Edição: 253

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/12/1

Alcobaça

Utentes do Centro de Saúde da Cela fazem ultimato ao ACES Oeste Norte

Intervenção dos oradores junto ao Centro de Saúde da Cela

Mais de meia centena de populares participaram no dia 9 de novembro, na vigília organizada pela comissão dos Utentes do Centro de Saúde da Cela, Alcobaça, como forma de protesto pela falta de clínicos naquele centro de saúde. Após a iniciativa ficou decidido pelos utentes que caso até ao final desta semana, ou seja, sexta-feira, dia 12 de novembro, a responsável pelo ACES Oeste Norte, Ana Pisco, não assine o documento que permite que o Centro de Saúde da Cela passe a ser um pólo da USF Pedro e Inês, os celenses irão em manifestação até junto dos serviços do ACES Oeste Norte.

Segundo David Santos, “há doentes concológicos que necessitam de credenciais para tratamento, outros de exames complementares. Doentes que precisam de encaminhamento médico para consultas de especialidade ou mesmo aqueles que não obtêm receituário”, pelo que “não podemos permitir mais o arrastar desta situação, chegou ao limite. Não podemos deixar que brinquem com a nossa saúde”.

O representante da comissão de utentes questiona o porquê da “não criação de uma USF Cela, Alfeizerão e São Martinho do Porto” ou “porque não a integração do polo Cela na USF Pedro e Inês”, visto que existem cerca de 3 mil celenses sem médico de família e aqueles que conseguem obter consulta também deixarão de ter uma vez que o médico também irá reformar-se.

David Santos lembrou que “muitos utentes sentiram na pele o que é não ter médico de família, o que é esperar noites ao frio, ao relento, a dormir dentro de um carro, à espera por uma consulta que pensavam que iam ter, que depois não têm e que não sabem quando vão voltar a ter”, pelo que “precisamos fazer alguma coisa, o nosso centro de saúde está a morrer”.

População promete manifestar-se junto à sede do ACES Oeste Norte, nas Caldas da Rainha, se o problema não for resolvido

O celense considera que “se a senhora presidente do ACES Oeste Norte acha que não tem condições para dar resposta aos problemas graves que enfrentam os centros de saúde sob a sua tutela, nomeadamente o da Cela, Alfeizerão e São Martinho do Porto, então que se demita”.

Por sua vez, Paulo Eusébio, presidente de Junta de Freguesia da Cela, informou os populares de que desde maio de 2021 existem conversações com a USF Pedro e Inês em Alcobaça, sendo que a “proposta é que este centro de saúde passe a ser um Pólo da USF Pedro e Inês. Com médico de família das 8h30 às 17h e depois das 17h até às 20h os utentes podem ser consultados na USF Pedro e Inês em Alcobaça”.

Paulo Eusébio afirmou também que segundo “aquilo que a directora da USF Pedro e Inês transmitiu é que tem que ser a directora do ACES Oeste Norte, Dra. Ana Pisco, a assinar para nós passarmos a ser um pólo da USF Pedro e Inês”, mas “tivemos uma reunião com a Dra. Ana Pisco, onde ela disse que não é da tutela dela, que não é ela que manda, que é alguém em Lisboa que manda”.

Segundo o autarca da Cela, a Junta de Freguesia está do lado dos utentes “estamos a fazer todos os esforços para passar para a USF Pedro e Inês em Alcobaça, só é preciso que a Dra. Ana Pisco assine preto no branco. Temos insistido várias vezes junto da Dra. Ana Pisco, com várias reuniões e ela continua a insistir que não é ela. Estamos à espera que ela diga que vamos para a USF Pedro e Inês. Vamos ficar melhor, garanto-vos. Vai haver um médico aqui, um enfermeiro, outro administrativo, só não sabemos é quando”, concluiu.

Centro de Saúde da Cela deverá integrar a USF Pedro e Inês

Por sua vez, o vereador da Câmara de Alcobaça, Paulo Mateus, considerou que “temos que nos manifestar, que nos fazer ouvir, temos que nos valer de tudo o que estiver ao nosso alcance para pressionar esta senhora, a resolver um assunto que à partida não é muito difícil de resolver. A USF Pedro e Inês tem médicos que aceitam vir para a Cela trabalhar, tem administrativos que aceitam vir para a Cela trabalhar, tem enfermeiros que aceitam vir para a Cela trabalhar, só não tem é autorização da Dra. Ana Pisco. Não pode ser assim”.

Para o vereador, “uma população não pode ser prejudicada porque aquela senhora não despacha um assunto que está para despacho dela desde Maio”, acrescentando que “o município está do lado da população. Tanto o anterior presidente da Câmara como o atual pressionaram e continuam a pressionar para que haja uma decisão. Espero que, com a nossa pressão de hoje, com a pressão que a junta de freguesia e a Câmara Municipal têm feito, se consiga arranjar uma solução”.

Em relação às instalações do Centro de Saúde da Cela, tanto Paulo Eusébio como Paulo Mateus reconhecem que “não temos as melhores condições”, adiantando que a Junta de Freguesia está a trabalhar no projecto de requalificação do centro de saúde e que “assim que esteja terminado, a Câmara Municipal assume a verba para transformar este centro de saúde num centro de saúde condigno”, afiançou Paulo Mateus, sendo coadjuvado por Paulo Eusébio que garantiu que “queremos criar condições para os utentes e para quem aqui trabalha”.

No final da vigília, e por proposta de um popular, foi decidido entre os participantes, que iriam solicitar ao município de Alcobaça, que mais uma vez pressione o ACES Oeste Norte, e nomeadamente a sua diretora Ana Pisco, a assinar o documento que permite a passagem do Centro de Saúde da Cela para pólo da USF Pedro e Inês, em Alcobaça. Caso esse documento não seja assinado até dia 12 de novembro, a população irá em manifestação até às Caldas da Rainha e “só sairá quando a Dra. Ana Pisco assinar o papel”.

     Mónica Alexandre

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.