Edição: 261

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/8/13

Críticas são dirigidas ao executivo municipal

BE lamenta exclusão da candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura 2027 e pede autocrítica

No dia 11 de março foi conhecida, com bastante desilusão, a decisão do júri que excluiu Leiria da seleção para Capital Europeia da Cultura 2027. Para o Bloco de Esquerda, “importa agora refletir no caminho e na estratégia que têm vindo a ser tomadas pelo executivo do Partido Socialista. Depois de ter feito bandeira eleitoral de uma candidatura que agora se revelou insuficiente apenas se pode concluir que a eliminação da seleção para Capital Europeia da Cultura diz muito pouco sobre a massa cultural leiriense, mas muito sobre a estratégia falhada do executivo camarário. Esta eliminação é, de forma inquestionável, uma derrota política do executivo.”

Na sequência do que considera um “clamoroso falhanço”, o Bloco de Esquerda entende que “deve o presidente da Câmara prestar contas aos munícipes. Isto deverá incluir uma demonstração discriminada dos montantes gastos e de que forma ajudaram (ou não) a solidificar uma base de estratégia para o desenvolvimento da cultura no município de Leiria.”

O Bloco de Esquerda assegura que irá, através dos meios próprios, solicitar toda a informação necessária ao Município por forma a promover uma discussão pública e esclarecida sobre as razões que levaram a este afastamento precoce da candidatura, tendo em vista o eventual aproveitamento futuro do “capital” humano e financeiro investido.

Para o BE, “a Cultura não é nem pode ser, como aliás se confirma agora, uma bandeira cuja única utilidade é ser agitada em período eleitoral. A Cultura faz-se todos os dias, os profissionais que a fazem devem ser valorizados com progressões nas carreiras e vínculos estáveis e a democratização ao seu acesso deve ser um desígnio inquestionável em qualquer altura do mandato.”

A Concelhia de Leiria do Bloco de Esquerda entende que “este fracasso é sintomático da falta de perspetiva e desorientação da estratégia cultural em Leiria– veja-se, à cabeça, a fraca divulgação dos projetos e concursos, e existência de precários no maior teatro da cidade há mais de duas décadas” e recorda que “a Cultura não se faz sem agentes culturais.”

O Bloco de Esquerda de Leiria agradece a todos os agentes culturais, sem exceção, que de alguma forma se envolveram nesta candidatura e que a fizeram ser possível e reitera a sua luta pelo fim da precariedade no sector da cultura e pela valorização de todos os que a fazem.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.