Edição: 259

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/6/27

Unidade de ambulatório para tratamento de doentes com patologia cardíaca

Centro Hospitalar de Leiria abre Hospital de Dia de Cardiologia

Equipa de cardiologia do Hospital de Santo André

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) acaba de abrir o Hospital de Dia de Cardiologia, um espaço dedicado a receber e tratar doentes para procedimentos em ambulatório nas áreas de hemodinâmica, pacing cardíaco, insuficiência cardíaca e para outras técnicas da especialidade. A criação do novo espaço no Serviço de Cardiologia do CHL representou um investimento de cerca de 200 mil euros. O Hospital de Dia tem monitores e computadores instalados, e os profissionais dispõem de novos dispositivos de diagnóstico, como holters, ecocardiógrafo e eletrocardiógrafo, equipamentos recentemente adquiridos no Serviço de Cardiologia, que aumentam a capacidade e a qualidade de resposta em várias áreas desta especialidade.

«Os doentes com insuficiência cardíaca são aqueles que necessitam de visualizações rápidas em ecografia, pelo que ter um posto de eco no nosso Serviço permite-nos acabar com o “sobe e desce” dos doentes dentro do hospital para fazer exames, poupando tempo e aumentando o conforto dos doentes. Esta unidade de ecografia deixa-nos fazer tudo, e se necessário, a ecografia transofágica», explica João Morais, diretor do Serviço de Cardiologia do CHL. «Ao nível dos holters, vamos ficar com capacidade para registar 10 doentes, o que representa duplicar a capacidade em holter, e consequentemente reduzir a lista de espera. Os novos aparelhos têm maior facilidade de leitura e reduzem a margem de erro. Além da utilização no hospital de dia e no Serviço de Cardiologia, os 10 novos e modernos eletrocardiógrafos portáteis possibilitam apetrechar algumas das nossas Urgências, inclusive a Urgência Pediátrica.»

A nova unidade ocupa uma sala ampla, integrada no Serviço de Cardiologia, localizado no 5.º piso da torre nascente do Hospital de Santo André (HSA), em Leiria, com capacidade para ter seis doentes em simultâneo, que conta com um profissional de enfermagem e um assistente operacional permanentes, com o devido apoio médico. Estima-se que anualmente o novo Hospital de Dia de Cardiologia trate perto de 1.000 doentes.

Criação do novo espaço no Serviço de Cardiologia do CHL representou um investimento de cerca de 200 mil euros

«A abertura deste espaço dá muita confiança e traz conforto aos doentes que nos procuram e permite trabalhar de uma forma organizada, facilitando processos e procedimentos, num ambiente agradável e com muita luz natural», refere João Morais. «O conceito de Hospital de Dia para o doente com insuficiência cardíaca é um grande avanço do ponto de vista da situação clínica, ao sermos uma retaguarda importante. Permite que os doentes que identificamos por estarem em fase de descompensação por insuficiência cardíaca possam ser sujeitos a procedimentos simples, o que dá uma grande agilidade ao médico que trata estes doentes, e a possibilidade de os acompanhar mais de perto, o que nos deixa salvar mais vidas, e também reduzir os internamentos, que no caso destes doentes interferem com a sua esperança de vida.»

O diretor do Serviço de Cardiologia admite ainda que, «do ponto de vista tecnológico, é um espaço simples, muito pouco exigente, mas onde o doente tem uma vigilância muito apertada, seja porque realizou um procedimento com alguma complexidade, seja porque tem uma situação clínica com alguma instabilidade e que estamos a tentar evitar que ela se complique. Basicamente, o que nós precisamos é de um monitor e olhos humanos». «Os médicos responsáveis por estes doentes são os alocados à Unidade de Hemodinâmica e Intervenção Cardiovascular, bem como ao setor de pacing cardíaco, dado que já acompanham estes doentes, e os doentes com insuficiência cardíaca vão ter alguns recursos próprios, num futuro que se espera próximo, como enfermagem dedicada e alguns médicos dedicados. São doentes com protocolos próprios, tratados maioritariamente com a mesma equipa», salienta João Morais.

«Este é mais um avanço na nossa estratégia de ambulatorização de cuidados, em que privilegiamos o tratamento em ambiente hospitalar num regime de hospital de dia, em detrimento do internamento clássico, que condiciona mais o doente e tem um maior peso financeiro para a instituição», reforça Licínio de Carvalho, presidente do Conselho de Administração do CHL.

     Fonte: Midlandcom

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.