Edição: 254

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/1/23

Mais de 50% dos casos são não urgentes

Afluência aos Serviços de Urgência do Centro Hospitalar do Oeste duplicou no início de janeiro

Novas instalações da Área de Atendimento Respiratório (ADR-SU) da Unidade de Caldas da Rainha

O Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oste informa que tem havido uma grande afluência de doentes aos Serviços de Urgência do CHOeste e às Áreas de Atendimento Respiratório (ADR-SU), o que tem provocado alguns constrangimentos no atendimento dos doentes que acorrem a estes Serviços.

Na segunda-feira, 3 de janeiro, estiveram retidas algumas macas das corporações de bombeiros, por motivos de sobrelotação dos espaços e impossibilidade de admissão de novos doentes em condições de segurança, no interior do Serviço de Urgência da Unidade de Caldas da Rainha. Atualmente a situação já foi ultrapassada, não existindo macas retidas.

De acordo com os dados de segunda-feira, foram atendidos na Urgência Geral da Unidade de Caldas da Rainha 155 doentes, quando no mesmo dia de 2021 o número de atendimentos restringiu-se aos 87. No que respeita ao ADR-SU de Caldas da Rainha, foram ontem atendidos 58 doentes, contra os 14 admitidos no mesmo dia do ano, em 2021.

Já na Unidade de Torres Vedras, a situação de elevada procura é idêntica. Foram admitidos na segunda-feira, 149 doentes na Urgência Geral (no mesmo dia de 2021, foram 109) e 49 no ADR-SU (no mesmo dia de 2021, foram 23).

Importa referir que uma parte dos doentes (35% na Urgência Geral e mais de 50% nos ADR-SU) que têm acorrido a estes Serviços, são doentes com prioridade clínica verde (pouco urgente) do Protocolo de Triagem de Manchester, que poderiam ter resposta noutros locais. Verifica-se ainda uma procura dos Serviços de Urgência apenas para a realização de testes COVID, que em nada beneficia a capacidade de resposta para os doentes efetivamente urgentes.

Tendo em conta a elevada afluência aos Serviços de Urgência, apela-se aos utentes que utilizem as urgências hospitalares apenas em situações realmente urgentes.

Apela-se ainda à responsabilidade individual e coletiva da população no cumprimento das medidas de proteção contra a COVID-19, como o uso de máscara, o distanciamento físico, a ventilação dos espaços, a lavagem das mãos, a testagem e a vacinação.

O Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste continuará a adotar as medidas necessárias para dar a melhor resposta na prestação de cuidados de saúde à população da região Oeste.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra.

  Fonte: GC|CHO

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.