Edição: 259

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/6/27

Bombarral, Leiria, Nazaré, Abrantes, Golegã, Ourém e Torres Novas

17 entidades da região assinam o compromisso de Mitigação das Alterações Climáticas nos Serviços de Águas

A terceira sessão pública de assinatura da “Declaração de Compromisso para Adaptação e Mitigação das Alterações Climáticas nos Serviços de Águas” decorreu, no dia 24 de maio, no Centro de Interpretação do Cais da Vala, em Salvaterra de Magos, juntando 17 entidades que assinaram o compromisso de boas práticas ambientais.

Assinaram o compromisso de Mitigação das Alterações Climáticas nos Serviços de Águas as Câmaras Municipais do Bombarral, Leiria, Nazaré, no Distrito de Leiria, e de Abrantes, Golegã, Ourém e Torres Novas, no Distrito de Santarém, além da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo.

Assinaram também o compromisso a A.S. – Empresa das Águas de Santarém, Abrantaqua – Serviço de Águas Residuais Urbanas do Município de Abrantes, AdA – Águas de Alenquer, Águas da Azambuja, Águas do Lena, Águas do Ribatejo, Cartágua – Águas do Cartaxo, APIN – Empresa Intermunicipal de Ambiente do Pinhal Interior, Aquanena – Empresa Municipal de Águas e Saneamento de Alcanena, Serviços Municipalizados de Abrantes, Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Leiria, Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Torres Vedras, Serviços Municipalizados da Nazaré, Tejo Ambiente – Empresa Intermunicipal de Ambiente do Médio Tejo

Vereador Orlando Rodrigues representou a Câmara da Nazaré

Orlando Rodrigues, Vereador da Câmara Nazaré, esteve presente no ato oficial em representação do Município, e sublinhou a importância do envolvimento de todos nesta missão ambiental.

“A assinatura desta declaração apenas reforça as inúmeras ações que vêm a ser desenvolvidas pelo Município. Contudo, este é um esforço premente de todos os cidadãos do mundo. Sem o esforço de todos, o planeta como o conhecemos deixará de existir, com consequências tremendas para quem nele habita.”

Com a assinatura do documento, as entidades declararam o seu empenho em impulsionar os esforços necessários para a Adaptação e a Mitigação às Alterações Climáticas, em particular no que se refere aos serviços de águas, para garantia das gerações futuras.

Para a Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas é necessário aplicar o melhor conhecimento e experiência em diagnosticar e prever os impactos que se geram na disponibilidade de água, tanto em qualidade como em quantidade, e em fenómenos extremos como as secas e inundações, que estão a aumentar em frequência e intensidade e que afetam e afetarão de forma direta os serviços de abastecimento e saneamento.

“No setor das águas deve promover-se igualmente a implementação de medidas de mitigação, entre as quais se destacam as relacionadas com a economia circular e com a melhoria da eficiência energética, hídrica e do aproveitamento dos recursos naturais, com o objetivo de diminuir a pegada de carbono”, refere a APDA, para quem o serviço de abastecimento e saneamento de água urbana “pode ir mais longe no seu dever de apoiar, propor e operacionalizar estratégias e medidas para o combate à emergência climática”.

A APDA foi criada em 2017 e reúne elementos de diversas entidades representativas de várias regiões do país, desde Entidades Gestoras, Proteção Civil e Academia, debatem este tema desenvolvendo ferramentas de apoio à adaptação por parte do setor.

Elaborada pela Comissão Especializada de Adaptação às Alterações Climáticas da APDA, a declaração visa firmar a intenção de todos os intervenientes no setor a agir de forma consciente e eficiente face a este que, atualmente, é o maior desafio que os serviços de água enfrentam. O argumento é mais do que válido para o setor se unir, uma vez que, ao atuar em conjunto e em uníssono, os resultados, embora pendentes da imprevisibilidade climática, têm maior probabilidade de sucesso.

Fonte: SM|GCI|CMA e APDA

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.