Edição: 263

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/10/5

Município apela à população que intensifique os cuidados de poupança

Abrantes: município põe em prática Plano de Poupança de Energia e reforça medidas de Poupança de Água

Paços do Concelho de Abrantes
(Foto: CMAbrantes)

Tendo em conta o contexto da pressão climática associada à escalada dos preços energéticos, a Câmara Municipal de Abrantes decidiu colocar em prática um conjunto de medidas de poupança energética abrangendo equipamentos e edifícios municipais, esperando-se que sejam convertidas em poupanças significativas. Além disso, o município decidiu também reforçar as medidas de poupança de água, através da redução dos tempos de rega em espaços verdes, do projeto global de captação de água de origens alternativas, do recurso à implementação de contadores inteligentes entre outras medidas.

Segundo o município de Abrantes, durante a semana que compreende os dias 11 de 18 de agosto, e até tempo indeterminado, as alterações ao sistema de iluminação decorativa de alguns locais serão as seguintes:  Igreja de São Vicente (Desligar depois da 24h00); Ponte Rodoviária de Abrantes (desligar totalmente); Avenida de Aljubarrota (antecipar o desligar em uma hora); iluminação exterior da fachada do Panteão dos Almeida (intramuros do Castelo) (desligar permanente); iluminação decorativa da Torre de Comunicações (a partir 02h:00) e na iluminação exterior dos centros escolares de Bemposta, Alferrarede, Rio de Moinhos e Tramagal (desligar totalmente).

Em articulação com a E-Redes (EDP), antecipar o desligar da iluminação pública em todo o concelho, em pelo menos 30 minutos/dia, antes da hora atual, até 15 de setembro. A médio prazo (2022/23), irá proceder-se à substituição das luminárias de iluminação pública por luminárias de Led’s no Centro Histórico de Abrantes e em várias avenidas da cidade, bem como nas áreas do Parque Industrial Norte e Sul e do Parque Urbano Ribeirinho, Aquapolis Norte e Sul. Ao nível dos equipamentos desportivos, serão substituídos os projetores existentes por projetores de LED’s no Campo de Futebol 1, 2 e 3 da Cidade Desportiva e no Pavilhão Desportivo do Pego. O mesmo processo decorrerá também nas salas de aula e nas áreas de circulação da Escola António Torrado.

Por outro lado, a Câmara tem em desenvolvimento um processo para implementação de duas Comunidades de Energia Renovável (CER), uma para dar resposta às empresas instaladas na Zona Industrial de Abrantes (sul e norte) e outra para fornecimento de energia renovável a equipamentos públicos. Já a CIM Médio Tejo, no seu todo, tem em desenvolvimento um estudo de implementação das CER que contribuem para um sistema energético sustentável e têm como objetivo utilizar a energia renovável de fontes locais para satisfazer as necessidades das respetivas localidades.

Será ainda realizada uma campanha interna de intervenção pedagógica dirigida aos trabalhadores do município e difundidos apelos à comunidade sensibilizando para o uso racional das energias primárias, água, energia.

Estas medidas de poupança de energia foram anunciadas pelo presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, durante a reunião do executivo realizada no dia 9 de agosto. Na ocasião Manuel Valamatos frisou que a preocupação com a eficiência energética tem já um trabalho consolidado no concelho, salientando a aposta na tecnologia LED, através da substituição das velhas luminárias das redes de iluminação pública por lâmpadas de tecnologia LED, sendo que esse trabalho iniciado em 2019, já permitiu a substituição de perto de 5 mil luminárias, num trabalho de colaboração com a E-Redes, que resultou numa poupança estimada na ordem dos 100 mil euros.

Seca: Câmara de Abrantes e Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA) reforçam medidas de poupança do uso da água

Atendendo à situação de seca extrema nacional, a Câmara Municipal e os Serviços Municipalizados de Abrantes vão reforçar as medidas de poupança do uso da água da rede pública e a otimização dos recursos hídricos. O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara durante a reunião do executivo, tendo Manuel Jorge Valamatos afirmado que a fiabilidade dos sistemas ainda garante em condições normais o abastecimento a toda a população do concelho, mas perante o novo contexto nacional de seca, tendo destacado a situação da albufeira de Castelo do Bode, urge a necessidade de implementar medidas extraordinárias e preventivas.

Do conjunto de ações a colocar em prática, destacam-se o reforço da redução dos tempos de rega em espaços verdes para o tempo estritamente necessário à sobrevivência das plantas, sendo que os de maior dimensão (em parques urbanos e as 102 hortas comunitárias) já são regados a partir de furos de captação. Todos os espaços verdes dispõem de sistemas de rega automática, possuindo programadores, de modo a que os períodos de rega coincidam, maioritariamente, com as horas de menor consumo (noite) e de menor evapotranspiração.

O desenvolvimento de um projeto global de captação de água de origens alternativas para usos “menos nobres” do que a água tratada, para rega de espaços verdes e, em alguns casos, para lavagens e abastecimento de veículos de combate a incêndios. Existem já distribuídos pelo concelho locais para abastecimento de veículos de combate a incêndios, evitando assim o desperdício de água tratada para consumo humano.

A colocação de contadores inteligentes nos maiores consumidores de água públicos e privados para identificar possíveis roturas ou fugas nos seus sistemas. Presentemente está a ser desenvolvido um projeto piloto de contadores inteligentes, instalado na localidade de Esteveira, que permitem a leitura automática dos contadores, bem como identificar fugas de água e controlo dos consumos nas casas.

A continuação da substituição de condutas de ramais mais antigos e com maior percentagem de fugas; a desativação total ou parcial de lagos e chafarizes ornamentais, que não possuam ainda sistemas de recirculação e a intensificação da fiscalização dos usos da água dos fontanários públicos.

Diligenciar junto da concessionária Abrantáqua a implementação, o mais rapidamente possível, do projeto LIFE PHOENIX, que pretende desenvolver soluções eficientes para a produção sustentável e segura de água para reutilização a partir de águas residuais provenientes de tratamento secundário, de acordo com os novos requisitos europeus.

A generalização de temporizadores, sempre que possível tecnicamente, nos sistemas de torneiras e chuveiros de edifícios sob gestão municipal (balneários, instalações sanitárias públicas, equipamentos desportivos, etc.) bem como nos fontenários públicos, bem como a proibição do enchimento de piscinas, entre outras.

Segundo o município de Abrantes, estas medidas juntam-se às ações de política estratégica, a longo prazo, iniciadas no princípio do século XXI quando foi decidido a captação e distribuição de água a partir da albufeira de Castelo do Bode. Um investimento contínuo, que até ao momento já ultrapassou os 13 milhões de euros, cuja intenção é defender a eficiência hídrica e a antecipação de períodos de seca e, ao mesmo tempo, aumentando a disponibilidade e qualidade de água em todo o concelho.

Manuel Jorge Valamatos reforçou ainda que a Autarquia e os SMA continuarão a investir em campanhas de consciencialização da utilização racional da água e de forma a evitar o desperdício, pelo que o município solicita à população que intensifique os cuidados de poupança de água da rede pública de abastecimento para consumo humano, eliminando o seu uso supérfluo e restringindo o seu consumo ao estritamente necessário. Só com a ajuda consciente e responsável de todos conseguiremos evitar constrangimentos de maior ordem.

Fonte: DC/Município de Abrantes

 

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.