Edição: 253

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/12/1

Através do Serviço Municipal de Proteção Civil

Câmara da Marinha Grande previne inundações e alerta para prevenção da população

Ação preventiva de limpeza de uma linha de água

O Município da Marinha Grande está a tomar medidas no âmbito da prevenção de inundações e alerta a população para a previsão de ocorrência de chuva persistente e/ou forte para os próximos dias e até, pelo menos, ao fim de semana.

O Serviço Municipal de Proteção Civil está a monitorizar a evolução do estado meteorológico em conjunto com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Leiria.

Foi realizada a vigilância das linhas de água, sargetas, sumidouros ou bermas, quanto à sua limpeza, estando a atuar em estreita colaboração com as Juntas de Freguesia, nos casos em que é necessária a sua desobstrução.

Foram encetados contactos com os Comandos dos Bombeiros Voluntários para análise e monitorização da situação e com o Capitão do Porto da Nazaré para análise e monitorização da situação na nossa costa.

Efeitos previstos

Face à previsão de chuva persistente, por vezes forte, para os próximos dias, o Município da Marinha Grande alerta para o facto de poderem ocorrer os seguintes efeitos:

− Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;

− Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;

− Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;

− Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;

− Danos em estruturas montadas ou suspensas;

− Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;

− Possibilidade de queda de ramos ou árvores devido ao vento mais forte;

− Possíveis acidentes na orla costeira.

Medidas de autoproteção

O Serviço Municipal de Proteção Civil recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

− Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

− Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;

− Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

− Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;

− Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;

− Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis;

− Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

   Fonte: GCRP|CMO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.