Edição: 258

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/5/17

Secretário-geral do PS participou numa arruada na cidade de Leiria

António Costa promete melhoria de rendimentos a leirienses apreensivos com o futuro

Arruada com António Costa na Avenida Heróis de Angola

Ao sétimo dia de campanha, António Costa, secretário-geral do PS, veio até ao distrito de Leiria para participar numa arruada na cidade de Leiria e visitar uma empresa de moldes, na Marinha Grande. Recebido por mais de uma centena de apoiantes e militantes e acompanhado por António Sales, cabeça de lista por Leiria, pelo presidente da distrital socialista, Walter Chicharro e pelo presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, António Costa percorreu a Avenida Heróis de Angola até ao Largo 5 de Outubro, onde ouviu populares e lojistas, preocupados com os rendimentos dos portugueses e a falta de clientes.

Ladeado por simpatizantes que entoavam palavras de ordem como “Costa, amigo, Leiria está contigo” ou “Costa, avança, com toda a confiança”, o candidato socialista também ouviu alguns populares a gritarem “vai para casa” ou até uma lojista que não permitiu que entrasse na sua loja, nem filmassem o seu estabelecimento e que disse a António Costa que “não queremos manifestações, queremos é clientes na loja”.

Em declarações aos jornalistas, António Costa referiu que as propostas do PS e PSD “são duas propostas claramente distintas”, sendo que “é nestas propostas que cada partido apresenta, que peço às pessoas que ainda estão indecisas que reflitam para decidirem o sentido do seu voto”.

Maria de Jesus, a “senhora das castanhas”, ofereceu um cartucho de castanhas quentes ao secretário-geral do PS

Para o candidato socialista, “o sentido do voto não é saber se há maioria, se não há maioria, o sentido do voto é que política nós queremos para o futuro do nosso país, o que desejamos para a nossa vida a seguir às eleições”.

António Costa salientou que o que o PS diz aos portugueses é que “os portugueses têm condições para podermos ter um melhor nível de vida, continuar a subir os salários, continuar a baixar os impostos, continuar a criar emprego, ter empresas mais produtivas, mais competitivas, continuar a aumentar as exportações. Tem sido essa a trajectória dos últimos 6 anos e nem a pandemia quebrou isso totalmente, porque já em 2021 retomámos esse crescimento. É esse crescimento que nos permite dizer com confiança que vamos puder aumentar o salário mínimo, mas não só o salário mínimo, também os salários médios. Vamos poder baixar o IRS já, não temos que deixar isso como uma incerteza para 2025 ou 2026”, rematou.

O candidato do PS referiu que o que diz não é novidade, nem só palavras de campanha, porque “nós já tínhamos um orçamento pronto quando fomos apanhados por esta crise na Assembleia da República. O que estou a dizer foi algo que eu propus na Assembleia da República em outubro e que foi chumbado pelos outros partidos.”

António Lacerda Sales e Gonçalo Lopes acompanharam António Costa e esposa em todo o percurso

Segundo António Costa, “a componente dos rendimentos é essencial para a economia. Durante muitos anos, a direita disse sempre que era preciso baixar os salários, cortar pensões e aumentar impostos para que a economia florescesse. Como todos nos recordamos, foi um desastre”.

“Aquilo que permitiu virarmos a página da estagnação, voltarmos a crescer acima da média europeia, foi termos começado a aumentar salários, começar a baixar os impostos sobre as famílias, o que está a devolver às pessoas esperança no futuro”, reiterou.

O secretário-geral do PS lembrou que “a gratuitidade dos manuais escolares é fundamental para o rendimento das famílias. A redução brutal dos passes sociais foi dos melhores contributos para a melhoria do rendimento das famílias”.

António Costa salientou que “Rui Rio já disse que é contra a subida do salário mínimo nacional, tem sido sempre. É contra a descida do IRS, talvez só lá para 2025 ou 2026 (desça), mas o PS quer “continuar a subir o salário mínimo nacional, subir os salários médios, continuar a subir a generalidade dos salários e ao mesmo tempo baixar os impostos sobre a classe média, sobre as famílias com filhos, os impostos sobre os jovens em início de carreira. São duas diferenças muito grandes e que acho que justificam que as pessoas pensem bem como votar, para garantir que no dia 31 vamos continuar a melhorar os rendimentos, vamos continuar a ter menos impostos sobre as famílias”, concluiu.

António Costa conversou ainda com Maria de Jesus, a “senhora das castanhas”, que vende em Leiria há 52 anos, e lhe ofereceu um pacote de castanhas quentinhas, que o secretário-geral do PS foi distribuindo pela esposa, camaradas e simpatizantes.

A arruada socialista dirigiu-se então para o Largo 5 de Outubro, onde António Costa cumprimentou os embaixadores da Liga Portuguesa de Futebol, que realiza a Final Four em Leiria. Fez depois uma paragem para um café e pastel de nata, antes de se dirigir à Marinha Grande, onde visitou a empresa Iberomoldes.

      Mónica Alexandre

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.