Edição: 258

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/5/17

Candidatos do PSD a deputados por Leiria e Conselho de Administração reuniram

Centro Hospitalar de Leiria admite falta de recursos humanos e cansaço das equipas

Candidatos do PSD com o Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria

Uma comitiva da lista de candidatos do Partido Social Democrata (PSD) a deputados por Leiria reuniu esta sexta-feira, dia 14 de janeiro, com os membros do Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), no Hospital de Santo André (HSA), em Leiria.

Neste encontro, Licínio de Carvalho, presidente do CA do CHL, sublinhou os principais desafios que o centro hospitalar enfrenta, como a dificuldade de recursos humanos, destacando os obstáculos sentidos para a fixação de médicos. «Há também um problema no método de recrutamento dos médicos especialistas. São abertas vagas que depois ficam vazias. Devia existir um modelo de distribuição de recursos com mecanismos de compensação do vencimento», explicou Licínio de Carvalho.

O presidente do CA referiu ainda a falta de autonomia da instituição para a contratação de profissionais, até mesmo para substituição de pessoas, e realçou que o cansaço das equipas e a elevada afluência às Urgências coloca desafios constantes de organização do CHL que tem permanentemente seis serviços de atendimento urgente, a funcionar 24/24 horas.

Paulo Mota Pinto, que lidera a lista de candidatos do PSD por Leiria, agradeceu o diagnóstico realizado, afirmando já ser conhecida a falta de médicos, e que é importante «definir formas de melhoria da gestão do Serviço Nacional de Saúde, que passa pela autonomia de gestão das instituições de saúde».

Ao nível da atividade assistencial, «o CHL tem-se mantido no top 5 dos hospitais do seu grupo pela produtividade, apesar da pandemia, com o aumento do número de cirurgias e de consultas realizadas. O saldo tem sido muito positivo. Desde 2019 que “ganhámos” cerca de 20 médicos especialistas, o que nos permitiu manter a abertura de novos serviços e a introdução de técnicas, conciliando o crescimento e a diferenciação do CHL com a gestão da pandemia», referiu Licínio de Carvalho.

No âmbito do investimento, o presidente do Conselho de Administração elencou os principais investimentos realizados no CHL nos últimos dois anos, como a melhoria de infraestruturas em alguns Serviços, a aquisição de novos equipamentos, a abertura da Área Dedicada a Doentes com suspeita de Infeção Respiratória no Serviço de Urgência (ADR-SU) e da Unidade de Internamento em Cuidados Paliativos, e destacou a preparação de um programa funcional para o CHL, para o triénio 2022 a 2024, que preconiza um investimento de 37 milhões de euros.

«Damos importância às questões da saúde e consideramos que devia ser premiada a boa gestão das unidades de saúde», rematou Paulo Mota Pinto, agradecendo a disponibilidade do Conselho de Administração para esta reunião.

    Fonte: Midlandcom

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.