Edição: 261

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/8/13

Dois camiões TIR partiram para a cidade geminada de Belchatów dois camiões TIR

Alcobaça doa 40 toneladas de mantimentos e vestuário aos refugiados ucranianos

Organizadores junto de um dos camiões com ajuda humanitária para a Ucrânia

A ação promovida pela Câmara Municipal de Alcobaça para angariação de mantimentos e vestuário para os refugiados ucranianos gerou uma verdadeira onda de solidariedade.

No dia 15 de março, partiram para a cidade geminada de Belchatów dois camiões TIR com a sua respetiva capacidade máxima de 20 toneladas plenamente atingida.

Ao todo foram angariados 81 paletes com roupa para adulto, criança, material de higiene pessoal e de primeiros socorros, conservas e enlatados, água, leite, cereais, calçado, cobertores e cadeirinhas para bebé.

“O povo de Alcobaça mostrou uma vez mais a sua generosidade e solidariedade as quais o Município agradece profundamente em nome do povo ucraniano e da sua grande comunidade residente no concelho e em todo o País. Esta campanha é apenas uma de várias formas de apoio que o Município de Alcobaça disponibilizará para amenizar o sofrimento deste povo”, afirma o presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Hermínio Rodrigues.

Na última reunião de Câmara pública realizada na segunda-feira, 14 de março, o edil apontou a Pousada da Juventude de Alfeizerão e a Estalagem do Cruzeiro, em Aljubarrota como “bons exemplos da resposta digna e rápida que podemos dar às famílias refugiadas que paulatinamente estão a chegar ao nosso território. Estamos a trabalhar em conjunto com as nossas IPSS e com o Ministério da Educação para assegurar as melhores condições de integração das crianças no sistema de ensino. Muitos empresários mostraram-se também disponíveis para empregar as pessoas, o que é de louvar. Estou convicto que a nossa comunidade irá acolher estas famílias com o todo apoio que elas necessitam.”

Fonte:

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Francisco Casimiro

ah ah ah empregos a €500, por fora?