Edição: 258

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/5/19

Sábado, dia 30 de abril

Comemorações do 25 de Abril vão às freguesias de Santarém

“Cem Anos de Poemas e Canções”

No âmbito das Comemorações do 25 de Abril, sábado, dia 30 de abril, é possível assistir, em Santarém e nas freguesias do Concelho, vários espetáculos.

Às 16h00 tem lugar, na Igreja da Graça, Cantares das gentes que também “fizeram Abril”, com o Coro e Banda da Sociedade Filarmónica de Instrução e Cultura Musical de Gansaria e Coro do Círculo Cultural Scalabitano.

Este concerto exclusivamente preenchido com autores portugueses (Jorge Salgueiro, Luis Cardoso, Xavier Ribeiro, Diogo Costa, Vitorino, Janita Salomé, José Afonso) que, em parte, retrata os cantares das gentes anónimas que de norte a sul do País, também “fizeram Abril”.

Às 21h30 a Casa das Colectividades de Alcanhões recebe o concerto Cantar Abril, com Manuel Teixeira e João Nogueira, voz e guitarra clássica, da AJA – Associação José Afonso.

Manuel Teixeira, nascido em Amarante, integra o Núcleo de Lisboa, da AJA. João Nogueira, integra o Núcleo de Santarém, da AJA. Identificam-se com o imaginário de José Afonso e Adriano Correia de Oliveira.

Participaram nas várias edições do Festival José Afonso realizadas em Malpica do Tejo e um pouco por todo o país, incluindo Santarém, bem como Galiza, Espanha, Cabo Verde, Cuba, Luxemburgo, Bulgária. etc. Fundador do Projeto “Protest Song” Cais da Saudade, por onde vão passando vários músicos.

À mesma hora, na Sociedade Recreativa Filarmónica Pernense (Música Velha), sobem ao palco o Veto Teatro Oficina do Círculo Cultural Scalabitano e a Banda Carpintaria Royal, para apresentar “Cem Anos de Poemas e Canções”.

Esta é uma proposta de revisitar poemas e canções da nossa Memória Coletiva, desde a implantação da República até à atualidade.

Nesta viagem, ainda ouvimos os canhões dos revoltosos, carbonários, chefiados pelo Tenente da Marinha, Machado dos Santos, disparando contra os monárquicos entrincheirados no Rossio. Depois é a permanente convulsão da I República, o Estado Novo, o 25 e Abril e chegamos até à contemporaneidade. Viajamos por estas memórias evocando músicas e palavras de poetas como Fernando Pessoa, António Gedeão, Sebastião da Gama, entre muitos outros.

Este espetáculo de Música, Dança e Teatro, da autoria de José Ramos conta com os atores Eliseu Raimundo, Francisco Selqueira, Nuno Domingos e Susana Alves e com os músicos João Madeira, João Madeira Júnior, Guilherme Madeira e Bruno Velês.

Também às 21h30, desta feita na Associação Cultural e Recreativa de Abrã, tem lugar um espetáculo de música, dança e teatro “Chegam Cartas, Chegam Palavras…”.

Esta produção, da Poemas & Fantasias – Associação, tem encenação e coregrafia de Berta Pereira, Nuno Labau e Sofia Almeida, com interpretação de Francisco Lopes, na guitarra portuguesa, João Tobias Lopes, na guitarra clássica, das atrizes Leonor de Almeida e Berta Pereira e bailarinos Nuno Labau e Sofia de Almeida.

Integradas no programa das Comemorações do 25 de Abril em Santarém, pode ainda visitar no Centro Cultural Regional de Santarém (CCRS) as exposições: Em Abril, Artistas Mil”, exposição coletiva que reúne trabalhos de vários artistas locais, e “Portugal 70 Anos Depois” o ensaio fotográfico de John Gallo, inspirado no ensaio fotográfico “Portugal 1950” de Jean Dieuzaide.

“Em Abril, Artistas Mil”, é o nome de uma delas que conta com trabalhos de André Esteves, André Gomes, António Canavarro, Eva Barbosa Mendonça, Fernanda Narciso, Fernando Silva, Francisco Pereira, Flávia Barra, João Maria Ferreira, Mariana Simão, Pedro Mourão Pereira, Sofia Campilho e Vítor Lopes.

“Abril, Artistas Mil” é uma exposição coletiva de artistas que residem ou são naturais da região. Esta Exposição terá, entre outros, dois objetivos primeiros: diversificar culturalmente a oferta ao público, atraindo um maior número de visitantes ao CCRS, assim como concorrer na divulgação e promoção de talentos e expressões artísticas variadas, dos artistas locais e regionais, contribuindo assim para a democratização e criação cultural.

“Portugal 70 Anos Depois” é o ensaio fotográfico de John Gallo tendo por base o trabalho realizado em 1950 pelo fotógrafo francês Jean Dieuzaide.

“Portugal 1950” é o título de um ensaio fotográfico de Jean Dieuzaide; o fotógrafo francês percorreu Portugal Continental e a Madeira, produzindo um dos melhores testemunhos daquilo que Portugal foi no auge do Estado Novo. O trabalho notável de Dieuzaide foi editado em 1998, com a cooperação da Galerie Municipale du Château d’Eau de Toulouse e a FNAC coorganizou a exposição que aconteceu no Centre Culturel Calouste Gulbenkian em Paris. Eduardo Lourenço escreveu o texto “Luz e Memória” que serviu de introdução ao livro, na edição de 1998.

“Portugal 70 Anos Depois” tem como ponto de partida a obra de Dieuzaide: este novo ensaio de John Gallo, obra de autor, respeita a abordagem de Dieuzaide, revisitando os locais que o fotógrafo francês elegeu para retratar Portugal há 70 anos, fazendo luz sobre o que é Portugal hoje, volvidas sete décadas.

Este ensaio é um tributo à obra de Dieuzaide, e aos portugueses protagonistas na sua obra que viveram um Portugal pobre, sofrido, amordaçado, sempre de sorriso no rosto; as fainas e atividades fotografadas por Dieuzaide eram a pedra basilar de uma economia rudimentar, altamente protecionista, muitas vezes a única forma de subsistência de famílias inteiras.

Setenta anos é extraordinariamente interessante compreender como é que nos mesmos locais se vive, que rostos se encontram, que paisagens urbanas surgiram, que estrutura social e económica vinga neste país de gente (ainda) sorridente. “Portugal 70 Anos Depois” pretende igualmente promover uma discussão pública acerca da evolução do nosso país nas últimas décadas, como nos afirmamos hoje na Europa e no mundo.

As imagens de John Gallo têm sido apresentadas, expostas e publicadas por todo o mundo, em locais e meios de comunicação social de relevo. O Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, reconheceu, em duas ocasiões, a importância do trabalho de John Gallo.

Estas mostras podem ser visitadas, até 30 de abril, de segunda a sexta-feira, das 15h00 às 19h00 e ao sábado entre as 10h00 e as 13h00.

  Fonte: DCPCT|CMS

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.