Edição: 253

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/12/1

Bid Book da candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura foi entregue ao Júri Europeu

Rede Cultura 2027 caminha para “um novo fundamento da Cultura do nosso território”

Entrega do “Bid Book” na estação dos CTT de Leiria

Foi entregue no dia 18 de novembro, na estação dos CTT de Leiria o Livro de Candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027, o “Bid Book”, assinalando o cumprimento da primeira etapa oficial na corrida a Capital Europeia da Cultura. Sob o lema “Curate the Commons” ou “Curar o Comum”, esta candidatura liderada por Leiria congrega as vontades de 26 municípios, alcançando mais de 800 mil habitantes e totaliza quase 6.000 km2 de extensão. Prevê-se que o anúncio dos finalistas seja conhecido em março de 2022.

O Bid Book foi entregue, às 12h27, pelo presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes; pelo coordenador do grupo executivo da Rede Cultura 2027, Paulo Lameiro e por Ana Bonifácio e Lígia Afonso, duas das redatoras do Bid Book. Após a entrega do livro, seguiu-se na sede da candidatura Rede Cultura 2027, no Mercado de Santana, uma conversa sobre o percurso e o significado desta candidatura para a região.

Segundo Paulo Lameiro, “estamos a meio do caminho. Passaram seis anos e temos mais seis anos. Se conseguirmos o título serão seis anos para ser Capital Europeia da Cultura, se não tivermos o título, temos seis anos para caminhar para um novo fundamento da cultura do nosso território”.

Por sua vez, Gonçalo Lopes salientou “o sentimento coletivo” que se sente com a entrega da candidatura, confirmando que “quando se trabalha com estratégia e com as pessoas, conseguimos mudar o território e a vida dos seus habitantes”, acrescentando que “como a Europa é composta por diferentes países, também a nossa Rede é formada por diferentes intervenientes”.

Bid Book tem como tema “Curar o Comum”

Segundo o edil leiriense “nos últimos 10 anos, a Cultura passou a ser a imagem de Leiria. Até aqui tínhamos a autoestima reduzida em termos de Cultura, mas a verdade é que temos talento”, pelo que “quando percebemos que o território de Leiria era pequeno para a ambição que tínhamos, pegamos nos argumentos para ir mais além e juntos criamos esta Rede forte que está na linha da frente” neste processo de candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027.

Sob o lema “Curate the Commons”, em inglês, ou, “Curar o Comum”, em português, assim se apresentou a candidatura que, apesar de não ter tradução “literal”, pretende aludir a “um território da cura, das águas termais, da hospitalidade, da peregrinação, do encontro… este é um território protótipo da Europa”. “O curar é também regenerativo, curar as feridas, como Pedrogão Grande e o Pinhal de Leiria, positivando o que de mau aconteceu nesta região ou chamando a atenção para a revitalização dos nossos centros históricos”, explicou Ana Bonifácio.

Por sua vez, Lígia Afonso lembrou que o curar também se refere à curadoria, “os que cuidam das obras”, pelo que os responsáveis pela candidatura chamaram e ouviram “os agentes culturais do território e esta candidatura foi construída em cima das suas necessidades”. “Curar, ouvir, cuidar. Queremos apostar no passado para criar marcas de futuro”, rematou.

Ana Bonifácio acrescentou ainda que o “comum” do lema da candidatura, o vulgar, é a definição da expressão “pessoas vulgares são capazes de feitos invulgares”. “Este talento que nos torna comuns traz este lado coletivo que nos distingue”. A autora do Bid Book frisou que “esta candidatura não vai construir infraestruturas, mas antes vai regenerar e recuperar o que existe no território”.

A Rede Cultura 2027 tem Leiria como ponto de partida, mas agrega 25 outros concelhos, a Diocese, dois Politécnicos e uma Associação Empresarial, que tecem uma malha diversificada e que alcança mais de 800 mil habitantes, e que totaliza quase 6.000 km2 de extensão, com uma distância superior a 170 km entre os seus extremos.

Lígia Afonso, Ana Bonifácio, Gonçalo Lopes e Paulo Lameiro

Fazem parte desta candidatura os municípios de Alcanena, Alcobaça, Alenquer, Alvaiázere, Ansião, Arruda dos Vinhos, Batalha, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Lourinhã, Marinha Grande, Nazaré, Óbidos, Ourém, Pedrógão Grande, Peniche, Pombal, Porto de Mós, Sobral de Monte Agraço, Tomar, Torres Novas e Torres Vedras.

Além da candidatura liderada por Leiria, concorrem a Capital Europeia da Cultura 2027 Aveiro, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Funchal, Guarda, Oeiras, Ponta Delgada, Viana do Castelo e Vila Real.

O júri anunciará durante o mês de Março de 2022 quais as candidaturas que passam à fase final, enquanto o anúncio da Capital Europeia da Cultura 2027 vai ocorrer em dezembro de 2022 ou janeiro de 2023. A escolha é da responsabilidade de um júri de peritos independentes, com membros nomeados pelo Parlamento Europeu, Conselho Europeu, Comissão Europeia, Comité das Regiões e pelo Ministério da Cultura português

Mónica Alexandre

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.