Edição: 252

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/11/27

Opinião

Resultados Eleitorais em Alcobaça

Nuno Catita

Terminadas as eleições autárquicas e olhando para os resultados, verificamos que o concelho de Alcobaça continua bastante fidelizado e agradado com as políticas dos sociais-democratas. Para o Município iniciou-se um novo ciclo com Herminio Rodrigues, que substitui Paulo Inácio e nas freguesias destaca-se a reconquista da Junta de Freguesia de São Martinho do Porto por compensação da perda da Junta de Freguesia de Turquel. Todo o resto se manteve como há 4 anos

Ao nível da Câmara Municipal de Alcobaça, podem-se fazer várias leituras dos resultados, uma das quais, creio que bastante importante e fundamental, foi a contribuição para os resultados finais das freguesias de onde são naturais os cabeças de lista que competiam pela vitória.

Na Freguesia de Pataias e Martingança o efeito Hermínio Rodrigues foi notório, sendo uma freguesia historicamente socialista que se transforma em social-democrata nas eleições autárquicas e que tendo um seu conterrâneo na corrida para presidente da câmara não pouparam os votos, passando dos 1.697 votos de 2017 para os 2.176. No total de votos no concelho alcançou 11.919 votos, por pouco mais de 300 elegia o quinto vereador, neste caso vereadora, passando o executivo a contar com Eugénia Machado, que formaria uma dupla da Benedita com Inês Silva, a número dois da lista.

Mas, se por um lado estava um candidato de Pataias, do outro estava um candidato da Benedita.  Carlos Guerra, o cabeça de lista do Partido Socialista apostou na sua freguesia, a que tem o maior número de eleitores do concelho e que, por mais de uma vez, foi decisiva em eleições. Este fenómeno de ser “um homem da terra” permitiu-lhe obter 1904 votos, um número relevante se tivermos em conta que em 2017 o Partido Socialista tinha tido 841 votos, com uma lista que, curiosamente, também era liderada por uma Beneditense, Cláudia Vicente. Sendo os dois beneditenses, a diferença de votos entre as duas candidaturas apenas se pode justificar pela primeira ser uma mulher, ou por ser menos conhecida, ou por ter uma equipa em que menos se acreditou ou por não ter distribuído vales de 100€ pelos alunos das escolas.

A grande surpresa, no sentido negativo, foram os resultados do Nós Cidadãos, cujas expectativas chegaram a ser suficientes para uma sondagem lhes dar possibilidade de eleger um vereador e conseguiu ficar abaixo do Chega. Ou a mensagem não passou ou o efeito voto útil não lhes permitiu retirar votos ao Partido Socialista, partido do qual saíram parte dos candidatos do Nós Cidadãos. E não posso deixar de me referir ao IL, que fez uma boa campanha, bastante sóbria, a não entrar muito no hábito dos outros serem piores e prometia um resultado bem melhor.

A Câmara Municipal de Alcobaça fica, assim, com representação de apenas 2 partidos, 4 vereadores do PSD e 3 vereadores do PS, desaparecendo os partidos mais pequenos, tal como aconteceu há 4 anos os eleitores não confiaram à CDU a manutenção de um vereador e agora o mesmo aconteceu com o CDS.

Estamos perante um novo ciclo, perante um novo presidente de Câmara, que é vereador há 24 anos, juntando a esta experiência acumulada novas ideias e novos projetos, garantindo ao PSD o governo da autarquia por mais 4 anos. Os sociais-democratas têm ganho continuadamente as eleições desde 1997, primeiro Gonçalves Sapinho que afastou o socialista Miguel Guerra e fez 3 mandatos, seguindo-se Paulo Inácio com o mesmo registo de vitórias e agora Herminio Rodrigues.

As expectativas são grandes, as exigências do concelho são cada vez maiores e terá de existir disponibilidade de se olhar para as freguesias como um todo, mas, sem abdicar da identidade de cada uma.

Nuno Catita

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.