Edição: 264

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/11/26

De 9 a 17 de Abril

Porto de Mós volta a celebrar a Semana Santa dois anos depois do início da pandemia

Apresentação da Semana Santa de Porto de Mós

De 9 a 17 de abril, Porto de Mós volta a celebrar a Semana Santa, evento que foi cancelado em 2020 devido à situação pandémica e que regressa dois anos depois. A apresentação da Semana Santa 2022 realizou-se no dia 17 de março, no Largo da Igreja de S. João. As celebrações que assinalam o período pascal serão realizadas em parceria com a Paróquia de Porto de Mós e, segundo o edil Jorge Vala, são um indicador do município de “voltar à normalidade que nos foi retirada pela pandemia”. A par da Semana Santa, realiza-se também o Festival Gastronómico do Cabrito e do Borrego e o Festival do Folar, por forma a ajudar a economia e atrair mais visitantes ao concelho.

A conferência de imprensa de apresentação do evento contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós, Jorge Vala; do vereador da Cultura, Eduardo Amaral; do pároco José Alves, em representação da Paróquia de Porto de Mós; Frédéric da Cruz, diretor artístico­ da Companhia de teatro de Leiria – Leirena Teatro; de Amadeu de Oliveira, Instrumentista e compositor; da instrumentista Sara Vidal e do director do Orfeão de Leiria, Vítor Lourenço, que representaram as entidades parceiras do evento.

Na ocasião Jorge Vala, referiu que o Município de Porto de Mós pretende que este seja o mote para a comunidade voltar à vida social e coletiva, “retomar a normalidade que nos foi retirada pela pandemia”, salientou, convidando a população a participar ativamente na Semana Santa, através da participação nos concertos, na elaboração do tapete de flores e nas recriações bíblicas, nesta última como figurantes, cujas inscrições ainda estão a decorrer.

Jorge Vala realçou também que “são estas manifestações que visam sobretudo reforçar a coesão social de um território” e “é assim que se faz um concelho mais forte”. O edil portomosense referiu que o município tem vindo a afirmar este evento ao longo dos anos, mas “muito mais do que as encenações e as representações religiosas” esta “é também uma afirmação de coesão territorial”, porque “ela é fundamental para termos um sentimento de pertença do que é o concelho de Porto de Mós”, afirmou.

Sara Vidal, Frédéric da Cruz, Eduardo Amaral, Jorge Vala, José Alves, Vítor Lourenço e Amadeu de Oliveira

Nesse sentido, Eduardo Amaral referiu que a “Semana Santa é um projecto de partilha, de solidariedade, de envolvência” que conta com o apoio da paróquia de Porto de Mós, cujo pároco José Alves, apelou à participação da população no evento, quer ao nível das cerimónias religiosas quer nas actividades do Domingo de Ramos, com a recriação da entrada de Jesus em Jerusalém ou na sexta-feira Santa, na Via Sacra. José Alves salientou que é necessário que as pessoas voltem à igreja após estes dois anos de pandemia.

O programa arranca com o Domingo de Ramos, dia 10 de abril, com a recriação da entrada de Jesus em Jerusalém, onde se destaca o tapete florido de quase 50 metros, que percorre a ponte de São Pedro, em direção à igreja matriz da vila. A construção do tapete florido decorre nos dias 8 e 9 de abril.

Durante a semana a Igreja de São Pedro será palco de vários encontros culturais, que terão a música como destaque, iniciando no dia 11, às 21h30 com o drama musical encenado “Cantata da Ressurreição”, por Amadeu de Oliveira & Convidados; seguindo-se no dia 12, à mesma hora, a “Missa Brevis de Jacob Haan”, pelo Coro do Orfeão de Leiria, concerto integrante do 40º Festival de Música em Leiria 2022 e no dia 13, às 21h30 o espetáculo “Cantos da Quaresma”, uma interpretação contemporânea dos cantos tradicionais com César Prata e Sara Vidal.

Na Quinta-feira Santa, dia 14, às 21h na Igreja de São Pedro haverá eucaristia e uma recriação histórica da Última Ceia de Jesus. Na Sexta-feira Santa, a partir das 16h, a recriação bíblica da Via Sacra é o momento alto das celebrações. Um grupo de atores profissionais e amadores, sob coordenação do Leirena Teatro, fará a recriação do momento da condenação até à morte de Jesus Cristo, percorrendo as ruas de Porto de Mós, desde a Igreja de São Pedro até ao Castelo, momento emotivo e de reflexão para os crentes.

A par da realização da Semana Santa, decorrerá, ainda, o Festival Gastronómico do Cabrito e do Borrego, que se realiza nos restaurantes aderentes do concelho e o Festival do Folar, que decorre no Domingo de Ramos, dia 10 de abril, onde participaram as IPSS do concelho, bem como as pastelarias aderentes, que devem segundo Eduardo Amaral, “manter a traça e a receita original do folar, recuperando os produtos locais”.

      Mónica Alexandre

 

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.