Edição: 253

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/12/1

Aurélio Ferreira quer CIMRL a candidar-se a fundos europeus para a aquisição de meios e equipamentos de apoio

Marinha Grande acolheu reunião distrital do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais

Reunião de balanço do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) 2021

Decorreu no dia 16 de novembro, no auditório do Centro Empresarial, na Zona Industrial do Casal da Lebre, na Marinha Grande, a reunião de balanço do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) 2021, que esteve operacional entre 15 de maio e 31 de outubro.

A reunião foi organizada pelo comando distrital de operações de socorro da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), Guarda Nacional Republicada (GNR) e Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).

Além destas entidades, estiveram presentes representantes dos corpos de bombeiros e serviços municipais de proteção civil do distrito, a Polícia Judiciária, as Infraestruras de Portugal e o Instituto da Segurança Social, que foram recebidos pelo presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Aurélio Ferreira, e pelo vereador com o pelouro da Proteção Civil, António Fragoso.

Assistência presente do Centro Empresarial na Zona Industrial do Casal da Lebre

Foram debatidos os bons resultados do distrito, o melhor da última década em área ardida e número de ignições, que não será só fruto das condições meteorológicas favoráveis, mas também do forte empenho dos corpos de bombeiros, apostando num bom ataque inicial, uma resposta eficaz dos meios aéreos, a articulação entre as diversas forças operacionais e o recurso às tecnologias de informação, tanto no terreno como nas salas de operações, nomeadamente com recurso a câmaras de videovigilância nas áreas florestais.

No final, o presidente da Câmara agradeceu o trabalho e a presença de todos e informou que levará à reunião da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria algumas das preocupações que foram levantas pelos presentes, nomeadamente a falta de meios humanos e a possibilidade de abrirem candidaturas a fundos europeus para a aquisição de meios e equipamentos de apoio, que poderão passar por máquinas de rastos e tratores agrícolas, para proceder à gestão de combustíveis junto dos aglomerados urbanos.

  Fonte: GCRP|CMMG

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.