Edição: 259

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/6/27

Redescobrir a história e a paisagem costeira a bordo de um barco à vela

Primeiro “Caminho Marítimo de Santiago” em Portugal chega a Peniche no dia 3 de junho

O novo e primeiro “Caminho Marítimo de Santiago” em Portugal parte a 28 de maio em direção a Baiona. Cruzeiro inaugural termina a 13 de junho Já só falta içar as velas e recolher as âncoras. Está tudo a postos para a largada do cruzeiro inaugural do novo e primeiro “Caminho Marítimo de Santiago”, em Portugal.

A iniciativa, que resulta da parceria entre a Upstream Portugal – Valorização do Território e o Fórum Oceano – Associação da Economia do Mar, e que conta com o apoio consultivo da Associação Nacional de Cruzeiros (ANC), tem como objetivo central potenciar o turismo náutico e a Rede das Estações Náuticas de Portugal, de forma inovadora e sustentável.

O momento da largada, agendado para esta sexta-feira, 28 de maio, às 9h00, no porto de Vila Real de Santo António, conta com a presença da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa. Acrescente-se, ainda, que a iniciativa conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República e com o apoio institucional da Marinha Portuguesa.

Recriar a viagem da “Barca da Pedra”

Reza a lenda que, no primeiro milénio, o corpo de Tiago, um dos 12 apóstolos de Jesus Cristo, atravessou o Mediterrâneo, numa viagem que ligou Jaffa, na Palestina, até Campus Stella, na Galiza. A esta viagem mítica deu-se o nome de “Barca de Pedra”. O corpo do apóstolo terá sido sepultado num bosque e o seu túmulo descoberto apenas oito séculos depois, quando uma estrela guiou o primeiro peregrino até este local.

Esta foi a primeira grande peregrinação e o primeiro “Caminho de Santiago”. Desde então, diferentes são os caminhos que se traçam até Santiago de Compostela. Com o objetivo de reanimar os caminhos ancestrais que, perdidos nos tempos, têm vindo a ser reintroduzidos nas rotas jacobeias, o novo e primeiro “Caminho Marítimo de Santiago”, em Portugal, propõe “viver” esta peregrinação num caminho a realizar por vela.

Com esta iniciativa, será possível navegar e arribar em muitos locais que estão historicamente associados ao culto e à Ordem de Santiago, dando, simultaneamente, liberdade aos “viajantes nautas” para adaptarem a sua viagem, uma vez que é cedida informação sobre os portos alternativos, sejam eles marítimos ou fluviais, nas diferentes regiões do país. A identificação destes locais tem como objetivo reconhecer estas estações enquanto “Portos de Santiago”.

Potenciar o turismo náutico

Paralelamente à exploração deste lado mais tradicional, ligado ao culto de Santiago, o novo e primeiro “Caminho Marítimo de Santiago”, em Portugal, tem como objetivo, ainda, contribuir para a diversificação da oferta turística, para a qualificação dos serviços e das infraestruturas marítimas e para a coesão territorial e desenvolvimento de parcerias transfronteiriças. Assim, este novo itinerário irá permitir a exploração da paisagem costeira, a redescoberta da história e da cultura locais e a promoção do espírito de entreajuda e solidariedade nauta.

“O Caminho faz-se navegando”: 17 dias de viagem por mar

O cruzeiro inaugural – composto por de cerca de 20 embarcações (veleiros convidados), entre as quais a Caravela Vera Cruz, assim como várias embarcações internacionais – irá partir do porto de Vila Real de Santo António, em direção ao porto de Vilamoura, local no qual irá pernoitar. Este Caminho náutico, composto por 12 etapas, irá depois viajar em direção a Sines (30 de maio), seguindo-se Cascais (1 de junho), Peniche (3 de junho), Ria de Aveiro (4 de junho), Matosinhos (6 de junho), Viana do Castelo (8 de junho), Baiona (10 de junho), Vila Garcia de Arousa (11 de junho) e, por fim, Pádron (12 de junho). Este itinerário por mar irá percorrer cerca de 500 milhas náuticas.

O percurso de 12 quilómetros que liga Pádron a Santiago Compostela será feito a pé pelos viajantes nautas. Acrescente-se, ainda, que o cruzeiro inaugural irá contar com cerca de 150 participantes.

Iniciativa conta com quase uma dezena de embaixadores

Fernando Pimenta, João Rodrigues, Joana Pratas, Francisco Lufinha, Hugo Rocha e Ângela Fernandes. São estes os seis magníficos desportistas que aceitaram o desafio de se associarem, enquanto embaixadores, a esta iniciativa. Do windsurf à canoagem, passando pela vela, kitesurf e standup paddle.  Estes campeões nacionais e mundiais “trocaram” as medalhas olímpicas e as taças nacionais para responder a este desafio: apoiar aquele que é o novo e primeiro “Caminho Marítimo de Santiago”, em Portugal.

Também os irmãos Rosado aceitaram “embarcar” nesta iniciativa. A dupla “Anjos” irá, assim e à semelhança dos restantes embaixadores, fazer parte desta viagem imersiva.

Caravela Vera Cruz irá “guiar” cruzeiro inaugural

A Caravela Vera Cruz será a Estrela Polar que irá “conduzir” o cruzeiro inaugural até Pádron. Construída no início do século para celebrar os 500 anos do descobrimento do Brasil, vai ser possível subir a bordo desta réplica exata das antigas caravelas portuguesas em todas as estações náuticas que integram o percurso. A Caravela, que está aberta ao público em geral, estará disponível logo a partir da tarde de quarta-feira, 25 de maio, no porto de Vila Real de Santo António. Aí permanecerá atá 28 de maio, dia da largada. A partir daí, fará o caminho, de sul a norte de Portugal, estando a comunidade convidada a visitá-la em cada porto.

 

Postal da República: Uma recordação da viagem náutica única

 

O novo e primeiro “Caminho Marítimo de Santiago”, em Portugal, vai contar com um Inteiro Postal da República. A peça, desenvolvida em parceria com os CTT – Correios de Portugal, conta com mais de três mil exemplares e estará disponível em todas as estações náuticas do cruzeiro, tendo destacadas, em algumas delas, equipas para carimbar esta recordação de uma viagem que promete ser apenas o início de uma longa história. O Inteiro Postal terá o custo

de 0,57 euros.

 

Sobre a Upstream Portugal

 

A Upstream Portugal é um operador turístico que tem como objetivo promover o destino Portugal e o seu património natural e cultural, sobretudo do interior do país. A empresa cria e promove novos produtos turísticos temáticos e eventos desportivos especializados no âmbito do turismo ativo, cultural e desportivo, potenciando, assim, oportunidades de esenvolvimento

local e sustentável com alcance global. A Upstream desenvolve, ainda, serviços de consultoria

e desenvolvimento de projetos que contribuem para a valorização e reforço da atratividade

turística de Portugal nos principais mercados internacionais.

 

Sobre o Fórum Oceano

 

Criado em 2009, o Fórum Oceano é uma entidade privada sem fins lucrativos reconhecida pelo governo português como entidade gestora do cluster do mar português. A instituição conta, atualmente, com 132 associados em representação de todos os setores da economia azul, entre empresas, associações empresariais, centros de investigação e desenvolvimento tecnológico, instituições de ensino superior, autarquias e outras organizações.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.