Edição: 252

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/11/27

Autarca é eleito pela primeira vez para o cargo de presidente

Gonçalo Lopes reassume Câmara de Leiria com 'energia, ambição, paixão e vontade de trabalhar'

Gonçalo Lopes

A cerimónia de tomada de posse dos órgãos municipais de Leiria teve lugar no dia 8 de outubro, no Teatro José Lúcio da Silva.  O pianista Sérgio Varalonga foi o convidado para o momento musical inicial da sessão, que contou com casa cheia.

Coube a António Sequeira, presidente da Assembleia Municipal cessante, dar posse aos eleitos e iniciar as intervenções políticas, recordando ter feito parte da primeira Assembleia Municipal eleita em democracia, em 1976, cessando agora funções no mesmo órgão, em 2021, como presidente, que em muito o honrou. No ínterim, exerceu ainda funções como vereador na Câmara Municipal de Leiria.

O autarca recordou os avanços na comunicação com os munícipes iniciados no seu mandato, como as transmissões das sessões da Assembleia Municipal transmitidas através da página de Facebook e que se irão manter no novo mandato. António Sequeira recordou ainda ter sido adquirido um edifício para sede da Assembleia Municipal, com auditório e gabinetes para os grupos parlamentares. O projeto para a reconversão do edifício já existe, pelo que espera que as obras possam avançar durante este mandato.

Álvaro Madureira, primeiro vereador eleito pelo PSD, único partido da oposição representado na Câmara Municipal, usou também da palavra para garantir que “a responsabilidade é a nossa bússola” e que a bancada do PSD irá bater-se pelas metas defendidas pelo partido na campanha eleitoral, como a despoluição do rio Lis, a ampliação do Hospital de Santo André, a abertura ao tráfego civil da Base Aérea de Monte Real e a requalificação da Linha do Oeste até ao Louriçal.

Contudo, o líder social-democrata também assegurou que se recusará a pactuar com “erros urbanísticos que perduram para o futuro” e lamentou a elevada abstenção verificada nas eleições autárquicas no concelho de Leiria, interpretando-a como “um cartão amarelo aos partidos”, que deve merecer a devida reflexão.

António Sequeira

Por fim, Gonçalo Lopes, presidente eleito da Câmara Municipal de Leiria, começou por sublinhar que assume “o compromisso de ser o presidente de todos os leirienses. Lutarei de forma igual para defender os interesses de cada um, sem exceção.”

“Não tenho palavras para descrever a gratidão pelo voto de confiança que me foi concedido pelos eleitores. Não tenho palavras, mas tenho energia, ambição, paixão e vontade de trabalhar”, garantiu o autarca que sucedeu na presidência a Raul Castro, a meio do anterior mandato, reafirmando também os cinco compromissos que assumiu quando apresentou a sua equipa e o projeto do PS a sufrágio.

Os cinco compromissos passam por “resolver definitivamente o problema dos efluentes suinícolas e requalificação da bacia do lis, melhorar a mobilidade, com mais e melhor estacionamento periférico e transportes escolares e urbanos não poluentes com horários atrativos e mais ciclovias numa perspetiva concelhia e não apenas urbana; atrair ao concelho mais habitação a preços controlados e renovada ou construída sob critérios de sustentabilidade e de promoção da vivência comunitária; apoiar a instalação no concelho de empresas criadoras de emprego qualificado; assumir a cultura e o desporto como fatores de coesão social.”

“Este é um caminho que pretendo percorrer com muita determinação, mas não sozinho. Leiria é um projeto coletivo, meu, dos eleitos para a Câmara e Assembleia Municipal, para as juntas e uniões de freguesia, mas também das associações, dos clubes, das escolas, das empresas, dos trabalhadores, das crianças, dos idosos, de todos para todos”, sublinhou.

Álvaro Madureira

O autarca deixou uma palavra aos presidentes de junta agora eleitos no sentido de colaborarem em prol de um concelho mais próspero e sustentável e aos colaboradores do município, deixando o seu compromisso de se “empenhar na melhoraria das condições de trabalho e valorização do papel de cada um dos colaboradores” e um apelo a que “continuem a vestir a camisola de Leiria, com espírito de equipa, sentido de missão, proatividade, exigência e orgulho.”

Aos munícipes deixou também um apelo: “Nos próximos 4 anos, peço-vos dedicação, esforço e, porventura, alguns sacrifícios durante um mandato que desejo pleno de conquistas. Apesar do muito que foi feito, apesar da longa luta que travámos contra a pandemia, a nossa ambição diz-nos que temos ainda uma montanha para escalar. Mais do que uma vitória, o resultado obtido nestas eleições coloca-nos perante a enorme responsabilidade de correspondermos à elevada espectativa e exigência que os leirienses depositam na nossa equipa. Que este mandato seja merecedor da confiança depositada em mim e na minha equipa.”

O PS conta com maioria absoluta na Câmara Municipal, tendo elegido oito vereadores, contra três do PSD, precisamente o mesmo resultado de há quatro anos.

Também na Assembleia Municipal, o PS tem maioria absoluta, com 18 eleitos (+1), contra 9 do PSD (-2), 2 do Chega, um CDS/MPT (-1), um do Bloco de Esquerda, um da CDU e um da Iniciativa Liberal. O PAN perdeu o seu único deputado eleito em 2017.

Em termos de Assembleias de Freguesia, o PS obteve a presidência de 15 Juntas de Freguesia (-1), contra três do PSD (+1).

     Mário Lopes

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.