Edição: 262

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/9/29

Integrada na Cimeira Nacional de Agroinovação

Santarém recebe entrega de Prémio Empreendedorismo e Inovação do Crédito Agrícola

Cartaz

O Crédito Agrícola acaba anunciar os 12 projetos finalistas da 9ª edição do Prémio Empreendedorismo e Inovação, uma iniciativa reconhecida no mercado como um forte contributo ao desenvolvimento dos sectores agrícola, agro-alimentar e florestal. O processo de candidaturas decorreu entre os dias 26 de Abril e 10 de Julho através do website www.premioinovacao.pt.

Os vencedores desta edição, que volta a destacar o tema da Sustentabilidade, em linha com as prioridades nacionais e europeias de apoio à inovação do sector e com a estratégia do Crédito Agrícola, serão conhecidos a 12 de Outubro, na Cerimónia de Entrega de Prémios, que será integrada na Cimeira Nacional de Agroinovação, em Santarém.

O projeto vencedor de cada categoria – Digitalização e Automação; Economia Circular e Biotecnologia Sustentável; Alimentação, Nutrição e Saúde; Promoção da Inovação – receberá um prémio monetário no valor de 5.000€. Adicionalmente, serão ainda atribuídas duas distinções de reconhecimento especial para o melhor Projeto de Elevado Potencial promovido por Associado Crédito Agrícola e uma Menção Honrosa ao finalista que se destaque enquanto Jovem Empresário Rural, com prémios de 5.000€ e de 2.500€, respetivamente.

A ANI – Agência Nacional de Inovação, parceira do Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola pelo 6.º ano consecutivo, através do seu programa “Born from Knowledge” (BfK), atribuirá ainda o troféu “Árvore do Conhecimento” ao melhor projeto ou start-up de base científica e tecnológica. Desde 2017, a ANI já premiou cinco projetos “nascidos do conhecimento” com impacto no sector agroalimentar: Wildfire Protect, SOILIFE, ChestWine, a start-up Stex e o projeto Smart Trap, na última edição da iniciativa.

Projetos finalistas da 9ª edição do Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola

Categoria “Digitalização e Automação”

Farmoo
Software de apoio à decisão aos agricultores no que respeita à recomendação hídrica das suas culturas. Incorpora um algoritmo de recomendação de rega desenvolvido com base em dados meteorológicos locais (sensores Internet of Things – IoT instalados localmente), previsão meteorológica (através de estações meteorológicas na rede) e dados de imagens satélite de alta resolução (3 metros). O software permite poupanças de água significativas, permitindo ainda, em alguns casos, aumentos de produção por aumento da eficiência de rega.

D-PICO
Micro robot móvel desenhado para desmatação de terrenos. O seu braço pode elevar a ferramenta a mais de 1,5m de altura, aumentado a área de trabalho frontal. Estando equipado com um sistema de troca rápida de ferramenta, pode fazer trabalhos que exijam várias ferramentas sem perder muito tempo nas trocas, trabalhando em terrenos difíceis com a máxima produtividade e a máxima segurança. O seu design permite-lhe ser facilmente transportável.

Sistema Autónomo para a Colheira de Framboesa para o Mercado de Frescos
O projeto faz uso de robótica, inteligência artificial e automação para integração de tecnologia autónoma no processo de colheita de framboesa fresca usando 87% menos recursos humanos. O método de colheita não gera desperdício, não danifica o fruto e os arbustos, permitindo ainda a recolha de dados em tempo real para a gestão remota das colheitas e rastreabilidade autónoma dos frutos, enquanto colhe mais de 80% da fruta madura com um tempo de ciclo de colheita bastante inferior.

Categoria “Economia Circular e Biotecnologia Sustentável”

TecmaFoods – Insect Based
Produção de insetos (Tenebrio molitor) e produção de farinha de inseto para alimentação animal e consumo humano, com inúmeras aplicações para a indústria alimentar e não só. Um método de produção proteica altamente sustentável e escalável.

EcoX
Produção de diversos produtos de limpeza, nomeadamente de detergentes, que para além de biodegradáveis e vegan, são obtidos sob um conceito de economia circular e valorizando um resíduo (o óleo alimentar usado) causador de vários problemas. Este conceito inovador reduz (em +50%) a extração de recursos naturais necessários para a produção de diversos produtos de limpeza. Para além disso, incorpora um conceito de comercialização destes produtos assente também na economia circular promovendo a reutilização das embalagens (através da venda a granel).

Phos2Recycle – Phosphorus Biofertilizers
Desenvolvimento de algoritmos matemáticos que preveem com alta precisão as transformações físicas, químicas e biológicas que ocorrem em Estações de tratamento de águas residuais (ETARs). Estes algoritmos foram incorporados numa ferramenta digital que permite, de forma muito mais rápida que o olho humano e mais fiável que outras ferramentas digitais existentes, avaliar o potencial de recuperar um dos produtos essenciais à produção de alimentos a partir de resíduos municipais/industriais: o fósforo na forma de biofertilizantes. A ferramenta permite ainda fazer o design/otimização do processo de recuperação destes biofertilizantes, e reduzir os poluentes na água tratada, de forma que se possa reaproveitar esta água para rega de campos agrícolas.

Categoria “Alimentação, Nutrição e Saúde”

Vegan Bio Foods
Desenvolvimento de alimentos de base vegetal, biológicos, sustentáveis e funcionais para promoção da saúde humana. Esta abordagem empresarial resulta da evidência científica que reporta a alimentação saudável como um fator determinante para a saúde pública e desenvolvimento sustentável do ecossistema natural e humano de forma proactiva e integrada.  A inovação a implementar na nova fábrica da empresa em Portugal, tem expressão industrial totalmente descarbonizada e com recurso a um sistema de conservação alimentar biofotónico.

Portugal Bugs
Desenvolvimento, produção e comercialização de produtos alimentares sustentáveis utilizando os insetos como fonte de proteína sustentável e de elevada qualidade. Barras cruas, massas, chocolates, hambúrgueres, snacks de inseto desidratado, crackers e bolachas, são alguns dos produtos desenvolvidos. Os insetos apresentam-se como uma alternativa alimentar sustentável derivada da sua reduzida necessidade de consumo de recursos, como água e ração, para crescerem e reproduzirem-se. Para além disso, os insetos permitem colocar Portugal e a Europa, um passo mais próximo de se tornarem autossuficientes na produção de proteína.

Ethical Meat
O Projeto “Ethical Meat” acrescenta valor, através de novo conhecimento, e do desenvolvimento de metodologias/ processos inovadores, em todas as fases da cadeia de produção de carne – do “prado ao prato”. Através de novas metodologias de bem-estar animal, implementadas com apoio de tecnologia estima-se um aumento de eficiência na criação de bovinos de mais 20% (menor tempo de criação, conversão alimentar), maior qualidade da carne (maciez, sabor, nutrientes) e, um produto mais sustentável, com aumento do prazo de validade em pelo menos 25% e embalagem ecológica. Pretende também disseminar estas melhores práticas entre o sector agropecuário, contribuindo para o aumento da sua produtividade, qualificação e internacionalização.

Categoria “Promoção da Inovação”

Innov4Food
O projeto Innov4Food inclui atividades que visam promover e incentivar a inovação no sector agro-alimentar, através da sua capacitação por meio de: ações informativas em temas como novos ingredientes (Data4Food), tecnologias (Time4Tech), tendências (News4Food) e legislação alimentar (Regulatory4Food); transferência de tecnologia (Dare2Change, Ideas4Sharks, Training4Food, Funding4Food e Calendar4Food); e consciencialização para a sustentabilidade (Info4Food), a saúde (Food4Nutrition) e a responsabilidade social (Food4Love) como motor da competitividade do sector.

Rewine
O projeto ReWine foi desenvolvido para servir como ferramenta de suporte, dirigido às empresas do sector vitivinícola, para promover a implementação de boas práticas de Economia Circular (EC), acelerando desta forma a transição para um modelo de EC. A estratégia adotada consistiu em reunir e divulgar – através da produção de vídeos – as boas práticas circulares já implementadas nas empresas do sector, dando-lhes “voz” e servindo de exemplos reais. Através deste programa educacional, foram produzidos um total de 5 vídeos e divulgadas um total de 48 práticas repartidas pelas temáticas “água, solo, energia e materiais”. Para além disso está a ser desenvolvido um Guia de Boas Práticas Circulares, especificas para o sector vitivinícola.

AlertaARROZ
Os nemátodes fitoparasitas causam grandes prejuízos, nomeadamente na cultura do arroz. Destes, o nemátode das galhas radiculares do arroz, Meloidogyne graminicola (Mg), é uma ameaça para a fileira chegando a causar 20% de perdas na colheita, e as alterações climáticas estão a conduzir a um incremento dramático nas suas populações. Mg está presente em Itália e em grande expansão, colocando em risco outros países produtores e importadores, como Portugal. O projeto aposta na capacitação dos agricultores, com conhecimento técnico, e no apoio à produção com a introdução de técnicas inovadoras de deteção e de diagnóstico precoce, visando mitigar os efeitos da dispersão da doença nos nossos arrozais e contribuir para a sustentabilidade do sector.

Júri base do Prémio Empreendedorismo e Inovação 2022

Licínio Pina | Crédito Agrícola (Presidente do Júri)
Simão Soares | P-BIO – Associação Portuguesa de Bioindústria
João Mendes Borga | ANI – Agência Nacional de Inovação
José Vale | IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação
Nuno Canada | INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária
Aldina Fernandes | CONFRAGI – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal
António Gonçalves Ferreira | UNAC – União da Floresta Mediterrânica
Firmino Cordeiro | AJAP – Associação dos Jovens Agricultores de Portugal
Maria João Fernandes | PERIN – Delegada e Ponto de Contacto Nacional do Horizonte Europa para a Agricultura, Alimentação, Bioeconomia e Biotecnologia
Sofia Santos | Consultora para a Sustentabilidade e Gestora de Sustentabilidade do Crédito Agrícola

Elementos adicionais do Júri

Digitalização e Automação-  Luís Mira | CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal
Economia Circular e Biotecnologia Sustentável – João Wengorovius Meneses | BCSD Portugal – Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável
Alimentação, Nutrição e Saúde – Pedro Queiroz | FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares
Promoção da Inovação – Maria Custódia Correia | Rede Rural Nacional, DGADR

Sobre o Crédito Agrícola

O Grupo Crédito Agrícola é um grupo financeiro de génese cooperativa constituído, na sua base, por Caixas de Crédito Agrícola. O Grupo de âmbito nacional, com capitais exclusivamente nacionais, conta com mais de 430 mil Associados, mais de 1 milhão e 900 mil Clientes e mais de 600 Agências, distribuídas pelo território nacional. Foi fundado em 1911, tendo como foco inicial o apoio ao financiamento de agricultores em Portugal tendo, ao longo dos anos, expandido o âmbito da sua atividade para outros sectores e alargado a sua área de atuação. O Grupo é composto atualmente, para além das Caixas Agrícolas e da Caixa Central, por empresas dedicadas à atividade seguradora e a banca especializada.

Foi o primeiro banco a disponibilizar o contactless em Portugal, a oferecer o primeiro cartão de pagamento com chip e o primeiro cartão vertical, tendo sido pioneiro na disponibilização de pagamentos com Apple Pay aos seus clientes.

Fonte: Lift Consulting

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ainda não há comentários nenhuns.