Edição: 251

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/10/27

Candidata do Bloco de Esquerda volta a candidatar-se à Câmara Municipal

Telma Ferreira: “O município da Nazaré é o que menos gasta em Ambiente em todo o país”

Telma Ferreira

Telma Ferreira volta a liderar a candidatura do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal da Nazaré. A bloquista licenciada em Artes Plásticas e que é atualmente assistente parlamentar do Bloco de Esquerda e deputada na Assembleia Municipal da Nazaré, garante que a sua candidatura quer condições de vida dignas para a população nazarena e seus visitantes e aponta como eixos prioritários, entre outros, Lutar pelo Clima, mudar a Mobilidade, Direito à Habitação, Cultura para todos, Democracia e transparência, reforçar o serviço público, dignificar o setor primário, trabalho com direitos e precariedade zero.

Tinta Fresca – O que a leva a apresentar-se mais uma vez como candidata pelo Bloco de Esquerda à Câmara Municipal da Nazaré?
Telma Ferreira –
A candidatura do Bloco de Esquerda tem como responsabilidade dar continuidade ao trabalho desenvolvido desde 2005. Nos últimos mandatos tenho sido a representante do Bloco na Assembleia Municipal, em conjunto com o Jorge Ribeiro. É meu dever garantir uma candidatura que não deixe para trás a população que acredita que o Bloco é o partido que pode alterar o rumo da vida política instalada durante décadas.

Acredito que hoje, tendo em conta o que a pandemia destapou, todas as fragilidades e desigualdades ainda existentes, que a população está mais próxima da esquerda, mais próxima do Bloco de Esquerda e reconhece a nossa coerência política tanto no parlamento como nas autarquias, nos órgãos deliberativos onde participamos e tempos voz. A minha recandidatura também é um compromisso afetivo pela minha terra. As dificuldades de hoje não estão tão distantes das vividas há décadas, o que quer dizer que alguma coisa não está bem.

PSD e PS não têm investido, no seu fundamento, em prol da população, mas sobretudo têm seguido uma gestão governativa a favor dos grandes interesses económicos. Estamos aqui para fazer a Luta Toda e aproximar a população das decisões essenciais da nossa vida e do modo como vivemos a nossa terra.

Tinta Fresca Quem são as pessoas que constituem a sua equipa?
Telma Ferreira –
Uma candidatura é sempre um trabalho coletivo, encabeçar uma lista não é mais relevante do que as candidatas e os candidatos que preenchem as posições seguintes, porque dependemos de todas e todos os que contribuíram e deram a cara para que a nossa candidatura se efetivasse.

Hoje no concelho da Nazaré temos mais pessoas próximas do Bloco do que tínhamos antes da pandemia. É um sinal de que a população sente e sabe que a resposta social que não deixa ninguém para trás só pode estar na Esquerda, o Bloco de Esquerda tem sido essa força no Parlamento e nos municípios onde tem voz.

Temos uma equipa diversa, candidatas e candidatos que conhecem bem as fragilidades do nosso concelho, maioritariamente constituída por simpatizantes do Bloco de diferentes áreas, desde a área da Educação e Ensino, à área Marítima, do Comércio, do trabalho Fabril, da Restauração, da Música, entre outras, sobretudo pessoas que aceitaram fazer parte deste projeto porque sentem as dificuldades de viver no seu concelho.

Estas pessoas querem que as novas gerações tenham mais recursos disponíveis do que temos hoje e olham para o Bloco como a esquerda capaz de direcionar as prioridades do investimento público para a melhor qualidade de vida da população e não para alimentar os mesmos de sempre, os grandes interesses económicos e este sistema capitalista selvagem que vive à conta dos baixos salários e da precariedade.

Tinta FrescaA dívida do município tem sido um problema. Como pensa o BE resolver e continuar a investir no concelho?
Telma Ferreira –
O PS de Walter Chicharro, que enquanto oposição defendia que a solução da dívida não passaria por planos e fundos de apoio, que asfixiassem o investimento público e colocassem a batata quente nas mãos das e dos munícipes, foi o mesmo PS que, após uma maioria absoluta, alterou a sua estratégia e decidiu governar à direita, comprometendo o futuro da população.

O Bloco de Esquerda sempre defendeu a reestruturação da dívida e sempre votámos contra a candidatura a ferramentas da Troika. Temos um Município que está sob as decisões do FAM (Fundo de Apoio Municipal) e, portanto, é fundamental não baixar os braços, estamos perante um novo quadro comunitário, as autarquias vão receber financiamento do PRR (Plano de Recuperação e Resiliência) para investirem em áreas primárias, com habitação, por exemplo.

É o momento de a população olhar para si e decidir hoje, que futuro quer para as novas gerações. Só à esquerda é que essa resposta social existe, temos assistido ao prolongamento de uma política binária entre PS e PSD, é urgente mudarmos a página das políticas cujo resultado já conhecemos bem e darmos mais força ao Bloco de Esquerda nos órgãos deliberativos. Só assim conseguimos a mudança necessária.

Tinta Fresca – A fixação de população no concelho também é um problema? Que medidas se podem adotar nesse sentido?
Telma Ferreira –
O problema da habitação é um problema primário do direito à dignidade de vida, o difícil acesso à casa é o primeiro fator de exclusão social e o principal fator que dificulta a fixação de pessoas no nosso concelho.

Vivemos numa vila que está cada vez mais focada no monoturismo, em que num extremo temos a especulação imobiliária, que transporta o preço das casas para valores incomportáveis, para a maioria dos salários e para as condições de precariedade laboral a que a população está sujeita e no outro extremo temos o desenvolvimento crescente do alojamento local, e portanto as população está a ficar sem alternativas para viver de forma permanente no concelho.

É urgente construirmos parque de habitação pública em todas as freguesias do concelho a preços acessíveis, única forma de combater a especulação imobiliária e é fundamental que haja uma estratégia de contenção do alojamento local para que este não se concentre apenas numa área e possa de facto existir alguma descentralização também a este nível.

Todas e todos nós queremos usufruir da beleza natural da vila e das suas praias, mas é fundamental não esquecer que a Nazaré não é temporária, nós que vivemos no concelho precisamos de condições e de dignidade de vida.

Tinta Fresca – Quais são os principais problemas do concelho neste momento?
Telma Ferreira –
O município da Nazaré é o município, em todo o país, que menos gasta em Ambiente. Apresentava uma percentagem de despesas em ambiente em 2001 de 15,4% e em 2019, aparece com 0,4%, abaixo das restantes autarquias a nível nacional. É inaceitável. Hoje o nosso contexto de vida é particularmente diferente, não só pela pandemia que enfrentamos diariamente, mas porque estamos a ficar sem tempo para tomarmos as decisões certas.

O combate às alterações climáticas é o tema que deve estar em cima da mesa, também a nível local, as autarquias têm também uma responsabilidade acrescida no que vai ser o futuro das novas gerações, não existe planeta B, portanto é fundamental agir agora, já!

A mobilidade foi desconsiderada durante 20 anos de PSD e passados 8 anos o PS também não apresentou soluções para alterarmos a nossa forma de deslocação dentro do concelho e entre concelhos, tornar a mobilidade mais limpa, o espaço público com menos carros individuais e mais circulação de transportes públicos, de bicicletas, é usufruirmos de uma melhor qualidade de vida acessível a toda a população.

O setor dos transportes é o que mais polui, Portugal encontra-se com uma percentagem de poluição, só neste setor, acima dos 40%, percentagem superior à da União Europeia. A luta pelo Planeta, pela nossa sobrevivência, pela inclusão social, faz-se a partir da transformação da forma como nos deslocamos. A mobilidade não foi uma prioridade deste executivo e por isso é fundamental a confiança na esquerda.

O Bloco de Esquerda tem lutado intensamente pela dignificação da ferrovia, o meio de transporte mais limpo, e aprovou no parlamento um projeto de requalificação integral da linha do Oeste, tem lutado pela transformação dos transportes públicos à realidade das pessoas de cada freguesia. Mais oferta de transportes dentro do concelho e interconcelhos, mais oferta de horários, transportes mais amigos do ambiente, parques públicos para o uso de bicicletas, são tudo medidas necessárias para que o transporte privado seja cada vez menos a primeira opção.

Também é importante que a população tenha rendimentos e trabalho qualificado, a autarquia através da sua empresa municipal Nazaré Qualifica, promove a contratação a falsos recibos verdes, completamente inaceitável. Para além do trabalho com direitos, também é fundamental o direito ao lazer, espaços verdes e parques infantis requalificados e com a devida manutenção, reconstrução do espaço público para pessoas com mobilidade reduzida, o Concelho da Nazaré não tem casas de banho públicas para pessoas com mobilidade reduzida, e claro é essencial mais investimento na cultura e existir oferta cultural pública diária em todos os campos das artes.

Tinta Fresca – Quais os principais projetos ou medidas que esta candidatura apresenta para o concelho?
Telma Ferreira –
Ao longo do nosso percurso temos apresentado propostas relevantes para melhorar a vida da nossa população, como por exemplo a aproximação da população à autarquia, orçamentos participativos, manuais gratuitos em todo o ensino obrigatório, propostas pela melhor qualidade dos transportes públicos e sua acessibilidade, pelo reforço das verbas dadas aos Bombeiros Voluntários da Nazaré, pelo apoio aos trabalhadores da cultura, propostas que levámos ao parlamento de apoio aos profissionais da pesca, para que pudessem neste período difícil, ter direito ao Fundo de Compensação Salarial, uma medida que foi chumbada no Parlamento pelo PS, PSD E PCP, propostas de dignificação do setor primário.

Também levámos ao parlamento um programa de reabilitação dos mercados e feiras municipais, proposta que foi chumbada pelo PS, PCP, PAN e IL, agora o PS de Walter Chicharro compromete-se com a requalificação do nosso mercado, mas, no parlamento, o seu partido votou contra.

Apresentámos na Assembleia Municipal a recomendação para que a população beneficie da tarifa social da água de forma automática, medida de apoio efetivo que vamos continuar a exigir a sua implementação, não podemos votar de forma unânime na Assembleia e depois colocar respostas à crise na gaveta.

Estes são alguns dos exemplos da diferença que o Bloco pode fazer numa autarquia, no nosso manifesto cujo lema é : “Para fazer a Luta Toda”, destacamos 7 eixos que consideramos prioritários: Lutar pelo Clima mudar a Mobilidade, Direito à Habitação, Cultura para todos, Democracia e transparência, combater a crise, reforçar o serviço público, dignificar o setor primário, trabalho com direitos, precariedade zero.

Perfil da Candidata

Telma Ferreira, nazarena, 34 anos, é licenciada em Artes Plásticas – Pintura pela Faculdade de Belas Artes do Porto e tem ainda formação em fotografia digital. Foi durante 4 anos, operária fabril na empresa de cerâmica SoldeCor, em Valado dos Frades. Atualmente, é assistente parlamentar do Bloco de Esquerda e deputada na Assembleia Municipal da Nazaré.

    Mónica Alexandre

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.