Edição: 258

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/5/19

Gabriel Mithá Ribeiro recorda que António Sales foi cabeça de lista do PS Leiria

Chega responsabiliza secretário de Estado da Saúde pelos problemas no Centro Hospitalar do Oeste

Gabriel Mithá Ribeiro

O Chega emitiu uma nota de imprensa, no dia 16 de abril, em que responsabiliza o Governo socialista pela falta de recursos humanos na Unidade de Caldas da Rainha do Centro Hospitalar do Oeste, que levou ao pedido de demissão das chefias do Serviço de Urgência. Para o deputado Gabriel Mithá Ribeiro, esta é “mais uma notícia que nos demonstra a degradação dos cuidados de saúde a prestar às populações pelo Centro Hospitalar do Oeste – CHO, neste caso pelo hospital de Caldas da Rainha em concreto.”

“Agora, são precisamente os chefes de equipa do serviço de urgências daquele hospital a pedirem a demissão de forma coletiva, por, segundo aqueles profissionais, o “Serviço de Urgência (SU) estar em rutura completa” e “não estarem asseguradas as condições mínimas de qualidade assistencial, nem de segurança, nem para os profissionais de saúde, nem para os doentes”, recorda.

“Terminadas no final de 2021 as obras de ampliação das urgências daquele hospital, que se prolongaram por intermináveis três anos, com um investimento de cerca de dois milhões de euros, certamente a causa desta falta de condições não será pelo espaço ou aspetos técnicos, mas sim por falta de profissionais, a que obviamente se adicionam questões relacionadas com a gestão daquela unidade hospitalar”, acrescenta o parlamentar.

O deputado do Chega lamenta que o conselho de administração do CHO se limite “a aligeirar a situação, com conversa fiada, sem nunca apresentar soluções concretas, eficazes e definitivas para os problemas que se sucedem nas unidades hospitalares sob a sua direção.”

Por outro lado, “é caso para perguntar, de que serve a esta região ter um secretário de estado da saúde, por acaso eleito deputado por Leiria e pelo partido do governo, claro e que durante a recente campanha eleitoral sempre tentou fazer acreditar aos eleitores que por aqui e na área da saúde o mundo era cor de rosa, quando todos sabíamos e como agora se demonstra, que afinal é cinzento”, questiona.

Para Gabriel Mithá Ribeiro, “esta é mais uma demonstração de que a necessidade de um novo hospital para o Oeste é um imperativo de salvaguarda da saúde e da vida das pessoas, sem que o governo socialista demonstre a mínima vontade e capacidade para tomar uma decisão. Na Assembleia da República, garantidamente alguém vai ter que nos dar explicações concretas acerca destas questões, porque o serviço nacional de saúde – SNS- não pode ser um mero elemento decorativo das campanhas socialistas, de que se dizem padroeiros.”

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.