Edição: 264

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/11/27

Patente até ao próximo dia 24 de setembro

Caminho das Artes regressa ao centro histórico de Santarém com fotos de avieiros do rio Tejo

Inauguração da exposição Caminho das Artes

A exposição Caminho das Artes regressou ao centro histórico de Santarém, no âmbito do Verão In.Santarém. Inaugurada oficialmente na quinta-feira, 11 de agosto, vai estar patente até ao próximo dia 24 de setembro. Como tema para este ano, apresenta imagens onde se recordam as “Artes e saberes de construção e uso da bateira avieira no rio Tejo”.

A mostra, constituída por fotos de grande formato, pode ser percorrida ao longo da Rua Serpa Pinto e na Praça Visconde Serra do Pilar, também conhecido como Praça Velha, onde se encontram quadros com metro e meio de comprimento, por um metro de altura, fixados em algumas das varandas com gradeamentos metálicos.

No total, a exposição é constituída por 50 imagens captadas por fotógrafos como José Freitas, Álvaro Silva, Fernando Mendes, José Gaspar, José Peixe, Raquel Paz, Roberto Caneira, Zélia Paulo, e também do próprio responsável pela exposição, Paulo Semblante Mendes.

Para o curador do Caminho das Artes, Paulo Semblante Mendes, esta exposição possibilita que “mais uma vez a fotografia amadora esteja presente nas ruas de Santarém”, revelando “a diversidade e abrangência das imagens expostas”, onde “estão retratadas a maior parte das vivencias culturais, sociais, religiosas, etnográficas destas gentes da ‘borda d’água’, dando destaque á bateira como núcleo estruturante da vivência avieira”, explica. Sobre a escolha dos fotógrafos convidados, Paulo Mendes reconhece a dificuldade em selecionar autores e imagens, embora realce critérios como “o conhecimento da existência de trabalhos já realizados sobre o tema, a sua proximidade, gosto e preocupação com o rio. Daí relevar a proveniência dos autores que vão desde Vale Figueira à Povoa de Santa Iria, abrangendo os concelhos ribeirinhos de Santarém, Salvaterra de Magos e Vila Franca de Xira”.

De recordar que a denominação ‘Artes e Saberes de construção e uso da bateira avieira no rio Tejo’, foi adotada como o culminar de um trabalho levado acabo pelo Instituto Politécnico Santarém que, em 2015, apresentou na Direção-Geral do Património uma candidatura a Património Cultural Imaterial. Teresa Serrano, docente do Instituto Politécnico de Santarém e uma das responsáveis por esta candidatura, enalteceu a exposição ressalvando a sua importância na divulgação destes saberes que, deste modo, podem chegar ao conhecimento de mais pessoas. O Instituto Politécnico de Santarém pretende agora envolver os restantes Municípios do Tejo propondo a itinerância desta exposição.

Em edições anteriores do festival de artes e cultura, Verão In.Santarém, o Caminho das Artes mostrou fotos com imagens do Ribatejo, do seu património, tanto religioso, edificado ou etnográfico, ou pormenores de portas e janelas de habitações localizadas no centro histórico de Santarém.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.