Edição: 251

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/10/27

Dois consórcios integram mais de oito dezenas de entidades

Região de Leiria submete projetos ao PRR que ultrapassam os 150 milhões euros

Edifício Nerlei em Leiria

Resultado do trabalho desenvolvido nos últimos 18 meses pelo Gabinete Económico e Social da Região de Leiria (GESRL) – liderado conjuntamente pela CIMRL (Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria), NERLEI (Associação Empresarial da Região de Leiria) e Politécnico de Leiria – a Região de Leiria apresentou no final de setembro duas manifestações de interesse para desenvolvimento de projetos, no âmbito das Agendas Mobilizadoras para a Inovação Empresarial, do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), que envolvem um investimento que ultrapassa os 150 milhões de euros e envolve mais de oito dezenas de entidades: Empresas; Sistema Científico e Tecnológico; Instituições de Ensino; Centros de Interface Tecnológica; Associações Empresariais e Comunidades Intermunicipais.

O projeto designado “VALET – – Valorização e Tratamento Bio-circular de Resíduos”, no âmbito das Agendas Mobilizadoras, contempla, um investimento total de 43,6 milhões de euros, para um horizonte temporal de 36 meses. É liderado pela empresa Ovolíder – Ovos do Centro, Lda, com a coordenação técnica da NERLEI, e apresenta-se a concurso com um consórcio de 21 entidades, no total.

Através do tratamento e valorização de resíduos de efluentes de suinicultura, avicultura, matadouros, águas ruças de lagares e/ou outras agroindústrias que, neste momento, estão na origem de problemas ambientais, a implementação do projeto VALET irá possibilitar o desenvolvimento de novos produtos como biofertilizantes sólidos e líquidos, rações para animais, energia e eco-materiais (argamassas, betões, materiais de enchimento e placas de isolamento), que revelam um elevado potencial de valorização no mercado.

Assim, pretende-se gerar novos conhecimentos e produzir novos bens e serviços de alto valor acrescentado, com base em princípios de economia circular, que conjuguem as dimensões ambiental, energética e de resiliência económica, apresentando uma amplitude de inovação alargada.

O projeto “Embalagens do Futuro”, candidato no âmbito dos Pactos de Inovação, apresenta um consórcio de 78 entidades nacionais, que irão cooperar na execução de um plano de atividades com duração prevista de 48 meses e um investimento total de 112 Milhões de euros.

Liderado pela empresa Vangest – Engenharia Financeira e Gestão, SA, tem a coordenação técnica do Politécnico de Leiria e inclui iniciativas inovadoras para a conceção e produção de novos produtos, processos e serviços capazes de transformar, de forma estrutural e concertada, o futuro da fileira de produção, comercialização e exportação de embalagens “Made in Portugal” para o mercado global. Pretende-se gerar novos conhecimentos e produzir novos bens e serviços de alto valor acrescentado, centrados num conceito disruptivo de “embalagem” que conjugue triplamente a dimensão da “Ecologia”, “Digitalização” e “Inclusão”.

Em síntese, este Pacto de Inovação consubstancia-se numa iniciativa mobilizadora de empresas e instituições de I&D, maioritariamente da Região de Leiria, que formam uma aliança comprometida em promover a especialização e a resiliência da economia portuguesa, através da alavancagem, da notoriedade e reputação da Embalagem Made in Portugal/Made in Europe nas cadeias de valor globais de elevado valor acrescentado.

A apresentação das Manifestações de Interesse para estes dois projetos e o envolvimento de um tão grande número de entidades nos dois consórcios, só foi possível devido ao trabalho que, no último ano e meio, tem sido feito pela Região de Leiria, no âmbito do GESRL.

Recorde-se que o GESRL foi criado a 13 de abril de 2020, em pleno início da pandemia de Covid-19 e em resultado de um memorando de entendimento entre entidades com atuação relevante na Região de Leiria: CIMRL (Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria), NERLEI (Associação Empresarial da Região de Leiria) e Politécnico de Leiria.

Este Gabinete foi criado com o objetivo de elaborar um “Plano de Medidas para o Novo Lançamento Económico e Social da Região de Leiria”, apoiado em 10 Grupos de Trabalho temáticos e com o envolvimento de personalidades e entidades, públicas e privadas, no processo de discussão, definição, planeamento e execução das medidas.

A 11 de maio de 2021 foram apresentadas, pelos três presidentes das entidades signatárias do GESRL, as ações estratégicas para o desenvolvimento da Região de Leiria até 2030, numa conferência, onde interveio também António Costa e Silva, na altura já nomeado presidente da comissão de acompanhamento do PRR.

Este trabalho prévio, que foi sendo feito de forma ponderada e alargada, permitiu posicionar a região na linha da frente, da resposta aos primeiros concursos abertos no âmbito do PRR.

    Fonte: Nerlei

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.