Edição: 251

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/10/17

Centro Hospitalar de Leiria avança com novas medidas devido à forte afluência de utentes no Serviço de Urgência

Urgência Geral do Hospital de Santo André

O Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) reforçou as medidas para resolver as dificuldades sentidas no Serviço de Urgência Geral (SUG) do Hospital de Santo André (HSA), que tem registado uma forte afluência de utentes, com uma média diária de 332 utentes no mês de agosto, que inclui a urgência para doentes respiratórios, a ADR-SU (Área para Doentes com suspeita de Infeção Respiratória).

Este excesso de procura reflete a falta de resposta dos centros de saúde da região e o aumento do número de casos Covid-19 na área de influência do CHL. O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Pinhal Litoral registou uma forte incidência de casos, superior à média da Região Centro. Entre 15 e 30 de agosto, a taxa de incidência do ACES Pinhal Litoral passou de 303,3 por 100 mil habitantes, 52,7% acima do valor registado na Região Centro, para 472,5 por 100 mil habitantes, 82,9% acima do valor registado na Região Centro. No final de agosto, o ACES Pinhal Litoral registou a taxa de incidência mais elevada da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), o que condiciona a prestação de cuidados de saúde na região de Leiria.

Continua a registar-se um número elevado de atendimentos com a cor verde e azul (de acordo com a Triagem de Manchester correspondem a doentes pouco urgentes e não urgentes), atingindo os 40% do número total de atendimentos. A ausência de alternativas para os utentes tem condicionado o funcionamento do SUG do HSA, dado que são quase inexistentes os centros de saúde no concelho de Leiria com atendimentos após as 20h00, em dias úteis e após as 13h00 em feriados e fins-de-semana.

Acresce a este problema a efetiva e conhecida situação de escassez de recursos humanos e em particular de pessoal médico, um problema nacional de falta de profissionais, em especial fora dos grandes centros urbanos. No concurso para médicos de várias especialidades, lançado em julho, para 36 vagas, até agora só foi possível ocupar 19 vagas.

Para além da equipa fixa de dez médicos generalistas no SUG, complementar às equipas de generalistas contratados por empresa externa, em deliberação de 16 de junho, o Conselho de Administração reforçou o número de médicos generalistas na razão de um médico por turno nas 24 horas e nos sete dias da semana, conforme deliberação de 8 de setembro.

Com a dificuldade assumida das empresas externas em contratar médicos generalistas para o SUG, soma-se o cansaço manifestado pelos internistas, cirurgiões e ortopedistas que, a par dos generalistas, asseguram o SUG 24h/24h em regime presencial, 365 dias por ano. Assim, o CA do CHL decidiu, em deliberação de 15 de setembro, avançar com novas medidas, que vigoram até 31 de dezembro.

O CA deliberou aumentar o valor a pagar aos médicos generalistas contratados diretamente pelo CHL ou às empresas externas, para exercício de funções no SUG do HSA, com efeitos a 13 de setembro. Os valores até agora praticados estavam em linha com o mercado, agora ficam acima do mercado. Deliberou ainda reforçar com mais um elemento por turno (internista ou interno de Medicina Interna ou equivalente de outra especialidade que integre a equipa de Medicina Interna) a escala de Medicina Interna de apoio ao SUG no HSA; e majorar o valor hora a pagar aos especialistas que integrem a escala de Medicina Interna, Cirurgia Geral e Ortopedia, contratados em regime de prestação de serviços, diretamente pelo CHL ou através de empresas externas, para exercício de funções no SUG do HSA, com efeitos a 13 de setembro.

Mas estas medidas só serão eficazes se a afluência às urgências for moderada. Assim, o CHL reforça o apelo à comunidade:

  1. Os utentes devem dirigir-se ao Serviço de Urgência apenas em casos mesmo urgentes.
  2. No seu próprio interesse, os utentes devem adotar as medidas já divulgadas em situações anteriores, utilizando de forma correta as urgências hospitalares. Recorda-se que, em caso de doença, o primeiro contacto deverá ser para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24, que disponibiliza aconselhamento e encaminhamento em situação de doença e medicação.
  3. Os utentes devem recorrer aos Cuidados de Saúde Primários, dirigindo-se ao seu Centro de Saúde para serem assistidos pelo seu médico de família, ou pelo seu médico assistente, ou para serem observados na Consulta Aberta. Destaca-se que o Centro de Saúde da Marinha Grande dispõe do Serviço de Atendimento Permanente (SAP), que funciona 24 horas por dia, todos os dias, bem como o Centro de Saúde de Ourém, que tem um Atendimento Complementar, que funciona aos sábados, domingos e feriados, das 9h00 às 19h00.

O CHL foca sempre a sua ação nos seus utentes, procura ir ao encontro das suas necessidades e dar a resposta mais adequada, cumprindo rigorosamente a sua missão, o que tem merecido a confiança dos nossos doentes e reconhecimento de toda a nossa comunidade, pela dedicação e qualidade dos cuidados essenciais que presta. Relembra ainda que continua a trabalhar em todas as frentes, tendo aumentado no primeiro semestre deste ano a sua atividade assistencial, no que se refere às consultas externas (mais 34,3%) e cirurgias (mais 23,8%), em comparação com o período homólogo em 2020.

     Fonte: Midlandcom

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.