Edição: 258

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/5/19

Tomada de Posse dos Órgãos Distritais do Partido Social Democrata- Área Oeste

Carlos Moedas pede união dentro do PSD, menos impostos e apoio à luta contra as alterações climáticas

Duarte Pacheco

A Tomada de Posse dos Órgãos Distritais do Partido Social Democrata da Área Oeste decorreu no dia 11 de abril. A lista A- Preparar o Futuro, encabeçada por Duarte Pacheco, eleita no dia 12 de Março, tomou posse em Torres Vedras, na ACIRO, numa cerimónia que contou com a presença de Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

A sessão começou com a tomada de posse da Comissão de Auditoria Financeira presidida por Ana Henriques, seguida do Conselho de Jurisdição Distrital, presidido por Emanuel Menezes de Lima e ainda da Mesa da Assembleia Distrital, presidida por José Damas Antunes, que por motivos pessoais não pôde estar presente e, em sua substituição esteve o vice-presidente Lélio Lourenço.

Por fim, tomou posse a Comissão Política Distrital, presidida por Duarte Pacheco. Como testemunhas deste ato assinaram o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas e José Bernardo Nunes, presidente da Câmara Municipal do Cadaval e Mandatário da lista A- Preparar o Futuro.

Duarte Pacheco começou por agradecer a todos os militantes da Área Oeste que votaram e depositaram confiança na sua equipa. O presidente da Distrital do PSD Oeste ainda enalteceu o empenho, a disponibilidade e o compromisso assumido. “Não estamos aqui para dizer ‘estar’, estamos aqui para fazer. Estamos aqui para Preparar o Futuro. É para fazermos tudo aquilo que estiver ao nosso alcance, nas nossas competências, no nosso querer, para realmente preparar o futuro do nosso partido. Quem nos conhece sabe que é nos momentos difíceis que dizemos presente, que não viramos as costas”. 

O líder da Distrital Oeste enalteceu ainda “a magnífica campanha que fizeram, uma campanha pela positiva em que não houve uma palavra de ódio, houve sim, uma palavra de esperança. Não criticamos ninguém, não dissemos porque é que não deveriam votar noutra lista, dissemos porque é que deviam votar nesta lista. E é assim que devemos estar na política, por aquilo que acreditamos e não por oposição a outros. Uma palavra muito apertada a todos os que desta forma mostraram que têm altivez na ação política”. 

Membros dos órgãos eleitos do PSD Oeste

Duarte Pacheco agradeceu a presença de dois amigos de longa data, o presidente da Câmara Municipal do Cadaval e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, deixando umas palavras de apreço: “O Eng. Carlos Moedas representa para nós e para mim, pessoalmente, aquilo que o PSD tem de melhor, uma pessoa com competência, com humildade, que está na política para trabalhar em prol de outros e que é um vencedor. É o que nós queremos para o nosso partido e foi por isso mesmo que o convidamos, porque personifica aquilo que nós queremos fazer aqui, Trabalho competente, dedicação, humildade.”. 

Acreditando que o partido precisa urgentemente de se adaptar às novas realidades, Duarte Pacheco enumera os pontos fundamentais para o sucesso desta nova Comissão Política Distrital, considerando imprescindível a organização para a execução de um trabalho competente: “A organização significa que temos de trabalhar com todos sem excluir ninguém, de braço dado com as estruturas concelhias, com a JSD e com todos os envolvidos no partido”.

Duarte Pacheco destaca ainda a importância de alcançar mais pessoas e mais militantes com o poder da comunicação que servirá para aumentar a força do partido. “A comunicação será uma grande aposta porque temos de saber chegar às pessoas, utilizar todas as novas tecnologias de modo a que fique uma mensagem em cada oestino”. 

Na reta final do seu discurso, Duarte Pacheco, compromete-se a ser, juntamente com a sua equipa, as vozes do Oeste: “Temos que ser nós a voz dos torrienses, dos cadavalenses, dos arrudenses, dos alenquerenses, dos sobralenses, dos lourinhanenses. Temos que ser a voz do Oeste! O compromisso é simples: trabalho, competência, comunicação e defender-vos a todos! Defender-nos a todos! E, com a ajuda de cada um de vós, porque isto não é o trabalho de uma pessoa, é o trabalho de uma equipa, nós vamos conseguir aquilo que desejamos e o PSD vai ser vencedor em todo o Oeste!”

Carlos Moedas

Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, também discursou na cerimónia de Tomada de Posse, onde começou por realçar a ligação que o une a Duarte Pacheco, dando conta da importância deste no início da sua vida política. “Conhecemo-nos na Assembleia da República, o Duarte imediatamente me acolheu e nós não nos esquecemos daqueles que nos acolhem, quando ninguém nos conhece…O Duarte para mim tem três características essenciais: a inteligência, a resiliência e a sua paixão pela política”. 

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa aproveitou o momento para fazer uma reflexão sobre os novos tempos da política, considerando que a globalização e a digitalização são novas realidades a ter em conta.

“A política está a deixar-se levar por não querer mudar. Nós falamos muito do extremismo e populismo, mas há outro fenómeno. É que esses partidos extremistas e populistas sabem utilizar a globalização e a digitalização a seu favor. A questão não é ideológica, muitas das vezes”, referiu, acrescentando que se deve ter “a capacidade de olhar para o digital e para o futuro, mas ao mesmo tempo humanizar”, salientou.

Carlos Moedas mostrou ainda preocupação com o futuro do PSD, que na sua opinião necessita de um líder que apele à união do partido. “O nosso partido preocupa-me. O país precisa do nosso PSD, nós precisamos do PSD com ânimo, com audácia, com ambição. Todos queremos mas para que isso aconteça são necessárias três condições que têm de acontecer já no PSD. O primeiro passa pela união do partido”. O presidente da Câmara de Lisboa referiu ainda que o PSD necessita de ser coerente e de ter uma posição assertiva, no que diz respeito a dizer “não a mais impostos”, a apresentar “medidas concretas que as pessoas percebam” na luta contra as alterações climáticas, e ainda afirmar a vertente social do partido.

“O PSD que queremos construir necessita de garra, ambição, voz na política, e não ter medo de dizer aquilo que pensamos. Nós queremos ser o partido que verdadeiramente está com as pessoas e que trabalha para as pessoas e que constrói com as pessoas, que diz não aos impostos, que diz sim a uma ação climática verdadeira em que temos medidas concretas para as pessoas e que as pessoas querem”. 

     Fonte: PSD|Oeste

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.