Edição: 254

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/1/23

Caldas da Rainha

Conjunto fotográfico no Centro de Artes retrata o ciclo de decadência dos Pavilhões do Parque D. Carlos I

Fotografia do interior de um dos Pavilhões do Parque

Médico cirurgião plástico, de profissão, João Mota da Costa desenvolve trabalho autoral, ao longo dos anos, na área da fotografia. Conta com várias exposições a título individual, de Abstrações, a Lunch Time Affair, Pin e Do Outro Lado do Espelho. Expõe agora o seu novo trabalho, que retrata o ciclo de decadência dos Pavilhões do Parque D. Carlos I.

Vai estar patente até 4 de janeiro de 2022, exposição fotográfica de João Mota da Costa, no espaço Concas | Centro de Artes das Caldas. A obra em exibição retrata o tempo de vida desta edificação histórica da cidade das Caldas da Rainha.

“E agora?” documenta o final de um ciclo de acumulação e degradação do espaço desenhado no final do século XIX, por Rodrigo Berquó. As fotografias mostram um local amplo, repleto de luz, onde os seus residentes habituais são pombos. Pelo que a obra deixa no ar um conjunto de questões: “A que nova existência se vai prestar o espaço?”; “Chegará a ser reabilitado?”; “Terá novas funções, para o qual não foi concebido?”.

Esta última questão põe-se, precisamente, porque o edifício serviu vários usos durante a sua existência. Os 7 pavilhões estiveram destinados a receber as enfermarias do Hospital Termal da cidade das Caldas, o que nunca chegou a acontecer. Durante os anos ativos alojaram uma biblioteca, uma escola, uma esquadra da polícia, um quartel militar e até a redação de um jornal.

Só em 2016, ao abrigo do programa de reabilitação de património para fins turísticos (REVIVE), e com a integração na lista de edifícios históricos, já sob a tutela da Câmara Municipal das Caldas da Rainha é que o edifício vem a ser reconvertido. A fim de tornar-se uma unidade hoteleira, foram investidos 12 milhões de euros, na sua recuperação. Sendo que no ano seguinte é atribuída concessão ao Grupo Visabeira. Posteriormente começam os trabalhos de limpeza e reconversão.

É neste entretanto, em 2017, que João Mota da Costa inicia uma série de visitas fotográficas aos pavilhões, visitações que culminam agora na exibição presente no Espaço Concas, que pertence ao Centro de Artes.

Esta é uma estrutura da Câmara Municipal das Caldas da Rainha dedicada à preservação do património artístico do concelho, bem como ao incentivo para o desenvolvimento das artes dentro do espaço geográfico municipal. Integra diversas infraestruturas, entre as quais um dos mais significativos núcleos de escultura portuguesa do século XX, que têm vindo a ser criadas pela Município das Caldas da Rainha, desde há três décadas. O apoio à produção artística e promoção de atividades de âmbito cultural, têm sido o seu propósito.

Oferece ainda, a artistas e estudantes, condições propícias para aprofundarem e desenvolverem os seus trabalhos, enquadrados em programas de residência temporária e parcerias institucionais privadas.

    Fonte: ABDBC

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.