Edição: 259

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/6/27

Dia 18 de maio

Dia Internacional dos Museus celebrado na Marinha Grande

Visita guiada na Noite Europeia dos Museus

Até ao dia 28 de maio, a Marinha Grande acolhe as comemorações do Dia Internacional dos Museus, que se assinala no dia 18 de maio, com várias atividades dirigidas às famílias, que  tiveram início no passado fim de semana.

O programa, organizado pelo Município, decorre no Museu do Vidro e no Museu Joaquim Correia e enquadra-se também na comemoração do Ano Internacional do Vidro, decretado pela Organização das Nações Unidas, englobando visitas guiadas, visitas encenadas, concertos, performances de dança e inauguração de exposições.

No sábado, 14 de maio, o Museu Joaquim Correia realizou uma visita guiada e a Noite Europeia dos Museus, com a atuação do Rancho Folclórico de Picassinos.

Estão previstas as seguintes iniciativas:

17 a 22 de maio

Museu do Vidro
Entradas gratuitas
17, 18, 19, 20, 24, 25 e 27 de maio . 09h30 e 10h30
Museu do Vidro . Público escolar
Visitas encenadas

Estas visitas de curta duração dirigidas sobretudo a crianças, com uma linguagem simples e acessível e de formato leve e descontraído, têm como objetivo principal que os mais novos possam saber mais sobre a história do vidro e processos de fabrico, com o registo cómico que já marca o trabalho do Teatro à Solta.

Destinatários: crianças dos 6 aos 10 anos de idade
Duração: 40 minutos
Limite de participantes: 20 crianças
Inscrição prévia através do email museu.vidro@cm-mgrande.pt
Organização: CMMG – Museu do Vidro e Teatro À Solta

18, 19 e 20 de maio . 09h30/10h30/14h30
Museu Joaquim Correia
Atividades do serviço educativo para o pré-escolar
Visita ao museu e atividades lúdico-artísticas para os alunos do pré-escolar subordinadas ao tema O Poder dos Museus, designado pela ICOM para celebrar o Dia Internacional dos Museus em 2022.
Organização: Câmara Municipal Marinha Grande – Museu Joaquim Correia

21 de maio . 11h00
Museu Joaquim Correia
Recital de Poesia
Para encerrar a exposição “Arte de saber ser”, cujo desenvolvimento artístico partiu da exploração da literatura, os alunos da Escola Pátio da Inês recitarão poemas de Afonso Lopes Vieira e de Camões, figuras poéticas representadas no museu por retratos da autoria de Joaquim Correia, acompanhados pela Orquestra da EPI.
Organização: Câmara Municipal Marinha Grande – Museu Joaquim Correia e EPI

21 de maio . 17h00
Núcleo de Arte Contemporânea do Museu do Vidro
Inauguração da Exposição temporária “A persistência da matéria: 20 anos VICARTE”

Esta exposição dá-nos a conhecer a obra de mais de trinta artistas que em determinado momento do seu percurso artístico desenvolveram pesquisa artística e/ou científica na Unidade de Investigação VICARTE – Vidro e Cerâmica para as Artes, que em 2022, Ano Internacional do Vidro, celebra os seus 20 anos de existência.

“Vidro e cerâmica, materiais que interagem com outros, dando origem a obras ricas na variedade. Materiais que só por si, dão corpo a obras de arte para nossa fruição. Obras não utilitárias ou decorativas, mas que, por isso mesmo e porque veiculam significados e sentimentos, nos remetem para o patamar criativo, onde a arte acontece.” (Teresa Almeida, artista e membro da VICARTE).
Organização: CMMG / Museu do Vidro e Unidade de Investigação VICARTE – Vidro e Cerâmica para as Artes

22 de maio . 10h30
Museu do Vidro
Workshop para famílias “Vidro 100% sustentável”

O Teatro é a forma mais próxima da vida, e permite trabalhar temas de uma forma lúdica. Neste workshop, as crianças vão aprender sobre a sustentabilidade do vidro, enquanto desenvolvem a sua criatividade, aprendem técnicas de comunicação e melhoram a concentração, memória e capacidade de trabalhar em grupo.

Destinatários: crianças dos 6 aos 12 anos de idade
Duração: 2h30
Limite de participantes: 20 crianças
Inscrição prévia até ao dia 19 de maio, através do email museu.vidro@cm-mgrande.pt
Organização: CMMG – Museu do Vidro e Folhas Platónicas – Associação Cultural

22 de maio . 14h30 e 16h00
Museu do Vidro
Visitas encenadas ao Museu do Vidro

Estas vistas pretendem dar a conhecer de uma forma mais lúdica e interativa algumas curiosidades que incentivam os participantes a querer saber mais sobre a história da cidade e do Museu do Vidro.

O Vidro já é usado no mundo há milhares de anos, mas a chegada da Real Fábrica de Vidros mudou para sempre a Marinha Grande. A história da fábrica confunde-se com a história da cidade e é impossível falar-se de marinhenses sem falarmos de Guilherme Stephens, de Pinhal do Rei ou de mestres vidreiros. Felizmente, há um pedaço desta História preservada no antigo palácio Stephens, pronta a ser descoberta! Pensada especialmente para os mais novos – mas aberta a participantes de todas as idades – esta aventura vem com reis e figuras históricas, com moldes, um mergulhador e até tem um concurso pelo meio. Prontos para esta incrível aventura à descoberta do vidro e da Marinha Grande?

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA
Criação original Teatro à Solta
Co-produção Município da Marinha Grande
Duração: 30 minutos
Classificação: M 6
Dramaturgia e Adereços: Susana Rodrigues
Encenação: Cristóvão Carvalheiro
Interpretação: Cristóvão Carvalheiro e Marco Paiva
Figurinos: Teatro à Solta e Museu do Vidro/ Município da Marinha Grande
Fotografia: Carolina Miguel
Inscrição prévia até ao dia 21 de maio, através do email museu.vidro@cm-mgrande.pt
Organização: CMMG – Museu do Vidro e Teatro À Solta

27 de maio . 09h15 às 13h25
Alunos do 7º ao 12º ano
Museus e centro da Marinha Grande
“Roteiros com História”

Mapeamento do património da cidade da Marinha Grande. Os alunos do Agrupamento de Escolas da Marinha Grande Poente irão percorrer as ruas da Marinha Grande e tomarão conhecimento “in Loco” do Património e da História Local através de pontos de controlo marcados num mapa de orientação onde terão de responder a questões sobre os mesmos.

Objetivos da atividade:
– Desenvolver um espírito crítico/analítico perante o património cultural local.
– Aplicar conhecimentos adquiridos em novas situações;
– Conhecer /Aprofundar temas e conceitos gerais mediante o estudo do património local/regional;
Respeitar e valorizar o património local na sua diversidade.
Organização: Grupo 400 – História do Agrupamento de Escolas Marinha Grande Poente e CMMG

28 de maio . 11h00

Museu do Vidro
“Dança nos Museus”

A partir da coleção do Museu do Vidro e da sua envolvência natural e arquitetónica, Inesa Markava desenvolverá um espetáculo temático para o público familiar numa lógica de artes performativas com o foco na linguagem da dança clássica e contemporânea. Durante a performance, os participantes são convidados a re-imaginar o espaço expositivo e a re-inventar a exposição ao explorar o universo do movimento, do som e das artes plásticas.

Destinatários: crianças dos 3 aos 10 anos de idade
Duração: cerca de 40 minutos
Limite de participantes: 15 pessoas
Inscrição prévia até ao dia 27 de maio, através do email museu.vidro@cm-mgrande.pt
Organização: CMMG – Museu do Vidro e Inesa Markava

28 de maio . 15h00
Museu Joaquim Correia
Orquestra Filarmónica da Amieirinha

Para inaugurar a exposição “Os afetodomésticos”, de Pedro Fonseca Jorge, a Orquestra Filarmónica da Amieirinha fará uma participação combinando peças contemporâneas de artistas internacionais que refletem musicalmente sobre a arte e os museus com o trabalho do artista visual Pedro Fonseca Jorge.

Organização: CMMG/ Clube Recreativo Amieirinhense

28 de maio . 16h00
Museu Joaquim Correia
Inauguração da exposição “Os Afetodomésticos”, de Pedro Fonseca Jorge

“Pedro Fonseca Jorge foi nómada inintencional, habitando muitas casas e poucos lares. Intervém por isso sobre os seus objetos de afeto, e sobre outros objetos para lhes devotar afeto, no criar de um refúgio antes inexequível, mas tornado prisão quando dele nos interditam a saída.” Exposição patente no Museu Joaquim Correia de 28 de maio a 30 de setembro de 2022.

Organização: CMMG, LIDA – Laboratório de Investigação em Design e Artes, da ESAD.CR do Politécnico de Leiria/ CMMG

28 de maio . 16h45 . Museu Joaquim Correia

“Bia-a-dia”, performance por Beatriz Duarte

“Beatriz c(que)ria um universo alternativo no qual os objetos do dia a dia, apesar de serem os mesmos que encontramos no nosso, têm uma vida diferente. Um copo torna-se um sapato e talvez um regador seja um copo. “

Organização: CMMG, LIDA – Laboratório de Investigação em Design e Artes, da ESAD.CR do Politécnico de Leiria/ CMMG.

Fonte: GCI|CMMG

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.