Edição: 252

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/11/27

Espetáculos “Alcobaça com Graça”,, “Ópera de bolso a partir de Salvador Dalí”, “Seja um ditador em 10 passos! e “Fado Improvável”

Artes de Palco encerra com artistas de Alcobaça, Sofia Bernardo, Ensemble Darcos e Nuno Santos

Cartaz

O Festival Artes de Palco encerra no final deste mês de outubro, com a atuação de um grupo de artistas de Alcobaça, na comédia “Alcobaça com Graça”, sábado, dia 23 de outubro, no Cine-teatro de Alcobaça, seguindo-se Ensemble Darcos, no concerto “Ópera de bolso a partir de Salvador Dalí”, domingo, dia 24, integrado no Cistermúsica. No último fim de semana do mês, a atriz Sofia Bernardo traz o monólogo “Seja um ditador em 10 passos!, sexta-feira, dia 29, ao Centro Cultural Gonçalves Sapinho, e Nuno Santos, apresenta “Fado Improvável”, sábado, dia 30 de outubro, no Cine-Teatro de Alcobaça.

    Programa

Multidisciplinar
“Alcobaça com Graça”
23 outubro de 2021 | 21h30
Cine-Teatro de Alcobaça

Alcobaça com Graça” é um espetáculo de humor, exclusivamente feito por artistas de Alcobaça, onde o grande homenageado é o riso! Pretende juntar artistas e coletividades do Concelho de Alcobaça que trabalham ou já trabalharam conteúdos de humor. É um espetáculo eclético onde pretendemos contar com teatro, stand up comedy, música, poesia cómica, contadores de anedotas, enfim, uma ode à boa disposição e ao humor feito por gentes de Alcobaça.

Atuações de Troika, Sofia, Marisa, Pó de Palco e Oscar

Preço: 5€ | M/6 | Duração: 90min
Bilhetes à venda: Cine-Teatro de Alcobaça, Tesouraria dos Paços do Concelho, Centro Cultural Gonçalves Sapinho

Cistermúsica :: La Vida Secreta
24 outubro de 2021 | 17h00
Cine-Teatro de Alcobaça
Ensemble Darcos
Ópera de bolso a partir de Salvador Dalí

Esta ópera de bolso retrata o mundo surreal do pintor espanhol Salvador Dalí através dos olhos da sua companheira-musa Gala. Tendo como única protagonista a figura de Gala, interpretada pela soprano espanhola Conchi Moyano, revela a mulher como inspiração múltipla e central no desenvolvimento do surrealismo ímpar de Dalí, e serve como ponto de partida para uma transposição do universo da sua obra aos dias de hoje, onde a digitalização das relações tomou proporções desafiantes e absurdas. Gala como a mulher que não assistiu ao movimento #MeToo, mas… e se tivesse participado, haveria Dalí? As girafas continuariam o seu passeio exótico de pernas longas?

Nuno Côrte-Real

Para que a música soe, deve existir, previamente, o silêncio. Assim como nenhum mar pode abrir-se sem a certeza, por mais longínqua que seja, de que um pedacinho de terra firme aguarda escondido no vinco da dobra de algum mapa.

Tampouco não há primavera sem inverno. Floresta sem raízes. Paraíso sem purgatório. Luz sem escuridão. Ouro sem lama. Lucidez sem loucura. Risada leve sem que antes (nos) tenha pesado o sangue nas veias. Ying sem yang. É necessário conhecer o Sul para, talvez, um dia, vir quase a compreender o coração do Norte. E vice-versa.

O mesmo acontece quando se trata de conhecer ou, pelo menos, tentar conhecer a vida secreta da vida de Salvador Dalí. Como falar do ídolo sem escutar o homem? Como falar do génio sem invocar a fada?

Por tudo aquilo, se uniram nesta proposta Gala e o universo. Pois, quem melhor do que a estrela polar do artista para guiar-nos de ouvido na odisseia a todos os seus centros?

Elena Ivávnova Diakonova submete-se, assim, a uma singular sessão de psicanálise que se aproxima de uma oração. Durante esta, o público também terá que fechar os olhos para começar a ver.

Brincando de tela em tela, de verso em verso e de memória em memória como o veleiro que ara a fé de ilha em ilha, Gradiva colocará nas mãos do espetador, tudo ao mesmo tempo, uma faca afiada e uma flor em vias de extinção: as chaves-mestras das portas sem retorno às profundezas da consciência irrepetível de Daliniana.

Texto de Martha Asunción Alonso

Nuno Côrte-Real, música e direção musical
Martha Asunción Alonso, libreto
Carlos Antunes, encenação e cenografia
Conchi Moyano, soprano
Jesus Ramos, voz off

Nuno Braz de Oliveira, figurinos
Zeca Iglésias, desenho de luz
Fátima Sousa, caracterização
Rafaela Figueiredo, Júlio Antunes, André Lopes, vídeo
Carlos Antunes, Karina Jeppesen, conceção e coordenação de vídeo
Carlos Antunes, tradução do libreto e legendagem
Virgílio da Silva Coelho, construção de cenário

Ensemble Darcos

Emanuel Salvador, violino
Reyes Gallardo, viola
Filipe Quaresma, violoncelo
Rodrigo Lima, saxofone
Hélder Marques, piano

Inês Mesquita, co-repetição

Agradecimentos: Reginacork, S.A.

Entrada Livre
Levantamento de bilhete no local no próprio dia a partir das 15h00 e até 30 minutos após o início do espetáculo.

29 outubro de 2021 | 21h30
Centro Cultural Gonçalves Sapinho

Sofia Bernardo
“Seja um ditador em 10 passos!
Monólogo teatral

A vida arrasa uma mulher de meia idade. Perdeu o trabalho, o amor, a amizade. No meio de pensamentos sobre tudo o que a rodeia, decide dar a volta à sua vida e conquistar a coisa mais importante para a humanidade: Poder. Esta comédia, que nos fala do que de mais tabu há dentro de cada um nós, o desejo da admiração, é uma forma muito bem-disposta de pensar como é que sentimentos como o ódio, a raiva e a frustração podem dominar a nossa vida e mostrar o nosso lado ridiculamente humano.

Ficha Técnica:

Texto e Interpretação: Sofia Bernardo
Cartaz: ÉDesign
Construção de Cenários: João Bernardo
Figurinos e Adereços: Lurdes Ferreira
Desenho de Luz e Som: Eurico Daniel
Produção: Sofia Bernardo e Eurico Daniel

Preço: 5€ | M/14 | Duração: 70min

Bilhetes à venda: Cine-Teatro de Alcobaça, Tesouraria dos Paços do Concelho, Centro Cultural Gonçalves Sapinho

Nota: espetáculos sujeitos a confirmação mediante avaliação da situação pandémica

30 outubro de 2021 | 21h30
Cine-Teatro de Alcobaça
Nuno Santos
Um Violino nos locais mais improváveis
“Fado Improvável”

O violinista Nuno Santos é um músico e aventureiro português, conhecido por tocar violino nalguns dos locais mais remotos e extremos do mundo. Durante mais de 15 anos, o Nuno tem tocado o seu violino nalguns dos ambientes mais desafiantes do planeta.

Das mais altas montanhas dos 7 continentes às maiores ondas dos 7 mares, “Um Violino nos locais mais improváveis” é um projecto de exploração cultural e natural que tem ganhado notoriedade internacional pelo conceito improvável de aventura, arte & cultura.

Um Violino nos locais mais improváveis” é um projecto único, que realça a importância da criatividade e diferenciação.

É uma abordagem poética e inspiradora que contrasta a fragilidade de um violino com a hostilidade de cenários extremos de mar & montanha, traduzindo, metaforicamente, o equilíbrio entre opostos.

Preço: 5€ | M/6 | Duração: 75min
Bilhetes à venda: Cine-Teatro de Alcobaça, Tesouraria dos Paços do Concelho, Centro Cultural Gonçalves Sapinho

     Sobre o festival novo palco

Uma das áreas mais prejudicadas pela pandemia do novo coronavírus Covid-19 foi a cultura, que engloba artistas, autores, compositores, técnicos de som, de palco e de multimédia, entre muitas outras profissões ligadas a este enorme setor.

No sentido de apoiar os agentes culturais locais, a Câmara Municipal de Alcobaça apresenta o festival NOVO PALCO, um evento cultural multidisciplinar com artistas e grupos do concelho, a ter lugar no Cine-Teatro de Alcobaça e no Centro Cultural Gonçalves Sapinho.

Programação completa em https://www.cineteatro.cm-alcobaca.pt/

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.