Edição: 261

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/8/13

Centro de Apoio à Integração de Migrantes apoia alunos de 76 nacionalidades

CLAM do Politécnico de Leiria já abriu para acolher e integrar estudantes internacionais

José Reis, Isabel Almeida Rodrigues, Rui Pedrosa e Gonçalo Lopes

Já está em funcionamento o CLAIM – Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes do Politécnico de Leiria, que vai permitir um apoio complementar de proximidade aos estudantes internacionais da instituição, que atualmente tem 1.633 estudantes de 76 nacionalidades. O CLAIM – Politécnico de Leiria foi inaugurado quinta-feira, dia 21 de julho, permitindo à instituição reforçar a resposta ao acolhimento e integração de estudantes internacionais, nomeadamente os que chegam à região vindos de contextos de emergência.

«É um Centro que tem uma missão muito nobre de acolhimento, de prestar informações e de apoiar a integração de migrantes de forma transversal, com particular foco no apoio aos estudantes que vêm em contextos de emergência. Vamos hoje estar mais capacitados para os acolher, para os integrar e ter uma estrutura de apoio», afirmou Rui Pedrosa, presidente do Politécnico de Leiria.

Os CLAIM são gabinetes/espaços de acolhimento, informação e apoio que têm como missão apoiar todo o processo de acolhimento e integração de pessoas migrantes, articulando com as diversas estruturas locais, e promovendo a interculturalidade a nível local. Estes serviços prestam apoio e informação geral em diversas áreas, tais como regularização, nacionalidade, reagrupamento familiar, habitação, retorno voluntário, trabalho, saúde, educação, entre outras questões do quotidiano.

Neste contexto, e face ao número crescente de estudantes internacionais, o CLAIM – Politécnico de Leiria vem contribuir para a promoção da integração na comunidade de todos aqueles que pretendem estudar, investigar ou trabalhar no Politécnico de Leiria.

«O Politécnico de Leiria tem acumulado, ao longo dos anos, diferentes experiências no acolhimento de estudantes oriundos de zonas de emergência. Há poucos meses, por exemplo, criámos uma estrutura multidisciplinar de apoio aos estudantes migrantes que nos chegam de contextos de emergência, e que conta com representantes de todas as escolas. Portanto, com este grupo multidisciplinar e com o Centro estamos mais bem preparados para continuar a dar esta resposta», referiu Rui Pedrosa.

«O Politécnico de Leiria é uma instituição global, multicultural, com valores importantes, e com estas atividades queremos integrar de forma plena os nossos estudantes, porque só assim damos respostas educativas e sociais, para termos uma sociedade mais justa», concluiu.

A constituição do CLAIM – Politécnico de Leiria resulta de um protocolo celebrado entre a instituição de ensino superior e o Alto Comissariado para as Migrações (ACM) que, em cooperação, promovem agora um atendimento integrado.

Nas palavras de José Reis, vogal do ACM, «é uma mais valia haver aqui um centro especializado, que beneficia de uma rede que, neste momento, conta com 154 centros». «O Politécnico de Leiria vai beneficiar de um acompanhamento especializado e o apoio de toda esta rede que, em algum momento, poderá já ter lidado com um determinado problema que surja neste politécnico pela primeira vez», referiu José Reis, salientando: «Passámos a ter mais um parceiro neste processo de apoio à integração e de uma real inclusão de todas as pessoas que chegam ao nosso país para se desenvolverem e poderem prosseguir com a sua vida».

A cerimónia de inauguração do CLAIM contou também com a presença da secretária de Estado da Igualdade e das Migrações, que abordou o desafio das migrações. «Falamos não apenas naquelas migrações que as pessoas fazem em busca de qualidade de vida, mas também daqueles que fogem da fome e da guerra, e que procuram em Portugal um refúgio a que procuramos responder», referiu Isabel Almeida Rodrigues.

«Os fluxos migratórios são parte da nossa realidade. E não conseguíamos fazer nem um décimo do que estamos a fazer sem a colaboração muito empenhada de todas as autarquias locais e das imensas instituições e entidades das comunidades onde temos implementada cada resposta», defendeu a secretária de Estado, salientando ainda a importância do protocolo celebrado entre o Politécnico de Leiria e o ACM.

«Com o apoio que resulta deste protocolo pretendemos proporcionar aos estudantes serviços qualificados, que os possam apoiar nas respostas às suas necessidades», rematou Isabel Almeida Rodrigues.

Fonte: Midlandcom

 

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.