Edição: 261

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/8/13

Em causa projetos de valorização de produtos da pesca em Peniche e Nazaré

Grupo de Ação Local Pesca Oeste recebe visita de investigadores polacos

Visita às bancas de venda de peixe seco da Nazaré

Representantes do Instituto Nacional de Investigação Marinha e Pescas (INIMP) de Gdansk, Polónia, estiveram na região Oeste para visitar projetos financiados pelo Grupo de Ação Local Pesca Oeste, cuja entidade gestora é a ADEPE – Associação para o Desenvolvimento de Peniche.

A comitiva polaca visitou o CETEMARES, Centro de I&D, Formação e Divulgação do Conhecimento Marítimo do Politécnico de Leiria, em Peniche, onde recolheu informação sobre os vários projetos em curso na área da ciência e da tecnologia do mar.

O principal foco, contudo, centrou-se no premiado “Pilado Add Value”, financiado pelo PROMAR através do GAC Oeste (2007-2013), um projeto de investigação sobre o aproveitamento do caranguejo pilado – espécie sem valor comercial e que, capturado nas redes de pesca, era devolvido ao mar – para a indústria farmacêutica e de cosmética, promovendo assim um circuito de valorização envolvendo os pescadores, a ciência e as empresas de base tecnológica.

Visita ao CETEMARES, Centro de I&D, Formação e Divulgação do Conhecimento Marítimo do Politécnico de Leiria, em Peniche

A visita à região Oeste incluiu ainda uma deslocação ao Museu Vivo do Peixe Seco, na Nazaré, outro projeto financiado pelo GAL Pescas, sob iniciativa do executivo local. Os investigadores polacos tiveram oportunidade de contactar com as peixeiras que continuam a preparar este produto tradicional com as técnicas artesanais, apoiadas por uma infraestrutura de suporte sanitário e ambiental, e a comercializar o pescado, seja no chamado “estendal” (em frente ao edifício Antiga Lota, onde se situa hoje o Centro Interpretativo do Peixe Seco), seja em mercados de proximidade.

Segundo Adam Mytlewski, chefe de departamento de Economia de Pescas, o INIMP está envolvido no projeto europeu BE-Rural, que pretende incentivar a economia circular usando os biorrecursos de cada comunidade. «Esta nossa visita acontece porque estamos interessados em conhecer projetos e pessoas que, recorrendo às práticas tradicionais, contribuam para a valorização dos produtos alimentares locais e, em particular, das pescas», referiu aquele responsável.

Para além do GAL Pescas Oeste, os investigadores polacos visitaram iniciativas desenvolvidas pelo GAL Além Tejo (Litoral Alentejano).

     Fonte: ADEPE

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.