Edição: 252

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/11/27

Movimento independente vai ter de procurar consensos

Vítor Marques preside à Câmara das Caldas com maioria do PSD na Assembleia Municipal

Vítor Marques

A cerimónia de instalação dos órgãos autárquicos eleitos a 26 de setembro para o mandato 2021-2025, do concelho de Caldas da Rainha, realizou-se no dia 11 de outubro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. Foram empossados os eleitos para a Câmara Municipal, Assembleia Municipal e presidentes de Junta. O novo executivo municipal é composto por Vítor Marques (Vamos Mudar), Joaquim Caetano (Vamos Mudar), Maria da Conceição Lima (Vamos Mudar), Fernando Tinta Ferreira (PSD), Hugo Oliveira (PSD), Maria João Domingos (PSD) e Luís Miguel Patacho (PS). O presidente da Assembleia Municipal é Lalanda Ribeiro (PSD)

Numa cerimónia com casa cheia, o cabeça de lista do movimento independente Vamos Mudar, que conquistou o município de Caldas da Rainha, após 36 anos de governação PSD e que sucede a Tinta Ferreira, destacou que quer trabalhar com todas as forças políticas e garantir o pluralismo democrático, através também do envolvimento das forças não representadas nos órgãos autárquicos.

Na sessão, intervieram ainda os representantes de todos os partidos eleitos, assim como o presidente de Câmara cessante, Tinta Ferreira, que fez um balanço “francamente positivo” da sua ação de mais de 25 anos executivos na autarquia, oito dos quais como presidente, onde procurou “dar o meu melhor em prol das Caldas e dos caldenses”.

Tinta Ferreira

Tinta Ferreira afirmou que “estamos hoje a terminar um ciclo e a iniciar outro”, porque “os eleitores que participaram no processo de votação consideraram ser necessário dar oportunidade a uma equipa diferente, na convicção de que será desenvolvido um outro modelo de intervenção, na gestão municipal, que proporcione mais e melhor do que até aqui”.

Tinta Ferreira que deixa agora de ser “o fazedor” regressará à sua atividade profissional, mas avisa que “serei atento ao trabalho desenvolvido e defenderei os nossos princípios de gestão e organização municipal”.

Por sua vez, Vítor Marques, cabeça de lista do movimento Vamos Mudar disse no seu discurso de tomada de posse, estar ciente de que “a confiança que o eleitorado depôs na solução que apresentámos, ancorada numa lista independente, comporta uma responsabilidade acrescida” que “saberemos assumir e tudo faremos para cumprir”.

O edil caldense lamentou que os resultados eleitorais do dia 26 de setembro tenham ditado o “afastamento de partidos que participaram na construção da democracia em Portugal e contribuíram para o desenvolvimento da cidade e do concelho no seu conjunto”, referindo-se ao CDS, Bloco de Esquerda e CDU, assumindo o compromisso de “garantir o pluralismo democrático, através do “envolvimento das forças não representadas nos órgãos autárquicos” nas decisões.

Lalanda Ribeiro mantém-se na presidência da Assembleia Municipal

Segundo Vítor Marques, “a possibilidade de participação de listas independentes “enriquece a participação cívica no processo decisório e abre novas perspetivas ao envolvimento ativo dos cidadãos na definição e implementação de políticas, sobretudo no plano de proximidade local”.

Questionado pelos jornalistas sobre o facto de não ter maioria absoluta para governar e se considera efetuar coligação para ter maioria, Vítor Marques afirmou que o seu “mote é contar com todos, PSD e PS e mesmo aqueles que não estão na Assembleia nem no Executivo”, pelo que “tivemos oportunidade de falar com todos e o desafio lançado foi que pudéssemos todos trabalhar juntos”.

O autarca afirmou que “o PSD fará o seu trabalho ao nível da oposição” e em relação ao PS “está em conversação um memorando de entendimento, onde haverá alguns pontos de convergência”, mas afiançou que “o PS não terá pelouro”.

Segundo Vítor Marques, “75% dos programas de todos os partidos são convergentes, se juntarmos todos para o mesmo sentido, as coisas vão ser fáceis de executar. É nesse sentido que eu acredito e não estou preocupado pelo facto de não termos maioria, porque todos queremos o bem para o nosso concelho”.

No que se refere à Assembleia Municipal, tomaram posse: António Curado (Vamos Mudar); Lalanda Ribeiro (PSD); Maria Jesus Fernandes (Vamos Mudar); Alberto Pereira (PSD); Joaquim Duarte (Vamos Mudar); Jaime Neto (PS); Filomena Rodrigues (PSD); Paulo Espírito Santo (PSD); Luís Rolim de Oliveira (Vamos Mudar); Rodrigo Amaro (PSD); Luís Paulo Batista (Vamos Mudar); Pedro Seixas (PS); Maria Susana Costa (PSD); Inês Ferreira Fouto (Vamos Mudar); André Cardeal dos Santos (PSD); João Miguel Gomes (Vamos Mudar); Pedro Miguel Marques (PSD); Inês Vieira Alves (Vamos Mudar); Vânia Almeida (PS); José Luís Almeida (Vamos Mudar) e Mara Marques (Vamos Mudar).

Membros eleitos da Câmara e Assembleia Municipal

Na Assembleia Municipal têm assento por inerência os presidentes das juntas de freguesia eleitos: pela freguesia de A-dos-Francos – Paulo Jorge Sousa (PSD); Alvorninha – José Fernando Henriques (PSD); Carvalhal Benfeito – Carlos Freitas (PSD); Foz do Arelho – Fernando Luís Sousa (MIFA); Landal – Armando Monteiro (PSD); Nadadouro – Maria Alice Gesteiro (PSD); Salir de Matos – Flávio Jacinto (PSD); Santa Catarina – Fernando Fialho (PSD); Vidais – Rui Filipe Henriques (PSD); União de Freguesias de Caldas, Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório (Vamos Mudar); União de Freguesias de Santo Onofre e Serra do Bouro – Nuno Aleixo dos Santos (Vamos Mudar) e União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto – João Lourenço (PSD).

Apesar de conquistar a Câmara Municipal, o Movimento Vamos Mudar não obteve maioria na Assembleia Municipal. Foram eleitos 10 deputados pelo Vamos Mudar e 2 presidentes de junta; pelo PSD 8 deputados e 9 presidentes de junta; pelo PS 3 deputados e o MIFA – Movimento Independente da Foz do Arelho elegeu um presidente de junta. Assim, o presidente da Assembleia Municipal é Lalanda Ribeiro (PSD). O PSD, que venceu na maioria das freguesias, é o partido com mais representantes naquele órgão e apresentou uma lista própria, que reuniu a maioria dos votos. Após votação, a mesa da Assembleia Municipal é composta pelos deputados do PSD Lalanda Ribeiro, Pedro Marques (1º secretário) e Maria Alice Gesteiro (2ª secretária).

       Mónica Alexandre

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.