Edição: 253

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/12/1

Ministério do Mar e Docapesca asseguram 2ª edição depois do sucesso deste ano

Expo Fish Portugal: setor da pesca deve gerar já em 2022 negócios superiores a 2019

Ricardo Serrão Santos, ministro do Mar

A Expo Fish Portugal termina em Peniche com a garantia de que o pescado português está na rota dos mercados internacionais, com perspetivas de ultrapassar os valores de pré-pandemia já em 2022, no que respeita às exportações, ao volume de negócios internos, e ao volume de investimento expectável na indústria e no setor.

O sucesso internacional da feira, as perspetivas de negócio geradas, e a procura crescente deste tipo de plataforma, levam a organização a anunciar de imediato, a segunda edição da Expo Fish Portugal para 15 e 16 de novembro do próximo ano.

“Portugal teve pela primeira vez um espaço virtual de promoção do setor das pescas para alavancar a exportação, como estratégia crucial para a economia portuguesa e para o setor que se revelou um sucesso, quer pelo número de expositores participantes, quer pela dinâmica e características únicas do evento, que está a potenciar negócios aos intervenientes e ao país”, referiu Teresa Coelho, secretária de Estado das Pescas, no segundo dia do evento.

A feira gerou 305 reuniões entre 80 expositores e 450 visitantes importadores, de mais de 30 mercados internacionais. As conferências híbridas tiveram 2.000 visualizações e a plataforma do evento teve cerca de 3.000 visualizações.

Teresa Coelho, secretária de Estado das Pescas

O objetivo principal da realização da Expo Fish Portugal, ‘é contribuir ativamente para manter a tendência de crescimento sustentável das exportações” refere Sérgio Faias, Presidente do Conselho de Administração da Docapesca, e já é expectável que “feira contribua para superar os valores das exportações pré-covid, e colocar o setor nos níveis ascendentes dos anos anteriores” conclui.

A Expo Fish Portugal reuniu empresas portuguesas com o mercado internacional, e espera-se que estas reuniões contribuam para a retoma na tendência crescente das exportações dos produtos da pesca da última década. De notar que o pescado português é o produto agroalimentar com maior peso nas exportações do país, e o setor gera anualmente um volume de exportações de mais de 1.000M€, tem um valor acrescentado bruto de cerca de 1.7 mil M€, e emprega mais de 60 000 pessoas.

Na conferência, foram discutidos não só o futuro do setor, considerando a conservação dos recursos e dos ecossistemas marinhos, mas também abordagens inovadoras centradas no crescimento, desenvolvimento e sustentabilidade social e económica dos pescadores e aquicultores. A Expo Fish Portugal serviu também para discutir novas abordagens ao mercado; oportunidades de financiamento e desenvolvimento do negócio; apresentação de novos produtos e serviços; a valorização sustentável; e a qualidade do pescado português.

Uma nota importante no que toca à transformação de pescado, é que Portugal importa muito mais pescado do que aquele que pesca e produz, e a indústria transformadora atenua o déficit na balança comercial de produtos da pesca, pela sua relevância nas exportações.

Espera-se que em 2022, o sucesso da feira seja ainda maior, com mais expositores e com mais mercados interessados em fazer negócios com Portugal e com a indústria portuguesa, que tem um peso muito significativo na vida económica do país.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.