma requalificação do espaço e a criação de um Agrofood Cluster, para estudar e promover a fileira agroindustrial do concelho.

Relativamente à Zona Empresarial Responsável da Benedita, Miguel Silvestre propõe uma gestão profissional deste espaço e não uma mera venda de lotes de terreno, defendendo que os melhores terrenos devem ir para os melhores projetos.

Relativamente ao turismo, o candidato da Iniciativa Liberal propõe o projeto 360/365, ou seja, vivenciar todo o concelho durante todo o ano. Para tal, propõe a criação de um bureau de turismo, com um portal com bons conteúdos na Internet, com o corredor das artes, galeria de viagens, trilhos da Serra ao Mar, o tema Pedro e Inês, um espaço dedicado ao surf e o projeto São Martinho 2030, para atrair os nómadas digitais.

No campo cultural, Miguel Silvestre quer “liberdade para a cultura” e, por isso, propõe a gestão participada do Mosteiro de Alcobaça, a criação de um gabinete de ambiente histórico, de um arquivo municipal da música, de uma biblioteca mendicante, do Festival Land Art na Serra dos Candeeiros e de um polo em Pataias da Biblioteca Municipal de Alcobaça.

O candidato liberal quer ainda criar um Museu Nacional da Faiança, admitindo como espaço ideal o edifício da antiga Olaria de Alcobaça.

Em termos de administração autárquica, a Iniciativa Liberal advoga um novo modelo de liderança, mais aberto, com o “GPS dos Processos”, ou seja, em cada momento o munícipe passa a saber o estado do andamento dos seus processos na Câmara Municipal.

A IL critica a baixa taxa de saneamento básico no concelho (54% contra 78% da média nacional), propondo melhorar significativamente estes números.

Relativamente à Linha do Oeste, o candidato da Iniciativa Liberal quer uma postura mais reivindicativa junto do Governo e até propõe um slogan desafiante para o Oeste: “Os melhores destinos com os piores comboios”. Ainda no setor dos transportes, propõe uma rede de ciclovias no concelho.

Relativamente às opções de investimento da atual maioria autárquica social-democrata, a Iniciativa Liberal não manifesta uma discordância de fundo, mas critica a falta de fundamento de alguns investimentos, como o Pavilhão Multiusos de Alcobaça, da qual desconhece o modelo de gestão e alerta que se pode transformar num “elefante branco”, subaproveitado e deficitário.

Coube a Anabela Vitorino Costa apresentar as propostas da Iniciativa Liberal para a área social. E também aqui, o programa é vasto, com tópicos como a saúde mental, a telesaúde, a assistência à população sénior e o combate à pobreza energética. Programas famílias seguras, o combate à violência doméstica, apoio habitacional à população sénior, dependente, migrantes ou imigrantes.

A candidata à Câmara Municipal e psicóloga propõe também uma bolsa de apoio emocional, formação de literacia económica e a criação de um programa de apoio à reconversão de negócios e de desenvolvimento de competências profissionais.

    Mário Lopes

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.