Edição: 264

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/11/27

Dia histórico na Escola Secundária do Cartaxo

Câmara Municipal assina auto de consignação da requalificação da Escola Secundária do Cartaxo

Assinatura do auto de consignação que marca o início das obras de requalificação da Escola Secundária do Cartaxo

A Câmara Municipal e a Ecoedifica assinaram esta segunda-feira, dia 22 de agosto, o auto de consignação que marca o início das obras de requalificação da Escola Secundária do Cartaxo.

O presidente da Câmara Municipal afirmou que “este é um dia para celebrar, em que estamos todos muito felizes porque a vontade e o trabalho colaborativo venceram todos os obstáculos e, juntos, abrimos novas portas em direção ao que queremos para o nosso futuro”.

Jorge Tavares, diretor do Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo (AEMMC), afirmou que “este é um dia histórico”, dando destaque ao envolvimento do agrupamento e da direção da escola secundária em todas as decisões necessárias à empreitada, que a Câmara Municipal promoveu para que “todas as escolhas tenham sido conjuntas”, numa parceria, com os serviços municipais, que Jorge Tavares elogiou.

O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, João Ferreira Heitor, que assinou esta manhã, o auto de consignação da Empreitada de Requalificação da Escola Secundária do Cartaxo com a empresa Ecoedifica – Ambiente e Construções, S.A., afirmou que a “este momento, marca o início da concretização de uma ambição de várias gerações de cartaxeiros e o princípio de uma obra que, já a partir do próximo ano letivo, vai servir outras tantas gerações”.

O autarca lembrou que, “quando há menos de um ano, assumimos o executivo da Câmara Municipal, este processo estava parado e havia muito pouca esperança que se concretizasse”. Apenas o trabalho colaborativo “entre diversos serviços da autarquia, a sua competência técnica, mas também a coragem para não desistir, para pensar além do óbvio, para procurar soluções e não protagonismo, nos permitiu recuperar a ambição e chegar a este dia. As pessoas que agarraram este processo, em poucos meses, foram uns heróis”.

A empreitada de requalificação da Escola Secundária do Cartaxo é, para João Ferreira Heitor, uma obra que “vai servir a comunidade educativa já no próximo ano letivo, mas que terá impacto muito para além disso. Esta obra é uma peça fulcral no processo de preparar a nossa comunidade para um futuro que chegará com novos desafios”, afirmou, destacando a “obrigação que temos de construir as ferramentas para que os nossos, no futuro, possam dar uma resposta de excelência a esses desafios, obtendo resultados melhores do que aqueles que nós próprios hoje, enquanto comunidade, podemos atingir”.

O autarca apelou a que o trabalho de colaboração entre a Câmara Municipal, o Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo, a coordenação da Escola Secundária, a Associação de Pais e Encarregados de Educação e todo o corpo docente e não docente, possa continuar “durante o decorrer das obras”, que serão “incómodas, que causarão desconforto e vão colocar desafios às famílias, aos jovens e aos professores, aos técnicos e aos operacionais”.

“Vamos continuar este caminho que fizemos juntos, vamos estar prontos para colaborar, para construir soluções e para sermos resilientes. Em breve todos estarão de volta a esta casa, com novas e muito melhores condições de ensino e aprendizagem”, apelou o presidente da Câmara Municipal.

Na sessão de assinatura do auto de consignação esteve também presente o diretor do AEMMC, Jorge Tavares, assim como, o subdiretor António Pinto, a coordenadora Ana Barroso, o vice-presidente da Câmara Municipal, Pedro Ferreira Reis, a vereadora Maria João Oliveira, o presidente da União de Freguesias do Cartaxo e Vale da Pinta, João Pedro Oliveira, para além de representantes das forças de segurança e das áreas de serviço municipais que integraram o grupo de trabalho que permitiu a concretização da empreitada.

O contrato prevê um prazo de execução de 330 dias, estando prevista a entrega da obra antes do início do ano letivo 2023/2024.

Mais de 2 milhões e 800 mil euros é o valor da empreitada. A Câmara Municipal vai ser responsável por 1 101 815,35 euros do investimento, o Ministério da Educação por 115 751,35 euros e o valor restante será assegurado por verbas comunitárias.

      Fonte: MS|GIC|CMC

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.