Edição: 258

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/5/19

SITEU acusa administração de dispensar enfermeiros para não alargar o número de trabalhadores do quadro

Sindicato denuncia despedimento de 15 enfermeiros do Centro Hospitalar do Oeste

Unidade de Caldas da Rainha do Centro Hospitalar do Oeste

O SITEU (Sindicato de Todos os Enfermeiros Unidos) acusa o Centro Hospitalar do Oeste, que junta as unidades hospitalares de Caldas da Rainha, Peniche e Torres Vedras, de dispensar 15 enfermeiros para não alargar o número de trabalhadores do quadro.

Os 15 enfermeiros cessam funções no Centro Hospitalar do Oeste a 30 de abril, o que vai agravar a já reduzida equipa de enfermagem das três unidades, que têm todas défice de trabalhadores em várias áreas, incluindo de enfermeiros.

Gorete Pimentel, presidente da direção do SITEU, revela que “os serviços de urgência de Torres Vedras e das Caldas da Rainha, do Centro Hospitalar do Oeste, são conhecidos pela situação caótica em que operam devido à grande falta de trabalhadores em todas as áreas de atendimento ao doente. Estes despedimentos podem estar a encobrir uma situação fraudulenta de recontratar daqui a uns dias, de forma a que os 15 enfermeiros não transitem para um contrato por tempo indeterminado”.

A dirigente do SITEU acusa “o Centro Hospitalar do Oeste de recorrer frequentemente a empresas de prestação de serviços para contratação de médicos com o pagamento de valores astronómicos de 90 euros por hora, mas não consegue justificar os sete euros por hora que os enfermeiros ganham, preferindo despedir e deixar os utentes sem assistência de enfermagem e entregues ao abandono. Enquanto os enfermeiros que ficam aguentarem, serão sobrecarregados mensalmente com várias dezenas de turnos extra, aumentando a exaustão e a desmotivação por não conseguirem realizar uma assistência com qualidade”.

Gorete Pimentel considera que “administração está a despedir enfermeiros, por não ter autorização do Ministério da Saúde para alargar o quadro de pessoal. Durante os meses que estes 15 enfermeiros estiveram a trabalhar, o Centro Hospitalar do Oeste não conseguiu suprimir as lacunas de pessoal de enfermagem.  Os 15 enfermeiros que vão ser despedidos estavam a contrato no âmbito do Plano de Contingência Saúde Sazonal (PCSS). É preciso voltar atrás nesta decisão porque, para além do défice crónico de enfermeiros em situações sociais normais, ainda não nos livrámos da pandemia e temos os surtos atuais da gripe A que agravam a situação pandémica”.

Há meses que os enfermeiros denunciam esta situação, com manifestos e manifestações, sem que o conselho de administração do Centro Hospitalar do Oeste ou o Ministério da Saúde tenham tomado qualquer iniciativa para resolver os problemas crónicos de falta de pessoal destas unidades.

   Fonte: SITEU

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.