Edição: 251

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/10/27

Azambuja, Golegã, Muge e Coruche

Dança, estátuas humanas e arte urbana marcam programação em rede na Lezíria

Estátuas Vivas

“Dançar com… Vindimas”, uma produção de dança contemporânea da Academia de Dança do Círculo Cultural Scalabitano, com coreografia de São Noronha, tem estado em destaque na Programação em Rede, promovida pela CIMLT – Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, em colaboração com os municípios do território.

Projeto ancorado na participação de pessoas de cada concelho, através de uma semana de residência artística, apresentou-se no dia 30 de setembro, às 21H30, em Coruche, no Pátio do Museu Municipal, para uma plateia que acolheu o espetáculo de forma entusiástica, manifestada num longo aplauso que motivou a repetida vinda ao palco de bailarinos e participantes da comunidade.

A 5 de outubro o espetáculo volta a ser apresentado em Muge, na respetiva Casa do Povo, e a 10 do mesmo mês, na Golegã, no Museu Rural.

No desenvolvimento do projeto, ao prazer da dança, junta-se o ainda maior prazer da participação, da alegria do encontro com bailarinos e bailarinas profissionais, no desmistificar dos segredos da construção do espetáculo, no desvendar dos quadros que vão apresentando e representando as várias fases da ancestral fabricação do vinho e de como a dança pode ser um veículo para contar essa história fundada na noite dos tempos e tão relevante no nosso território.

Mas nem só de dança se faz a programação cultural da Lezíria. No dia 1 de outubro, entre as 18H00 e as 20H00, o centro da vila de Azambuja assistiu a um espetáculo insólito. Também aqui, depois de uma semana de residência artística, orientada pelos Quideia, uma empresa de criação artística sediada em Alpiarça, um grupo de azambujenses surpreendeu os seus conterrâneos com um Festival de Estátuas Humanas que incluiu a figura de Cristóvão Colombo.

O Festival integrou a iniciativa ARTÉRIA – Artes ao vivo, que o município local tem estado a promover e articulou-se com um conjunto alargado de outras ações culturais e artísticas de relevo, a suscitar a visita à nobre vila de Azambuja, que tem estado a viver intensamente esta programação cultural.

O Posto de Turismo e a Praça do Município foram os locais escolhidos para a apresentação dos trabalhos, que incluíram, para além do já referido Cristóvão Colombo, figuras como: o “Segredo” com Adelina Charneca, “Josephine” com Beatriz Marques, “Minerva” com Zuleica Lopes, “Rainha Santa Isabel” com Soledade Batalha e “A Peixeira” com Susana Almeida. A interação com a população primeiro algo surpreendida, mas logo plena de encanto, foi intensa e de forma a suscitar grande interesse.

Na terça-feira, feriado 5 de outubro, a partir das 15h00, também em Muge, junto à Casa do Povo, serão apresentados os trabalhos de Arte Urbana realizados no contexto da residência artística em curso desde o dia 1 de outubro, dirigida pelo artista BIGOD (João Domingos), com uma participação record de catorze participantes: Madalena Santos, Bruno Abrantes, Sofia Lima, Bernardo Cardoso, Catarina Simões, Leonor Gonçalves, Tatiana silva, Liliana Ferreira, Duarte Cebola, Beatriz Neves, Filipa Antunes, Lian Pedro, Jéssica Valério e Teresa Cardoso.

A “Lezíria Imaterial” é uma linha de programação cultural e artística, integrada no PA PeR – Plano de Ação Programação em Rede, uma organização do CIMLT – Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, em colaboração com os 11 municípios do território, e decorre até ao fim deste ano. Tem financiamento Alentejo 2020, Portugal 2020 e União Europeia.

     Fonte: CIMLT

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.