Edição: 261

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/8/13

Vereadores do PSD votaram contra instalação do Centro de Dia

Câmara da Batalha garante “importante projeto dirigido à população sénior” na Freguesia da Golpilheira

Sede da Câmara Municipal da Batalha

Os vereadores do PSD votaram, no dia 31 de janeiro, em reunião de Câmara da Batalha, contra o projeto de instalação do Centro de Dia na Freguesia da Golpilheira, nas antigas instalações do Centro de Saúde, sem utilização há mais de dez anos. O imóvel foi cedido em 2019 ao Centro Recreativo da Golpilheira, através de contrato de comodato para a instalação de um núcleo de artes e etnografia local.

Dado que o imóvel em causa não tem tido qualquer utilização, o atual presidente da Câmara propôs à Santa Casa da Misericórdia da Batalha a possibilidade de instalação de um equipamento social na freguesia da Golpilheira, que não tem qualquer resposta desta natureza, como extensão dessa IPSS.

Verifica-se ainda que a Misericórdia da Batalha serve utentes desta freguesia em respostas como Centro de Dia, Centro de Convívio e Serviço de Apoio Domiciliário que justificam a instalação de um equipamento de proximidade local, capaz de permitir o acolhimento destas respostas num equipamento funcional, com uma localização privilegiada e que corresponderá às legítimas expetativas da população.

Na referida reunião, propôs-se a revogação do referido contrato de comodato e a celebração de um novo com a Misericórdia da Batalha como sucedera com a Casa do Mimo, já neste mandato, o qual mereceu aprovação dos eleitos PSD e que destinava à mesma finalidade: o da apresentação de uma candidatura ao PRR – Plano de Recuperação e Resiliência na componente de respostas sociais.

Assim, o Executivo municipal considera a posição tomada pelos vereadores eleitos do PSD “totalmente desajustada face à realidade, tanto mais que querendo justificar o injustificável – o da oposição vertida pelo voto contra quanto à implementação deste importante projeto dirigido à população sénior, distorcendo totalmente a verdade.”

Refira-se que em reunião promovida pela Câmara da Batalha, há mais de duas semanas junto de elementos da direção e da Assembleia Geral do CRGolpilheira, foram as linhas gerais do projeto apresentadas, tendo o mesmo merecido total apoio desta coletividade.

As mesmas linhas gerais do projeto foram apresentadas na reunião do Executivo e devidamente explicadas na proposta do contrato de comodato.

O Executivo municipal estranha ainda que os eleitos do PSD evoquem que desconheciam que entidade iria financiar o projeto, quando a própria proposta refere no seu ponto 6) de forma explícita que será a Misericórdia da Batalha a candidatar-se ao fundo comunitário, cuja prazo limite é dia 22 de fevereiro, sendo o investimento da sua responsabilidade. Ainda assim, atendendo à relevância do projeto para a freguesia da Golpilheira e especificamente para a população sénior, a Câmara da Batalha associa-se a este projeto através da execução do projeto técnico e das especialidades.

Para Raul Castro, presidente da Câmara da Batalha, “este é um equipamento de extrema importância para o Concelho da Batalha, que passará a dispor de equipamentos sociais em todas as freguesias do seu território, o que não acontece atualmente na Freguesia da Golpilheira”.

O autarca adianta que “as IPSS do Concelho da Batalha irão apresentar três candidaturas ao PRR até 22 de fevereiro, estando a autarquia fortemente empenhada no apoio técnico à sua concretização atendendo à relevância social destes projetos”. Razão pela qual, questiona: “a que se deverá mais esta posição do PSD da Batalha face a esta freguesia?”

    Fonte: MB

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.